Parece que o caso GeoHot versus Sony não tem mais fim, e agora, os problemas começam a se desdobrar em mais de uma vertente, colocando a privacidade de executivos e funcionários da fabricante do Playstation 3 em perigo. Tudo porque um grupo de hackers que se auto-denomina “Anônimos” resolveu entrar na briga e “tomar as dores” do GeoHot. É como eu disse, a Sony poderia ter acabado com todo este problema bem antes, sem tanto alarde, e sem, talvez, a necessidade de processos. Aliás, o GeoHot bem que poderia agora fazer parte do quadro de funcionários da gigante japonesa, hein?

Os “Anônimos” se declaram responsáveis por diversos ataques DDoS que diversos sites da Sony sofreram nos últimos dias, e ainda estão empenhados em ataques pessoais. Eles têm em mente obter detalhes pessoais dos funcionários da Sony e utilizá-los em fraudes. Sabe-se lá o que essa gente, com esses dados em mãos, fará. No mínimo, provocarão dores de cabeça enormes para muita gente. E o pior de tudo: todos nós sabemos que quando esses caras querem, eles conseguem.

Os gamers donos de um PS3 também podem eventualmente sofrer algum problema em relação à utilização da PSN. A Sony chegou inclusive a mencionar este fato em um tweet. Aparentemente, os “Anônimos” declararam mesmo guerra contra a Sony, e um dos grandes males disto tudo é que suas ações, direcionadas à Sony e, infelizmente, também ao seu quadro de funcionários (o que por si só já é complicado), acabam por prejudicar os jogadores. O próprio PlayStation Blog chegou a ficar inacessível, aliás.

Tudo isto é realmente lamentável. Esquecendo por um momento a enorme voracidade com a qual a Sony partiu para cima do GeoHot (a qual, entretanto, sob um ponto de vista mais pessimista não foi nada estranha), qual é o cenário que pode ser visualizado agora? Uma empresa meio que “refém” de gente que não conhece, contra os quais, pelo menos por enquanto, não conseguiu lançar nenhum ataque que provocasse algum “dano”, e gamers e funcionários passando por inúmeros problemas.

É triste também observar o quão rápido determinados grupos conseguem se reunir e agir em prol do mal. Isto tudo terá um fim, é claro. Mas até lá: quantos serão prejudicados? Quantas fraudes serão perpetradas? Quantos gamers ficarão sem jogar? Quanta gente perderá noites de sono?

Sei lá. Acho que não era caso para tanto. Se a Sony tivesse “pegado leve”, quem sabe, e chamado o GeoHot para uma conversa, as coisas poderiam agora estar normalizadas. Mas, grandes empresas jamais pensam como nós, “meros mortais”.

(Via: Gamesindustry.biz)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest