Conquista desbloqueada

Já disse por aqui que, apesar de considerar as conquistas (ou achievements) do Xbox 360 um grande avanço, uma inovação e tanto, etc e tal, não sou um “maníaco” por elas. Para mim elas são apenas uma consequência, e não jogo pensando única e exclusivamente em obter mais e mais conquistas e aumentar meu gamerscore.

Bom, segundo o CEO da Gearbox, Randy Pitchford, a inclusão de conquistas fáceis em um game pode aumentar as vendas deste em até 40.000 unidades. Segundo Pitchford, os “caçadores de conquistas”, que decidem suas compras de games baseando-se principalmente nos achievements, compram provavelmente ao redor de 20 títulos por ano. Ele parece considerar este tipo de gamer um “cliente vip”.

Ainda segundo o CEO da Gearbox, é recomendável que os desenvolvedores de jogos tornem a obtenção de conquistas algo fácil, simples de ser realizado. E ainda por cima, Stephen Toulouse, que trabalha na Live, na Microsoft, disse que as conquistas ajudam a impulsionar as vendas de jogos.

Bom, estatísticas são estatísticas, e opiniões divergem de pessoa a pessoa. Concordo que o número de pessoas que não sossegam enquanto não fazem lá os 1000/1000 em um game é bem grande, mas sou da opinião de que isto não é tudo. Onde fica a diversão? Será que uma busca frenética e, muitas vezes, cansativa, por uma conquista não leva a um estado tal onde o game em si é deixado de lado, e o que sobra é sofrimento e, quando o objetivo não é alcançado, frustração?

O mercado é uma coisa, e a idéia de tornar a obtenção de conquistas mais fáceis (para impulsionar as vendas, como dizem) tanto faz, pelo menos para mim. Mas enxergo aí, mais uma vez, aquela velha idéia de vender a qualquer custo, custe o que custar. Capitalismo, fazer o que? 🙁

Mas para mim um game é um game. Conquistas, uma consequência. A diversão, o enredo, a jogabilidade, a imersão, isto sim, é o importante. E você, o que pensa disto tudo? 🙂

Fonte: Edge Online

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest