Caixa Halo 3: ODSTConforme vou jogando a campanha de Halo 3: ODST, mais boas impressões vou tendo a respeito deste game exclusivo para o Xbox 360. Para quem inicialmente não iria comprar o game, e até mesmo não tinha muitas expectativas em relação ao mesmo, é um grande salto. Me surpreendi desde o primeiro momento, desde quando carreguei o jogo pela primeira vez. A introdução, com as “letras subindo” na tela, já dá uma boa idéia do que vem pela frente, e o que se segue é uma sucessão de acertos por parte da Bungie e da Microsoft.

Um pouco do enredo

É simplesmente fenomenal caminhar pela cidade de Nova Mombasa abandonada após uma invasão dos Covenant. Como ressaltei anteriormente, você “encarna” diversos personagens, e um deles é o “novato” (ou rookie). Na verdade, o principal é o novato, o restante são “flashbacks jogáveis”. Mas é com o novato que você passeia solitariamente por New Mombasa. É fantástico caminhar pela cidade desolada e passar por carros abandonados no meio da rua com o alarme tocando incessantemente. A imersão provocada pelo conjunto cenário + música + enredo é fantástica.

É muito legal topar com grupos de inimigos durante as perambulações pela cidade, e participar de um instigante tiroteio. O mapa, acessível através do botão “Back” do controle, permite que a “navegação” seja segura, e dá uma idéia bem clara dos objetivos.

Tais objetivos, é claro, são objetos os mais diversos deixados pelo pessoal do seu pelotão, objetos estes que possuem um dispositivo sinalizador que permite, então, que você chegue até eles. Nestes momentos, então, rolam os tais “flashbacks”, onde você assume a personalidade dos outros integrantes do pelotão, voltando assim algumas horas antes no tempo.

Romeo, Mickey, Dutch, etc: todos integrantes do mesmo pelotão que você, com os quais você, uma hora ou outra, irá interagir, seja controlando-os, seja participando ao lado deles de alguma missão. Não existem palavras para descrever a sensação de, junto com alguns do seu pelotão, no topo de um prédio e no controle de uma torreta lança-foguetes (você pode, é claro, escolher outra arma, posicionamento ou tática, no momento), atirar contra naves inimigas que, além de atirarem contra seu grupo ainda fazem desembarque dos alienígenas para que estes tentem derrotar seu grupo no local.

Halo 3: ODST

A mira do lança-foguetes é um outro show à parte: ela até se trava no inimigo. 🙂 Só mesmo jogando para sentir a emoção, a ansiedade, o frenesi e tudo de bom que o jogo oferece.

Gráficos

Os gráficos estão bonitos. Melhores do que os de Halo 3, como já mencionei anteriormente. Nada inovadores, nenhuma engine mirabolante foi utilizada, nem tampouco deve-se esperar algo espantoso neste sentido. Entretanto, cumprem bem o seu papel, e sou obrigado a concordar com aqueles que dizem que os gráficos não são tudo em um jogo.

No ODST, tudo faz parte de um conjunto (gráficos, jogabilidade, música, enredo), tudo trabalha de modo uníssono para proporcionar ao gamer uma experiência sem igual. O modo de visão VISR realça, ilumina e detecta inimigos e amigos, porém torna-se um empecilho em lugares claros. Algo muito natural, aliás, e que aumenta a realidade do game.

Halo 3: ODST - Soldado

Música

A música está de parabéns. A trilha sonora foi composta por Martin O’Donnell e Michael Salvatori, que já trabalharam em games anteriores da franquia. Existem trechos em que podemos ouvir um saxofone, e até mesmo uma guitarra. Lindíssima, épica, penetrante, envolvente, e ajuda a aumentar ainda mais a imersão.

Mais comentários e impressões

Uma das várias coisas legais em Halo 3: ODST é uma história que é contada através de terminais que o novato encontra pela cidade. Trata-se de gravações em áudio contando a história de uma garota durante a evacuação da cidade, seus contatos desesperados com o pai, seu contato com um delegado de polícia “sem vergonha”, etc. Não vou revelar mais detalhes aqui para não estragar a surpresa, mas é muito legal. 🙂

Halo 3: ODST - New Mombasa

Bom, finalizando, estou adorando jogar a campanha deste game. Para mim, que comecei minha imersão no universo Halo através do Halo 3 (já li bastante a respeito, entretanto, para me ambientar), está sendo uma experiência única. É um game que valeu cada um dos R$ 159,00 pela versão nacional, isto sem contar com o fato de que agora tenho todos os mapas já lançados para Halo 3 (no segundo disco).

Se você ainda não comprou, e está na dúvida, espero que minhas impressões sobre o jogo te ajudem a decidir. Só o que posso dizer, para finalizar mesmo, é o seguinte: trata-se de algo estupendo. 🙂

Dê uma olhada no vídeo review abaixo, mesmo que não entenda inglês, pois as imagens falam por si próprias:

Link direto para o vídeo:

http://xbox360.ign.com/dor/objects/852871/bungie-project-2/videos/haloodst_vdr_091909.html

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest