É notável como Deus Ex: Human Revolution consegue nos prender. Falo por experiência própria. Todas as noites tenho de jogar pelo menos um pouco, para tentar aplacar minha ansiedade. Quero saber mais a respeito do protagonista, dos acontecimentos que levaram ao seu “acidente” (e que resultaram em sua atual situação de “augmented”), da Sarif Industries e até mesmo do próprio David Sarif, principalmente depois que o sarcástico Francis Pritchard revela algumas coisas a Jensen.

A atmosfera cyberpunk do jogo é fantástica. Caminhando pelas ruas você se depara com outros “ciborgues” que chegam a mencionar que, perto de você, eles parecem “coisas de segunda linha” (ou algo assim). O jogo conta com um enredo complexo, você não pode sair atirando para todos os lados sem planejar bem suas ações, pois morrer, em Deus Ex: Human Revolution, é muito fácil, e basta um movimento errado e você atrairá sobre si enorme e perigosa atenção.

É fantástico o modo como a Eidos Montreal e a Square Enix conseguiram criar um título que é belo, profundo, desafiador, imersivo e que possui personagens muito interessantes, além de ser verdadeiramente algo novo, diferente e que provoca grande prazer ao ser jogado. Diversas discussões no decorrer do gameplay podem resultar até mesmo em maiores dificuldades ou facilidades para o Adam Jensen, e isto é algo notável em tempos onde são lançados simples jogos de tiro onde o negócio é “atirar, correr, se esconder, aguardar o vermelho sumir da tela, voltar à luta, atirar, etc”. Aliás, uma empresa independente também conseguiu desenvolver um fantástico FPS que representa, de certa forma, uma volta aos bons e velhos tempos dos jogos de tiro em primeira pessoa, além de ser belíssimo e extremamente cativante.

Bom, Deus Ex: Human Revolution é, sem dúvida, um dos maiores candidatos a game do ano, ou a qualquer prêmio similar que tenha por objetivo valorizar um trabalho extremamente bem feito. Em Outubro será lançado o DLC “The Missing Link“, para as versões Playstation 3, Xbox 360 e PC do título. Trata-se de um DLC, em minha opinião, sensacional. A Square Enix ainda não divulgou o seu preço, mas de qualquer forma, as primeiras informações divulgadas são muito interessantes. A trama de Deus Ex: Human Revolution já é repleta de conspiração, e “The Missing Link” contribuirá bastante para aumentar tudo isto.

Adam Jensen sumirá por 3 dias. Depois de ser torturado por agentes da Belltower Associates, Adam acaba tendo suas “augmentations” desativadas. Ou seja, o super Adam Jensem deixa de existir, neste momento, e isto é muito interessante, pois desde o início do título joga-se com a idéia de que estamos controlando uma super máquina de matar. Será muito interessante jogar com um Adam Jensen desprovido de “cloak mode”, por exemplo.

“The Missing Link” colocará nas mãos do jogador um protagonista praticamente “humano”, pelo menos no sentido de não contar com nenhuma melhoria física. Ele terá de se valer única e exclusivamente de seu “lado humano”, digamos, para tentar escapar de um cargueiro que se dirige a um local desconhecido. Lutando para sobreviver no navio, Adam acaba descobrindo outros níveis da conspiração. Coisas que ele jamais havia imaginado.

Os jogadores poderão, ou, quem sabe, deverão, tentar fazer amizade com personagens misteriosos, e também terão de lutar, é claro. “The Missing Link” também trará novos ambientes a Deus Ex: Human Revolution, além de novos personagens. Também será possível, é claro, reconstruir o Adam Jensen da forma como o conhecemos (ou um pouco diferente, quem sabe). Em um jogo que oferece diversas possibilidades de abordagem a diversas situações, este DLC me parece muito interessante.

Assista abaixo ao teaser trailer de “The Missing Link”:

Link para o vídeo em 720p:

http://www.youtube.com/watch?v=ulwWp4txAWc&hd=1

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest