Há tempos acompanho todo o hype em torno de StarCraft II: Wings of Liberty, e apesar de minha “passagem” pelo primeiro título da franquia ter sido fugaz (para não dizer que joguei pouquíssimo), comemorei bastante quando ouvi as primeiras notícias falando da vinda da Blizzard para o Brasil. Bom, StarCraft II foi lançado oficialmente no Brasil, totalmente localizado (em português do Brasil), e um evento no Morumbi Shopping foi promovido pela Blizzard para comemorar tal lançamento.

Evento mais do que necessário, pois a Blizzard, em minha opinião, lançou o game aqui a um preço muito bacana, principalmente com a possibilidade de comprarmos a versão ilimitada, via download (também localizada). E em se tratando de um jogo aguardado por tantos anos (o primeiro StarCraft foi lançado em 1998), temos mais é de comemorar um acontecimento assim. Isso demonstra a importância que as desenvolvedoras enxergam no mercado brasileiro, e a importância que os games possuem, mesmo que uns e outros ainda insistam em dizer o contrário.

Comprando StarCraft II: Wings of Liberty

Segundo o press release que recebi da Blizzard Brasil, e até mesmo pelo que se pode perceber ao se pesquisar no site Battle.net, existem duas versões de StarCraft II: Wings of Liberty. Existe a versão digital e a versão em caixa. Ambas rodam no Windows XP, no Vista e no 7. Está disponível também uma versão para Mac. A diferença entre as duas versões (digital e em caixa) está na duração de cada uma delas. Enquanto a versão em caixa, vendida nas lojas por R$ 49,00, libera 6 meses de utilização do game, seja singleplayer ou multiplayer, a versão digital é ilimitada e custa R$ 105,00.

Segundo a Blizzard, é possível comprar-se a versão de 49 reais e depois pagar-se uma assinatura mensal de R$ 10,00 para continuar jogando StarCraft II. Além disso, mesmo quem comprar a versão “limitada”, em caixa, poderá realizar posteriormente o upgrade para a versão ilimitada, pagando uma taxa adicional de R$ 69,00. Não foi informada, entretanto, a data em que este upgrade estará disponível, só o que foi dito é que ele será oferecido ainda este ano.

De qualquer forma, os valores são bem próximos (versão em caixa + upgrade e versão ilimitada), portanto, se você estiver interessado no game, tiver condições de comprar a versão digital e não se importar em não ter em mãos a caixa, o manual impresso, o DVD, etc, escolha a versão digital. O pagamento pode ser realizado através de cartão de crédito ou até mesmo através de boleto bancário.

Durante a compra, aliás, ou até mesmo antes, é possível criar sua conta junto ao Battle.net, o qual foi totalmente redesenhado, vale ressaltar. O site/serviço, além de possuir um visual belíssimo, conta com recursos que visam promover a integração da comunidade de gamers e também centralizar informações sobre StarCraft II: Wings of Liberty e os demais games da Blizzard, como por exemplo World of WarCraft.

Baixando StarCraft II: Wings of Liberty

StarCraft II já impressiona desde seu download, desde que você tenha um pouco de paciência, é claro. Após realizar a compra, você deverá baixar um executável com mais ou menos 3 MB. Este é o gerenciador de download que baixará os cerca de 7 GB de dados necessários para a instalação do game. O gerenciador de download exibe informações detalhadas a respeito da taxa de transferência, da conexão, etc. Meu firewall estava tornando o download um pouco lento, e como eu estava com um pouco de pressa, desabilitei a opção para “transferência ponto a ponto”, o que faz como que todos os arquivos sejam baixados diretamente dos servidores da Blizzard.

Possuo uma conexão de 6 mbps, e ao realizar este procedimento, a taxa de transferência que estava em torno de 20-30 KB/s aumentou para cerca de 500-800 KB/s. O gerenciador de downloads também possui uma opção mediante a qual é possível visualizar-se uma expécie de log que contém tudo o que está sendo realizado. Muito interessante.

Instalando StarCraft II: Wings of Liberty

Após o download, a instalação é iniciada automaticamente, e uma voz feminina começa a narrar todo o “background”. Telas muito bonitas vão sendo exibidas, as quais contém informações e imagens. Além disso, vale ressaltar que em determinado momento a narração cessa, mas você pode ouvir novamente (ou ler, pois tudo o que é narrado pode ser lido) as sessões que desejar, avançando ou retrocedendo através de controles exibidos na própria tela de instalação.

Antes da instalação, aliás, você pode visualizar o manual do game. Um arquivo .PDF contendo muitas informações interessantes e valiosas. Esta introdução durante a instalação do game ajuda o jogador a “entrar no clima do jogo”, pois é acompanhada também de uma música muito bonita e épica.

No primeiro acesso, é solicitado que você crie sua conta junto ao Battle.net ou então efetue login com seu usuário e senha. Logo em seguida, é necessário criar seu personagem no jogo. Vale ressaltar que, terminada a instalação, o game busca automaticamente por atualizações.

Jogando StarCraft II: Wings of Liberty

Neste Hands on joguei alguns tutoriais, a fim de me ambientar no modo campanha do game e também para me acostumar com os controles. A primeira impressão que se tem, ao se acessar a interface do game, é a de que se está entrando em algo extremamente futurista. A cor azul meio que predominante, em contraste com o cinza metálico que também se percebe em toda a interface do game, controles e menus, passa uma impressão ao mesmo futurista e ao mesmo tempo suave. Trata-se de um game onde toda a navegação é muito intuitiva, apesar da grande quantidade de opções.

O fato de tudo estar em português ajuda bastante, é claro, e não deixo de imaginar quantos novos jogadores a Blizzard conseguirá pelo fato de ter lançado StarCraft II em português do Brasil. A tela de loading deixa bem claro que você está “entrando em um game de estratégia”, e durante os tutoriais, você é guiado por uma entidade muito estranha.

Trata-se de uma espécie de ciborgue feminina com uma voz bem bonita (me parece, aliás, que se trata da mesma narradora da instalação). Tutoriais que ensinam os seguintes tópicos podem ser jogados:

  • Interface de usuário;
  • Controles de câmera;
  • Deslocamento;
  • Combate;
  • Construção;
  • Coleta;
  • Produção;
  • Suprimentos;

Estratégia e mais estratégia

Ah, como eu adoro isso. 🙂 Sou louco por games de estratégia, sejam eles baseados em turnos ou em tempo real, e esta série sempre foi, digamos, o “supra-sumo” do gênero. StarCraft II é um RTS, ou seja, um “Real Time Strategy”, um jogo de estratégia em tempo real. Aliás, ao acessar o game pela primeira vez o que me veio à mente logo de cara foi o game brasileiro OutLive, desenvolvido pela (finada, pelo que se sabe) Continuum. Gerenciamento e produção de recursos, coleta, suprimentos, etc: adoro lidar com tudo isto em um game.

Algo muito interessante durante o tutorial é o fato da “professora” ir destacando os pontos, controles e diversos itens na tela, conforme vai falando sobre eles. Nada é deixado de lado, inclusive a questão de você trabalhar como uma espécie de general que controla seu exército “de cima”.

Gráficos muito bonitos e bem acabados dão o toque final no que, com certeza, é um dos maiores lançamentos de 2010. Um game esperado por muitos, muitos jogadores. Posso dizer que é um tanto quanto estranho jogar um game totalmente em português após tantos anos acostumado com games em inglês. Entretanto, ao mesmo tempo, é uma experiência e tanto, pois tudo foi executado com muito primor. A voz “aveludada” da entidade que narra o tutorial é muito bonita, como já disse acima, e durante o tutorial você pode conhecer todos os recônditos da tela, bem como suas respectivas funções.

Nos combates, é interessante a maneira como cada unidade pode ser individualmente selecionada e verificada. Os soldados são meio fanfarrões, vale ressaltar. “- É bom valer a pena”, “-Cara, quero tirar esta porcaria de roupa”, “- Quem quer levar porrada?” e “Você vai me dar ordens?” são algumas das frases e perguntas pronunciadas pelos mesmos conforme você os seleciona. É muito divertido. A energia de cada um deles pode também ser facilmente visualizada: basta clicar sobre o soldado desejado. É possível também selecionar mais de um soldado/unidade ao mesmo tempo, como de praxe neste tipo de game.

É claro que estas são minhas primeiras impressões a respeito de StarCraft II: Wings of Liberty. Em breve publicarei mais artigos sobre o game. Pelo que pude ver, a coisa é vasta. Diversas opções de ataque e controles estão disponíveis. Controle total sobre o modo como os ataques serão realizados lhe é dado. Informações precisas sempre ao alcance de um clique. Um belíssimo, desafiador e divertido game de estratégia que, para quem aprecia o gênero (e para quem nunca jogou um RTS, que tal começar por StarCraft II?), é um paraíso.

Minhas primeiras impressões a respeito desta aguardada sequências são as melhores possíveis. Jogar um game totalmente em português é estranho, mas você se acostuma. Todos os elementos in-game, bem como a trilha sonora, são muito bem desenvolvidos, e é muito fácil “perder” horas e horas em um jogo assim.

E, temos de nos lembrar de que o lançamento oficial de StarCraft II: Wings of Liberty no Brasil é um marco. Este fato representa algo muito importante para nós, gamers.  Significa que não estamos em um país esquecido pelas grandes desenvolvedoras. Aliás, a atitude da Blizzard corroborou aquilo que já é óbvio: o Brasil é um grande mercado.

O lançamento oficial de StarCraft II no Brasil significa que podemos, quem sabe, aguardar por mais lançamentos semelhantes. Mais empresas se estabelecendo por aqui. Afinal, se a Blizzard conseguiu,  por que outras empresas também não conseguiriam?

Estou dentro. Aguardem por mais informações em breve, meus caros. Estou adorando StarCraft 2. 🙂

Pin It on Pinterest