Minha ansiedade por Bulletstorm era enorme. Tão grande que optei por sua versão PC, devido à maior agilidade no recebimento do produto, digamos. Os tão falados Skillshots e a promessa de um FPS que iria trazer algo novo a este estilo tão saturado me fizeram quase que adorar o game antes de jogá-lo. E claro que eu jamais chegaria a este ponto: disse isto, desta forma, apenas para dar uma idéia a vocês do quão ansioso eu estava pelo jogo.

Desenvolvido através de uma parceria entre a Epic Games, desenvolvedora da Unreal Engine 3 e da famosa série Gears of War e a polonesa People Can Fly (na verdade uma subsidiária da própria Epic Games), Bulletstorm é sensacional. Sensacional por fugir do simples “mata mata” no qual muitos “First Person shooters” acabam caindo, uma hora ou outra, de maneiras as mais diversas, que não vêm ao caso aqui e que, no entanto, cansam. Não que não tenhamos excelentes games de tiro em primeira pessoa tradicionais no mercado. Não estou dizendo isto. O que quero dizer é que Bulletstorm lança uma grande dose de inovação sobre o estilo e, como consequência, nos apresenta muita diversão, dentre outros fatores.

O armamento e alguns dos elementos do cenário, vale ressaltar, possuem alguma semelhança com o que podemos visualizar em Gears of War. Vale ressaltar, entretanto, que este é mais um artigo da série “Jogando e comentando“, portanto, não se trata de um review, e irei emitindo minhas opiniões a respeito do game conforme for avançando no mesmo. Jogo capturando screenshots, aliás, e cada um dos artigos a respeito deste título impressionante conterá algumas destas imagens capturadas durante o gameplay.

Os desenvolvedores conseguiram implementar algo genial neste título. Estou falando de algo que, desde o início do gameplay, pode ser apreciado em grande estilo. Trata-se dos Skillshots, os quais resultam em skillpoints. Estes skillpoints podem ser utilizados para a realização de upgrades em seu armamento ou para a compra de habilidades especiais. Trata-se de uma espécie de moeda dentro do jogo, a qual você ganha, é claro, se fizer a coisa certa.

E por “coisa certa” estou me referindo às mais diferentes maneiras de matar que estão disponíveis, maneiras estas que são os tão falados Skillshots. Você pode provocar a morte de um inimigo chutando-o contra a parede. Você pode, utilizando um acessório chamado Leash, o qual dispara uma espécie de raio que agarra os inimigos e os trás em sua direção, chutá-los, lançá-los contra paredes ou outros elementos no cenário, ou até mesmo atirar em suas cabeças. Ah, headshots também são recompensados.

Espalhados pelo caminho, se encontram  os Dropshops. Estes são ativados mediante a utilização de sua Leash. A partir daí, você pode conferir quantos skillpoints possui acumulados e o que é possível fazer com eles. É surpreendente como conseguiram transformar o que, aparentemente, seria um simples FPS, em um “FPS Plus”. E que Plus”!

Você pode matar inimigos lançando explosivos contra eles (chutar os explosivos também vale) ou então atirando em cargas próximas aos mesmos. Você pode matar através do lançamento de inimigos contra superfícies pontiagudas. Você pode atirar no traseiro dos caras. Você pode atrair um inimigo com a Leash e então chutá-lo. Você pode atirar nas bolas do inimigo. 😀 Tudo isto representa Skillshots, e te fornece skillpoints. Use-os à vontade. Bulletstorm conta até com uma Skillshot Database, a qual inclusive informa quanto vale cada “peripécia”. Durante o jogo, em meio aos tiroteios, a tela vai se enchendo de nomes de Skillshots e seus respectivos valores, tão logo você os realiza.

Grayson Hunt, o protagonista, representa uma cena muito engraçada no início do game. Vale dizer, por enquanto, que ele começa o game bêbado. A partir daí, você experimentará momentos bem loucos. Grayson e seu grupo descobrem que o General Sarrano havia traído a confiança de todos. Vale ressaltar que Grayson fazia parte de um grupo de mercenários chamado Dead Echo, o qual, sob o comando de Sarrano, matava inocentes enquanto achavam que estavam assassinando criminosos (spoiler necessário, mas básico 🙂 ).

Isto provoca enorme fúria em Grayson, principalmente durante a conversa com Sarrano durante a qual as coisas foram postas a limpo. Sarrano foi meio que sarcástico e arrogante, na ocasião. Grayson, também, é protagonista de algumas atitudes impensadas. Uma delas, indiretamente, provoca um sério problema a um membro de sua equipe, chamado Ishi Sato. Este “problema”, entretanto, ao mesmo tempo trás vantagens e desvantagens, sob certo ponto de vista, pois Ishi se tornou, digamos, “turbinado porém dependente de certos ítens nem sempre disponíveis”.

Mas um dos maiores charmes de Bulletstorm são os Skillshots. Trata-se de um FPS que vai além do gênero, e permite que o gamer experimente inúmeras maneiras de causar destruição, de matar, de jogar. É possível, é claro, simplesmente sair atirando em tudo e em todos e mesmo assim ganhar alguns skill points acidentais. Mas o bacana mesmo é matar com estratégia. Com classe. “Kill with Skill“. 🙂

Seja criativo na hora de apertar o gatilho, ou de chutar seus inimigos, ou de mandá-los para o “beleléu”, e seja recompensado por isto. O próprio game impele o jogador a realizar mais Skillshots, e isto acaba se transformando em um vício. Mesmo quem não aprecia muito o gênero FPS poderá se divertir bastante com este jogo, pois ele é uma verdadeira raridade. Ah, você também pode deslizar pelo chão, durante qualquer momento do gameplay, o que aumenta ainda mais o leque de possibilidades no tocante ao que fazer para ganhar uns pontos a mais, por exemplo.

Até o momento, joguei cerca de 2 horas e meia de Bulletstorm, e estou extremamente impressionado com a criatividade expressa em cada mínimo detalhe. Vale lembrar que sou um jogador fuçador e observador, portanto, qualquer jogo demora mais para mim. Os gráficos do jogo são impressionantes. Desenvolvido com a Unreal Engine 3, o mesmo nos apresenta cenários maravilhosos e repletos de detalhes que saltam aos olhos sem que sequer tenhamos de prestar muita atenção.

Cenários amplos, personagens grandalhões que contam com uma animação facial fantástica, etc. Tudo isto você pode conferir neste divertidíssimo título, o qual, já estou prevendo, vai me fornecer bons momentos de diversão. Até o momento, Bulletstorm está sendo tudo aquilo que eu esperava, e muito mais.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest