Há alguns dias surgiu na internet o rumor de que a Valve estaria desenvolvendo seu próprio console. O tal do “Steam Box” seria equipado com um processador Intel Core i7, 8 GB de memória RAM e uma placa de vídeo da NVIDIA.

Se este rumor for realmente confirmado, Microsoft, Nintendo e Sony terão uma concorrente de peso. Uma concorrente que atualmente domina o mercado de distribuição digital de jogos para PC, e que não pensa duas vezes antes de mimar seus clientes. Gabe Newell chegou a dizer o seguinte: “Bem, se tivermos que vender hardware, nós iremos“. O (ainda) hipotético console seria fabricado por parceiros da proprietária do Steam, e até mesmo a Alienware, já parceira da Valve, poderia fazer parte da jogada (o Alienware X51 poderia inclusive ter sido criado com o console da Valve como “alvo”).

O “Steam Box” seria uma plataforma aberta, ao contrário do Xbox 360, do Playstation 3 e do Nintendo Wii. Isto faz muito sentido quando se conhece a filosofia de trabalho da Valve e se percebe que o negócio da empresa é totalmente baseado em jogos para PC. Até mesmo serviços como o Origin, da Electronic Arts, poderiam rodar no tal console da Valve, e isto seria surpreendente, principalmente após os problemas ocorridos entre as duas empresas. Ainda segundo o site “The Verge”, não haveria a exigência de kits de desenvolvimento específicos para o console, nem tampouco seriam cobradas taxas de licenciamento dos desenvolvedores.

O console ainda contaria com controles adaptáveis a diferentes gêneros de jogos e um sensor biométrico, sem falar na possível compatibilidade com uma grande variedade de dispositivos USB. Em relação ao controle do console, aliás, a Valve já registrou uma patente para o mesmo. O “Steam Big Picture” também é outro dos possíveis recursos do equipamento. Se a Valve realmente lançar um console no mercado, as 3 grandes fabricantes de consoles terão muitos motivos para se preocuparem. Especula-se que a empresa de Gabe Newell pode anunciar o equipamento durante a GDC 2012 ou então durante a próxima E3. Entretanto, fico imaginando quais seriam as vantagens para o jogador.

O console rodaria jogos da Valve, é claro. Jogos que podem ser adquiridos no Steam também fariam parte da biblioteca do “Steam Box”. Teríamos no mercado um console novo e já repleto de títulos, parte de uma plataforma que recebe novos jogos com enorme frequência. Isto deixaria os atuais consoles de última geração em enorme desvantagem, pelo menos no quesito “disponibilidade de títulos”.

Mas me pergunto qual seria a necessidade de um console como este, uma vez que no caso do Steam e da Valve o PC suporta perfeitamente todos os títulos lançados, de terceiros ou não. Estaria a Valve apenas desejando entrar no concorrido mercado de consoles (e ganhar mais dinheiro, é claro), ou ela deseja realmente revolucionar tal mercado?

Um console aberto abriria espaço para uma série de coisas hoje não permitidas nos 3 principais. Mas não é o PC uma grande e poderosa plataforma aberta? Qual a necessidade de uma empresa cuja plataforma foco é o PC lançar um console? Caso isto ocorra, o “barulho” será enorme, é claro. Não seria, também, a primeira vez que a Valve “brinca” com os consoles. A versão de Portal 2 para o PS3 conta com integração ao Steam.

Mas aí estamos falando de duas plataformas diferentes que “conversam entre si”, digamos. Tenho comigo que a Valve já possui uma plataforma; seu “console”, até, mesmo que não seja algo desenvolvido por ela. Trata-se do PC. Para que, então, lançar um segundo? Bom, por enquanto trata-se de um rumor, e rumores muitas vezes resultam em algo bem diferente daquilo que inicialmente pensamos, ou até mesmo são esquecidos. O que você acha?

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest