4 soluções e engines para a criação de games sem programação

Se você, como eu, adora colocar a mão na massa e “perde” muito tempo em editores que permitem a criação de mapas e níveis para os mais diversos jogos eletrônicos, é muito provável que possua também o desejo de criar seu próprio game. Não só criar, é claro. Vender, também. E, como sabemos, existem engines e soluções as mais diversas no mercado, para tanto.

Temos ferramentas e suítes completíssimas. Ambientes de desenvolvimento que atendem às necessidades de grandes estúdios. Engines mais modestas. Produtos que podem ser utilizados em conjunto com outros e, claro, como grandes aliados de desenvolvedores que se enveredam pelos caminhos assustadores da programação.

Temos produtos adequados para todos os bolsos, gostos, necessidades e níveis de habilidade. Quem está começando na área, porém, certamente deve tentar começar com alguma opção amigável e, principalmente, gratuita. Dependendo do caso, com alguma solução que permita o desenvolvimento de jogos sem programação. É claro que não sou nenhum expert no assunto, e este texto conta com alguns resultados de pesquisas que realizei nos últimos tempos.

Segue abaixo uma lista com algumas das ferramentas que encontrei e que permitem a criação de jogos para PC, Mac, iOS, Android e HTML 5. Muitas delas contam com modalidades de utilização gratuitas, aliás.

Construct 2

O Construct 2 é um produto criado pela Scirra. Uma suite para a criação de jogos extremamente amigável e que não exige nenhum conhecimento em programação por parte do usuário. Com o Construct 2 podemos desenvolver jogos para iOS, Android, PC, Facebook, Chrome e Web (HTML 5), por exemplo. Também é possível criarmos jogos para o Windows 8.

Construct 2

A engine da Scirra trabalha com um sistema de eventos bem interessante, mediante o qual o desenvolvedor (você, no caso, quem sabe) determina “o que, quando e como” será realizado. Trata-se de um sistema extremamente prático e user-friendly. Escolhemos os objetos, as condições e o que acontecerá quando estas forem atingidas, trocando em miúdos.

Stencyl

O Stencyl é desenvolvido pela Stencyl LLC, e apesar de ser um software pago, possui uma opção gratuita que permite o desenvolvimento de jogos em Flash e para iOS. Obviamente (como no caso do desenvolvimento de qualquer app ou game iOS), uma Apple Developer Account é necessária, bem como o pagamento de US$ 99,00 anuais à empresa da Maçã.

Stencyl

Também é possível desenvolver jogos para Mac, Linux e desktops com o Stencyl, além de HTML 5. Obviamente, neste caso deve-se optar por uma das versões pagas da engine, sendo que também aqui o usuário não precisa tocar em uma linha de código sequer.

GameSalad

Outra ótima solução que permite a criação de jogos para iOS, Mac, Web, Android e Kindle. A versão gratuita, entretanto, permite apenas a criação de jogos para web, iOS e Mac. Dotado de um ambiente visual extremamente agradável, o GameSalad também não exige que o desenvolvedor toque em código algum.

Gamesalad

Para iniciantes, trata-se de uma ótima opção. O GameSalad também permite a criação de jogos para Windows 8, mas apenas na versão paga (US$ 299,00 por ano).

The Games Factory 2

O “The Games Factory 2” foi desenvolvido pela Clickteam, e possui uma curva de aprendizado bem pequena. A engine utiliza um editor de eventos um tanto quanto parecido com o do Construct 2, e conta com uma grande biblioteca de assets, o que permite que desenvolvedores solitários e/ou que não possuem muita intimidade com desenho, design e afins possam se focar bastante em outros aspectos.

The Games Factory 2

O “The Games Factory 2” é um software pago, entretanto, e possui módulos e add-ons que permitem a exportação dos projetos para Windows, Mac, Flash, XNA, Java, iOS e Android.

Finalizando

Estas são apenas algumas sugestões, é claro. Existem diversas outras soluções no mercado, adequadas a diversos tipos de usuários, com os mais diversos níveis de habilidade. Não podemos nos esquecer também, é claro, do RPG Maker, o qual foi lançado no Steam há poucos dias atrás, e do GameMaker.

Obviamente esta é uma pequena e simples amostra de um enorme universo que pode se revelar muito maior do que aquilo que imaginamos assim que começamos a nele penetrar. Não podemos também deixar de lembrar que resultados mais sofisticados requerem a utilização de soluções mais robustas e, claro, mais conhecimento. Programação, claro, jamais será algo desnecessário.

Poderá gostar também

4 Comments

  1. Existe o ótimo AGS (Adventure Game Studio) e o WME (WinterMute Engine) ambos para a criação de Jogos no estilo Adventure (Como Monkey Island e Full Throttle).
    Além desses que usam pouca programação, temos o IGM (Indie Game Maker) também da Enterbrain sendo este focado em jogos 2D de qualquer tipo.

    Reply
    • @Alain Pierre Lins Alcântara,

      Indicações muito boas. Mas me parece que o IGM requer bem mais trabalho, não? 🙂

      Reply
  2. Sempre desejei uma ferramenta dessas para brincar, mas não consigo pensar em nada diferente ou pelo menos surpreendente para criar um jogo, além disso sou ruim em desenho e música rs.

    Reply
    • @Hideki T,

      Olha, Hideki, muitas contam com uma biblioteca de assets que você pode usar, de repente, pelo menos pra brincar. Ou seja, não precisa nem desenhar, etc. Dá pra tentar algo. 🙂

      Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Game brasileiro Dreaming Sarah recebe investimento da GameHouse - [...] A GameHouse conta com cerca de 55 milhões de jogadores no mundo todo, sendo que 15 milhões deles estão…
  2. FPS Creator Reloaded: crie games sem colocar a mão no código - […] Veja, por exemplo, o Multimedia Fusion e, mais recentemente, o ClickTeam Fusion. Com eles foram criados, por exemplo, os…

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Pin It on Pinterest