Hire HitmanAlgumas vezes somos surpreendidos por estratégias de marketing no mínimo estranhas. Não creio que a Square Enix tenha sido muito feliz ao lançar este tal de Hire Hitman. Quer dizer, a ideia é bacana. Muito, até. Só que não foi bem executada. Muito pelo contrário.

Basicamente, trata-se de uma experiência interligada com o Facebook criada em conjunto com a agência Ralph. Após acessar o site do “jogo”, o usuário deve informar sua idade e realizar login com sua conta do Facebook.

A partir daí, é possível escolher qualquer um de seus contatos e, então, contratar o Agente 47 para dele dar cabo. Na verdade, o jogo se resume à escolha do alvo, à escolha das características que tornarão possível a sua localização e, por último, à escolha dos motivos para o assassinato.

É justamente aqui que começam os problemas. Até mesmo se levarmos em conta apenas as características para localização, de forma isolada. Tudo pode ficar pior ainda caso ocorram “similaridades” com a vida real, em maior ou menor grau. Bem, ao invés de fornecer características banais e/ou que não fossem capaz de causar constrangimentos a ninguém, digamos, a Square optou por fornecer uma lista de itens muito infeliz. Está tudo lá. Veja alguns exemplos:

  • Nariz grande;
  • Orelhas grandes;
  • Aqueles tais “pneuzinhos”;
  • Cheiro ruim;
  • Pernas peludas;

E por aí vai. As características acima, dependendo da pessoa e da situação (e até mesmo no caso de mulheres) podem soar bem ofensivas, e uma simples brincadeira pode então se transformar em um problema (e também em um grande constrangimento, sem falar em outras coisas).

Hire Hitman

Bem, o “jogador” também deve fornecer ao sistema as razões para a eliminação do alvo. Aqui encontramos desde “mau gosto musical” até traição, passando por mau cheiro, etc. Ok, é uma brincadeira. Ok, não devemos levar este tipo de coisa a sério. Mas será que  Hitman: Absolution e o Agente 47 merecem este tipo de marketing? Maneira bem estranha de promover um jogo: fornecer aos fãs (ou não) uma ferramenta que tem tudo para dar início até mesmo a xingamentos e diversas baixarias.

Não sou conservador, nem nada do tipo. Só achei que o Hire Hitman é (ou pode se tornar) uma brincadeira de mau gosto. Fossem as razões e as características trocadas por opções hilárias, inocentes ou, quem sabe, por opções que não dessem margem a possíveis mal entendidos e/ou constrangimentos, tudo bem. Podemos criar listas enormes, aqui, sem correr o risco de ofender ninguém.

Atualmente as redes sociais possuem um grande poder. Conheço diversos casos de pessoas que passaram maus bocados justamente nestas redes. Tudo bem que em muitos dos casos grande parte da culpa pode ser creditada às próprias vítimas, por agirem sem cautela e, por exemplo, divulgarem informações que jamais deveriam ter sido inseridas em um “Facebook da vida”, por exemplo.

Mas abrir espaço para que mais problemas ocorram é bem estranho, ainda mais quando quem abre tal espaço é uma empresa ligada à indústria dos games. O Hire Hitman poderia ser muito bacana. Muito legal. Poderia ser também um ótimo complemento ao petardo que é Hitman: Absolution.

Mas infelizmente não é, devido a alguns detalhes que podem fazer toda a diferença do mundo. Dados do usuário do Facebook são levados em conta no momento da realização do trabalho, etc. Um vídeo é também gerado e pode ser compartilhado com o futuro “assassinado”.

Tudo bem, é apenas uma brincadeira. E não pense você que eu sou do tipo de pessoa que acha que jogos violentos incitam a violência, por exemplo: não tem nada a ver. Mas acho que bom senso nunca é demais. Além disso, não acho que seja necessário apelar desta forma. Mas, claro, esta é a minha opinião.

Abaixo você pode conferir um vídeo do Hire Hitman:

[Atualizado] O site hire.hitman.com saiu do ar. Ou melhor, agora ele redireciona o usuário para hitman.com. O vídeo acima também não está mais disponível. Será que já ocorreu algum problema?

Pin It on Pinterest