Cada vez mais sinto uma certa estranheza em relação à EA. Infelizmente, aliás, algumas franquias famosas e sensacionais estão sob as asas da publisher. John Riccitiello, CEO da companhia, andou comentando a respeito dos planos que esta tem para se afastar do 3D e caminhar em direção a jogos sociais e online. “Nós realmente percebemos altos rendimentos nestes mercados, e retornos muito pobres com foco no 3D, então nós estamos alocando nossos recursos em direção a inovações. Francamente, não temos visto uma grande adoção dos jogos em 3D. Nós não temos visto uma grande adoção de TV’s 3D em casa, pelo menos não ainda. Nós não estamos aqui tentando conduzir um mercado. Estamos aqui para reagir ao que os consumidores estão procurando“, disse Riccitiello.

Minha pergunta é: será que estamos mesmo desejando nos afastar de jogos em 3D, de experiências em 3D, etc? Estará a grande maioria dos consumidores de jogos eletrônicos buscando pelo que Riccitiello menciona? Ao dizer que sua empresa não está tentando conduzir um mercado, o CEO da Electronic Arts dá mostras justamente do contrário, se observarmos suas palavras anteriores e até mesmo a guerra da EA contra o Steam. É óbvia a intenção de dar mais atenção a jogos casuais, online e sociais, por parte da EA. Além do mais, ela adquiriu a PopCap, não é? Mas quer dizer que toda e qualquer inovação agora se originará nestes “nichos”? Muito estranhas tais palavras, vindas da boca do CEO de uma empresa que possui franquias como Mass Effect, Dragon Age, Need For Speed, Dead Space, Battlefield, The Sims, etc. Todos estes são títulos “sociais”, ou fogem do 3D?

Me parece que a Electronic Arts está meio que perdida ou, quem sabe, não tem a mínima idéia do que significa a palavra inovação. Talvez eles devessem perguntar ao último estúdio que adquiriram, ou à legião de desenvolvedores independentes. Talvez um mínimo de bom senso e humildade seja necessário nas mentes da turma da EA.

Há espaço para o 2D, assim como há espaço para o 3D. O mesmo se pode dizer de jogos casuais, sociais ou online, sejam eles em duas ou em 3 dimensões. Não há nada que impeça, aliás, o “casamento” dos dois, como é o caso do impressionante “El Shaddai: Ascension of the Metatron“. Posso até estar enganado, mas não vejo problemas no 3D. O problema está no fato da EA, agora, acreditar que pode determinar o futuro da indústria de jogos eletrônicos. “Retorno muito pobre”? Ah, faça-me o favor.

(Via: Gamesindustry)

Pin It on Pinterest