A conferência da Microsoft na E3 2010 terminou há pouco, e o sentimento que ficou, pelo menos comigo, foi de frustração. Era a conferência na qual eu apostava quase todas as minhas fichas, digamos, e percebo que estava enganado. Tudo começou bem. Call of Duty: Black Ops, Metal Gear mandando muito bem, co-op de Gears of War 3 com 4 jogadores e gráficos belíssimos (tirando a roupa do Marcus Fenix) e o Kinect sendo demonstrado.

Tudo indo muito bem, o Kinect reconhecendo vozes, gestos, etc. O Xbox parecia um cachorrinho nas mãos (e/ou vozes) dos caras. “Xbox stop” pra lá, “Xbox deita” pra cá, e por aí vai. Ok, brincadeira a parte do “Xbox deita”. Mas a coisa toda ficou monótona porque, depois de um início estrondoso com o Black Ops, tudo o que vimos foi o Kinect e suas “inúmeras” possibilidades. Quem vai precisar de academia depois que a Ubisoft entrou com seu game “geração saúde” para o Kinect?

E o Kinect Sports? Deixaram tudo de uma tal forma que parecía que estávamos assistindo a uma conferência da Nintendo (nada contra a empresa e seus games, ok) e não a conferência “bombástica” da Microsoft. Deram tanta ênfase no Kinect em si, enquanto sensor, câmera, etc, que se esqueceram de que não é só disso que vive um gamer. Faltou alma, ali.

O pior de tudo foi observar a cara de “empolgação” dos demonstradores. A menininha que jogou o Kinectimals talvez tenha sido a única realmente empolgada, ali, e vale ressaltar que as reações do felino eram muito realistas. Kinect Adventures não foi (nem vai ser) muito diferente de Kinect Sports, e ao final de tudo veio a grande pequena pergunta: “E…?”

Ok, posso parecer um tanto quanto pessimista aqui, mas a conferência foi decepcionante. Seus melhores momentos foram o início e o fim, com Black Ops e o anúncio do Xbox 360 Slim, com wi-fi, respectivamente. Sim, ele foi anunciado e já vai para as lojas. Bonitão, estiloso, HD de 250 GB e talvez seu anúncio tenha sido deixado para o final para arrancar os esperados aplausos da platéia. Gears of War 3 também foi muito empolgante, isto não posso negar.

Ficou também aquela vontade de saber mais sobre o Star Wars que foi demonstrado por pouquíssimo tempo, e o Kinect + games de corrida não me empolgou nem um pouco, a não ser a parte de abrir a porta do carro, etc. É aquela coisa: muitas vezes cria-se um hype tão grande em torno de determinado produto que, inconscientemente, até, achamos que seremos obrigados a gostar do resultado final. E desta vez isto não aconteceu.

Não que o Kinect não seja fantástico. Ele é, mas continuo dizendo: ele tem seu público alvo, e não é para mim. Agora mais do que nunca. Não me vejo usando o aparelho. E a conferência da Microsoft durante a E3 2010, digam o que disserem por aí, estava, sim, “amarrada” ao Projeto Natal/Kinect. Por isto deixaram de lado tanta coisa boa que poderia ter ajudado a melhorar a experiência e acabaram focando somente no Kinect, que vai ser lançado no final do ano, quase perto do natal.

Sinceramente, agora temos que ficar de olho no que está por vir, e aproveitar tudo de bom que a E3 2010 tem para nos mostrar, o que com certeza não é pouco. Um de nossos parceiros, o Guri de Apê, estava conosco cobrindo a conferência, e o pessoal de lá possui opinião semelhante à minha. Aliás, já estão preparando a cobertura da conferência da Electronic Arts.

Que as próximas conferências e notícias sejam empolgantes, pelo amor de Deus. 🙂

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest