Sim, Elite: Dangerous me pegou de jeito. Você pode também saber mais um pouco sobre o jogo em meus dois primeiros textos a seu respeito (além de algumas experiências pelas quais passei), aqui e aqui.

Agora eu gostaria de falar um pouco a respeito das novidades introduzidas (ou liberadas) no jogo com o lançamento da versão Gamma (no último sábado), versão que marcou também, claro, o encerramento oficial da fase beta.

Elite: Dangerous

O planeta Terra

A Frontier Developments divulgou um comunicado a respeito, e alguns detalhes são, digamos, bem “apetitosos”. Para começar (creio até que eu já deva ter escrito sobre isto), a galáxia inteira está liberada, com seus 400 bilhões de sistemas estelares, incluindo o nosso.

Muitos jogadores foram “lançados” para sistemas bem distantes daqueles onde se encontravam antes da versão Gamma, mas esta também é uma ótima oportunidade para exploração, para conhecer novos sistemas, para descobrir novas oportunidades. Obviamente, backers do Kickstarter tiveram a chance de escolher suas “posições iniciais”, de acordo com seus respectivos tiers.

Elite: Dangerous

Nova nave Orca

Além disso, todos os que adquiriram o jogo em pré-venda terão acesso a partir de 26 de Novembro (amanhã) a missões singleplayer de combate que funcionarão como tutoriais. Missões de treinamento, digamos.

Uma companion app também foi lançada para Elite: Dangerous, por enquanto, apenas para iOS (versões para dispositivos Android e Windows Phone devem ser lançadas até o final do ano, segundo a desenvolvedora). Através deste aplicativo, será possível ficarmos de olho em novidades e também acompanharmos o progresso de nossos personagens.

Também vale a pena mencionar a Premiere de Elite: Dangerous, que aconteceu no “RAF Duxford Imperial War Museum” no último sábado, 22 de Novembro. O evento foi transmitido ao vivo, via Twitch.tv, mas também pode ser conferido agora mesmo, através do Youtube. Vale lembrar que também faz parte do “pacote” suporte a resolução 4K, Track IR e Oculus Rift.

Elite: Dangerous

Piratas

Tenho “perdido” muito tempo em Elite: Dangerous. Durante estas “andanças” todas, acabei encontrando algumas ferramentas muito bacanas, também, as quais ajudam bastante durante o gameplay:

Elite Advisor

O site conta com ferramentas para planejamento de rotas, incluindo recomendações, e também informa as rotas de comércio mais rentáveis, de acordo com uma série de parâmetros que o jogador deve informar. Também é possível simplesmente informar o destino desejado, o local de início, créditos em caixa e outros fatores, para obter o melhor caminho. Isto dentre outras coisas bem legais. Não é perfeito, mas vale a pena conhecer. Visite

Thrudd’s Elite: Dangerous Trading Tools

Outra ferramenta que tem a ver com rotas. Informações para obtenção de melhores lucros, etc. Visite.

Changodock

Outra ferramenta para obtenção das melhores rotas. Informe a origem, o destino, o modelo de sua nave, quantidade de carga e massa, etc. O sistema informará a quantidade de saltos necessários, e quais sistemas farão parte do “passeio”. Visite.

Algumas considerações

Vale lembrar que com os recentes updates, as ferramentas acima podem precisar de um tempo até estarem em melhores condições, digamos, após as devidas atualizações por parte de seus criadores e/ou da comunidade.

Elite Dangerous Voice Pack (para uso em conjunto com o Voice Attack)

Ao contrário das ferramentas acima, esta é uma ferramenta paga. Trata-se de um pacote (Elite Dangerous Voice Pack) para ser usado em conjunto com o software Voice Attack. Basicamente, com este conjunto, você poderá comandar sua nave através de comandos de voz. Parece ser bem interessante, embora eu ainda não tenha testado. Conheça.

Por enquanto é isto. Em breve mais histórias do CMDR Nyhone Maulerant. 😀

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest