Confesso que prefiro jogar em consoles, prefiro mesmo, apesar de possuir e comprar com certa frequência games para PC, também. O Steam que o diga. 🙂

De qualquer forma, qualquer gamer sabe que para rodar os games mais atuais, os AAA’s, os grandes lançamentos, os games com gráficos belíssimos e games como “Crysis”, por exemplo, é necessário ter-se uma máquina que pelo menos tenha uma placa de vídeo decente, com 128 ou 256 MB de memória, por exemplo, além de um processador também poderoso.

Placas de vídeo onboard estão totalmente descartadas do universo do PC gamer. Isto, além de diversos outros fatores muito importantes que têm de ser levados em conta, tais como: tipo e velocidade do HD utilizado, placa mãe, memória, configurações, etc.

São todos fatores que exigem uma grande dose de conhecimento por parte de quem está montando a máquina, e os tais PC’s “prontos” que são vendidos por aí, os quais, segundo os vendedores, são preparados para games, nem sempre dão conta da tarefa.

O melhor computador para games da América Latina vale R$ 18.000,00

Bom, durante a “Campus Party”, o administrador de redes Éder Martins apresentou seu “brinquedinho”, dizendo que ele é o PC mais potente da América Latina, informação esta, entretanto, que não pode ser confirmada. Mas de qualquer forma, os detalhes do computador do Éder impressionam qualquer um, a começar pelo seu visual, com Neon pra tudo quanto é lado.

Uma configuração super robusta

A configuração do Super PC assusta, pois tudo é, digamos, exagerado, ou melhor, tudo é “super”. O PC possui 5 placas de vídeo de última geração, sendo que uma é usada apenas para cálculos de física nos games. É, nem só o hardware importa, saber o que se está fazendo também é importante.

O HD desse super PC para games roda a 10.000 RPM e possui 6 terabytes de espaço, e o Éder ainda diz que nem tem como calcular a quantidade de memória RAM que o computador possui, pois são GB e mais GB que ele já adicionou, visando garantir a melhor performance possível, é claro. Ou melhor, ajudando a compor este fantástico conjunto que deixa qualquer um babando de inveja.

Aliás, haja tempo, disposição e conhecimento para conceber um projeto assim, não (isto sem falar no custo)? Pois tudo deve funcionar como um relógio, a fonte tem que suportar o enorme consumo de todo este aparato, o PC deve incluir coolers de excelente qualidade visando uma perfeita refrigeração do processador e do conjunto todo, o gabinete deve ter um tamanho suficiente para acomodar todas as placas, HD’s, etc, e o sistema operacional também deve ser otimizado ao máximo, para que nada saia errado. E existem muitas, muitas coisas ainda a serem verificadas, que não vou citar aqui para não fugir muito do assunto.

Upgrades constantes e um PC gamer convicto

O administrador de redes, que com certeza é um expert no assunto, atualiza seu super computador com frequência, e já pensa em comprar uma nova placa de vídeo Gforce, que tem nada mais nada menos do que 1 GB de memória.

Além disso, ele visivelmente prefere a plataforma PC a qualquer console atualmente existente no mercado, e acredita que qualquer comparação entre jogos rodando em consoles e jogos rodando em seu PC será tempo perdido, pois seu PC apresentará sempre melhor desempenho. Também, com uma configuração dessas, não é de se duvidar, não é? 🙂

Finalizando

Achei esse super PC formidável, de verdade. Só que eu, por exemplo, utilizaria os R$ 18.000,00 que o cara gastou para montar essa máquina em outra coisa. Prefiro jogar em consoles, como disse acima. Prefiro um bom controle em minhas mãos do que o conjunto teclado + mouse.

Mas tudo é questão de gosto e situação. Há games, por exemplo, que ficam estranhos em consoles. Games no estilo ““point-and-click“, por exemplo: é muito mais fácil jogá-los com o mouse. Um “Civilization IV”, um “Sim City” ou um “Age of Empires”, por exemplo, são também “desenvolvidos com o PC em mente”, apesar de existir um “Sid Meier’s Civilization Revolution” disponível para o Xbox 360, no Xbox Live Marketplace, por US$ 29,99.

Nunca o joguei, por isso não posso dar minha opinião a respeito. Mas o que quero dizer, finalizando, é que tanto faz jogar no PC ou em consoles, desde que voce se divirta e se adapte à plataforma que escolher. E se escolher jogar em ambos, melhor ainda: você terá muito mais títulos à disposição.

Aliás, será que o Éder não é um cliente assíduo do Steam não? 🙂

(Via: G1 – onde você também pode ver fotos do sensacional computador)

Pin It on Pinterest