Neste exato momento, o OUYA já arrecadou US$ 5.059.626,00 através do Kickstarter, com 39.683 backers. A vaga de 95 dólares, que dá direito ao console, já se esgotou, e a de 99 (que também dá direito ao aparelho) conta com 33.097 backers. Será que o console OUYA, este “novo tipo de console”, que rodará Android e que, segundo seus desenvolvedores, trabalhará principalmente com jogos free-to-play, se tornará mesmo uma realidade?

Bem, falta de apoio não poderá prejudicar o projeto, pelo menos a princípio. Além de Julie Uhrman, a fundadora (GameFly, IGN e Vivendi), o OUYA conta com o apoio de Adam Saltsman (Canabalt), Ed Fries (um dos pais do Xbox), Yves Béhar (One Laptop Per Child) e da Unity Technologies.

Além disso, os responsáveis pelo projeto divulgaram nos últimos dias que a NVIDIA também está ajudando bastante, e trabalhando em conjunto com eles para maximizar o desempenho do chipset Tegra 3 que será utilizado no console. Profissionais de ambas as empresas se reuniram no dia 12 de Julho, aliás.

Já foi confirmado também que, além do Wi-Fi, o videogame virá com uma porta Ethernet. A Meteor, publisher responsável pelo vindouro Hawken, também manifestou grande interesse no OUYA, através de seu CEO, Mark Long. Acesso antecipado aos desenvolvedores também é algo que está sendo considerado pelos responsáveis pelo projeto, vale lembrar.

Muffi Ghadiali

Muffi Ghadiali

E hoje foi divulgado mais um nome de peso que está trabalhando na criação deste console de videogame que já arrecadou mais de 5 milhões de dólares. Trata-se de Muffi Ghadiali, que já foi gerente de produto na Lab126 (subsidiária da Amazon.com), onde trabalhou na linha Kindle. Ghadiali, aliás, mencionou que saiu da Lab126 para se dedicar ao OUYA. Ele era uma das “armas secretas” do OUYA, e é uma espécie de responsável pelo projeto como um todo, incluindo hardware e software.

Eu saí da equipe de produtos da Lab126, onde trabalhava na linha Kindle – hardware e software. Eu trabalhei todos os dias com a engenharia, design de produto, design industrial, operações, cadeia de fornecimento e garantia da qualidade.

Me juntei ao OUYA porque vi, desde o início, o potencial para uma tecnologia aberta mudar a maneira como os games funcionam. Os jogadores são únicos. Eles são sofisticados e seguem os produtos desde a primeira ideia até sua chegada ao mercado. Para um cara ligado a produtos, como eu, isto é emocionante.

Estamos recebendo muito feedback, grande apoio e muitas perguntas. Algumas vezes, recebemos perguntas difíceis, mas elas me mantém no topo do meu jogo. O fato de que o Kickstarter facilita um diálogo direto com os futuros usuários é muito legal. Meu trabalho no OUYA é garantir que estamos correspondendo às necessidades dos jogadores e desenvolvedores“, disse Muffi Ghadiali.

Ghadiali já trabalhou com set-top boxes, dispositivos de streaming e portáteis, serviços de conteúdo e diversos outros produtos relacionados. Ele também diz que o novo console pode ser perfeitamente construído por menos de US$ 99,00 (mas não menciona qual seria o custo total de fabricação), e diz que até mesmo jogos “intensos” (no sentido de pesados) rodarão no aparelho. OBS: o ex-funcionário da Amazon também diz que a empresa está em busca de mais engenheiros, para contratação.

Bem, de um lado podemos, é claro, contar com grande desconfiança por parte de grandes publishers, bem como com o fato de que o OUYA até agora nada mais é que um protótipo (itens relacionados e preocupantes, é claro). Por outro, as expectativas são enormes e o projeto parece muito promissor. Além disso, 99 dólares por um conjunto que inclui um console e um controle (inclusive com touchpad) é um preço fantástico, e dependendo do jogador o aparelho poderá até mesmo se transformar em uma ótima alternativa ao Wii U.

Teremos também um videogame cujo catálogo será composto única e exclusivamente (pelo menos no início) por títulos de desenvolvedoras independentes, e este fato pode ser tanto um problema quanto motivo para uma grande revitalização na indústria de jogos eletrônicos, uma vez que percebemos sinais de cansaço em diversos setores relacionados e diversos gêneros carecem de inovação quando olhamos para muitos jogos oriundos das “gigantes”.

Se o OUYA “vingar”, ele pode ser um grande aliado do PC. Uma segunda máquina de jogos para os PC gamers, até, ou inserir de maneira massiva uma grande quantidade de novos jogadores no mercado. E aqueles que dizem que a próxima geração de consoles pode ser a última podem estar certos.

Pelo menos em parte, uma vez que teremos, delineando aqui uma hipotética situação futura, um mercado composto por um “console repleto de extras” e por PCs. A presença da NVIDIA e de Muffi Ghadiali conta muito, é claro. Mas nesta vida não podemos ter certeza de nada. E se o OUYA “não virar”? Você acredita nesta hipótese? Ou no contrário? Eu torço para que ele chegue ao mercado, e chegue “arrebentando”.

O que você pensa disto tudo?

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest