Em Setembro do ano passado escrevi um pequeno preview a respeito de um jogo chamado Betrayer, primeiro trabalho do estúdio Blackpowder Games. Me chamou bastante a atenção, na época, o fato do jogo contar com gráficos em preto e branco, basicamente, com alguns elementos um tanto quanto berrantes, em vermelho.

O jogo se encontrava, na época, em acesso antecipado (Early Access), no Steam, e hoje está sendo lançado, para PC, através da mesma plataforma. O jogo já se encontra finalizado, e conta com alguns detalhes bastante interessantes em relação à parte gráfica.

Betrayer_1

Através de algumas novas opções gráficas, podemos deixá-lo (quase) do jeito que quisermos, ou seja, podemos fazer com que saia o preto e branco e cores entrem na “jogada”. Tudo pode ficar muito mais, digamos, “natural”, e uma belíssima e verdejante vegetação pode, se assim quisermos, substituir a imensidão monocromática.

Vale lembrar que a desenvolvedora de Betrayer, a Blackpowder Games, é formada em sua maioria por gente que trabalhou na Monolith e participaram da criação de F.E.A.R. A empresa foi fundada em 2013, e já em 2014 entrega seu primeiro trabalho, veja só que bacana. A equipe de desenvolvimento consiste de 6 pessoas: Blake Hirsch, Craig Hubbard, David Longo, Larry Paolicelli, Brad Pendleton, e Charles Wes Saulsberry III.

Betrayer é um jogo com perspectiva em primeira pessoa, repleto de ação, aventura e mistério. Mistérios, aliás, de diversos tipos. Em alguns momentos, chega a ser assustador. Temos um enorme mundo aberto à nossa disposição, e a história se passa no século 17. Mais precisamente em 1604.

Betrayer

O protagonista, ao invés de encontrar uma colônia “viva”, se depara com um universo estranho, com fantasmas, com mistérios e com mensagens estranhas escritas em papéis. Isto sem falar nos estranhos soldados que nos atacam com bastante frequência, criaturas, diga-se de passagem, que mais se parecem com mortos-vivos.

Exploração é algo bastante importante no jogo, e tudo indica que a vida naquela terra foi modificada, de alguma forma, por algo bastante maléfico. Esta modificação, claro, está relacionada com a ausência de cores que notamos logo de início (ou não, caso você dê uma modificada).

Você pode fazer com que as cores voltem ao jogo, como demonstro em algumas screenshots neste texto, mas aí, em minha opinião, grande parte do mistério e da graça do jogo vão-se embora. Em Betrayer também podemos utilizar ação furtiva para darmos cabo dos “soldados do além”, vale lembrar.

Betrayer

Betrayer é o tipo de jogo que temos vontade de criar desde que lançamos FEAR. Você pode explorar ambientes grandes e abertos em buscas de pistas e saques. Você pode enfrentar os desafios agressiva ou furtivamente. Você pode utilizar o equipamento que melhor se adapta ao seu estilo de jogo. É uma experiência fortemente conduzida pelo jogador“, disse Craig Hubbard, game designer e escritor.

Algo bastante legal no jogo, também, é como o ambiente trabalha para aumentar a sensação de medo e/ou suspense. A vegetação, as árvores, os pássaros, os animais. Tudo isto pode começar a silenciar (ou o contrário, também), aos poucos, o que pode ou não significar a aparição iminente de algo assustador.

Mas esta antecipação, a experiência em si, apareça ou não algo estranho, já é bastante interessante. E quando a noite cai, quando determinados itens no cenário, após ativados, trazem a escuridão consigo juntamente com outros tipos de seres apavorantes, é impossível não pensarmos que aquele ambiente também ficaria muito bem para uma aparição ou outra de Alma Wade.

Betrayer

Mas isto não é tudo. Temos de explorar, pesquisar, ler notas, lutar, encontrar armas e munição. Por que as cores foram “drenadas”? Por que somos atacados? Quem é a garota de vermelho? Como e por que aqueles fantasmas conversam conosco? O que eles fazem ali, ainda? O que são aqueles seres petrificados em Forte Henry, por exemplo? Por que aquele vermelho forte continua se sobressaindo, no meio de armaduras, baús, construções, etc?

Veja abaixo o trailer de lançamento do jogo. Ele já se encontra à venda no Steam (não está mais em Early Access), e custa R$ 24,99:

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest