Um estudo conduzido pelo Laboratório de Psicofisiologia da “East Carolina University”, que vem estudando pessoas com mais de 50 anos e os possíveis benefícios que games casuais podem provocar em indivíduos que se encontram nesta faixa etária, pode provar que estes games seriam benéficos, por exemplo, a portadores do Mal de Alzheimer, dentre outras doenças similares.

Os games casuais, segundo o estudo, poderiam ajudam a aprimorar as habilidades cognitivas, e representam um ótimo exercício mental para os idosos. Isto sem falar, é claro, na diversão proporcionada, fator também muito importante. O estudo mediu certas funções mentais dos participantes, e para isto foram utilizados games da “gigante dos casuais” PopCap.

Os participantes jogavam algumas partidas por cerca de meia hora, durante as análises, e os pesquisadores encontraram evidências de que isto aumentou suas habilidades e respostas cognitivas, dentre outros achados bem interessantes.

Isto é mais do que óbvio, e é muito bom saber que pesquisadores sérios estão encarando os games com mais seriedade, objetividade e menos preconceito. Os games representam um (excelente) passatempo, e não existe qualquer motivo para que uma pessoa, seja de que idade for, seja privada de tal passatempo. É claro, existem os fatores monetários, que muitas vezes são impeditivos, e também games que não devem ser jogados por crianças. Mas além disto, os jogos são, sim, um excelente e válido passatempo.

Uma fantástica maneira de aprender, se divertir e treinarmos nosso cérebro. E a menção à PopCap é mais do que justa e/ou necessária, pois games como Plants vs. Zombies, Bejeweled, Peggle, Insaniquarium, Zuma’s Revenge, etc, são uma ótima maneira de mantermos nossa mente “sempre alerta”, treinada e, o melhor de tudo: com muita diversão. 😉

(Via: Joystiq)

Pin It on Pinterest