Section 8 foi lançado no final de 2009 para PC, Xbox 360 e Playstation 3. Deve ser um jogo muito conhecido, é claro. Desenvolvido pela Timegate Studios, o jogo a princípio “não me convenceu”. Grande parte deste “não convencimento” foi culpa minha, confesso. Cheguei a julgar o game (o que quase nunca faço) sem sequer jogá-lo. Finalmente descobri que Section 8 é um título muito interessante, bonito e repleto de pequenos detalhes que podem muito bem absorver muitos gamers apreciadores de um bom FPS por horas.

A Timegate Studios acabou de lançar uma sequência para Section 8. Trata-se de Section 8: Prejudice, jogo que também foi lançado para Xbox 360, PC e Playstation3. Desta vez, porém, o lançamento ocorreu através de distribuição digital. Isto, além de ter contribuído para reduzir bastante o preço do jogo, também causou enorme agilidade na entrega, como se sabe. Aliás, Section 8: Prejudice já está disponível na Xbox Live, por 1200 Microsoft Points, e em pré-venda no Steam, por US$ 13,49. Após seu lançamento no Steam, o preço do jogo vai para US$ 14,99. Considero barato, tendo em vista o que o game irá oferecer.

Voltando a Section 8, o primeiro, confesso que nesta segunda chance que dei ao game estou me divertindo bastante. Apesar dos clichês, da semelhança com outros FPS’s futuristas e de alguns elementos comumentemente vistos em outros títulos do gênero, Section 8 consegue proporcionar muita diversão e chega até a viciar, devido aos seus pequenos detalhes que, no final de tudo, fazem grande diferença. Além disso, seus gráficos são bem agradáveis.

A Timegate utilizou o sistema SpeedTree para dar mais realismo à vegetação, e também utilizou a Unreal Engine 3 durante o desenvolvimento do game. Trata-se de um game bonito e com elementos presentes no gameplay que aumentam bastante a “felicidade visual” do jogador. Objetos metálicos reflexivos, rochas com aparência muito bonita, efeitos de iluminação competentes, design de armas bem interessante, etc.

A história de Section 8 é básica: trata-se da guerra entre o exército alienígena conhecido como Arm of Orion contra a 8ª Infantaria Blindada, da qual você faz parte, é claro. O protagonista se chama Alex Corde, e é promovido logo no início do jogo. A ação ocorre em mapas grandes nos quais você cai, literalmente. A velocidade é enorme, e você deve acionar uma espécie de freio que reduzirá a velocidade e, então, permitirá que você obtenha um certo controle a respeito de onde vai cair.

Existem diversos elementos interessantes em Section 8, a começar pelos “Deployable suply depot”. Trata-se de equipamentos onde você pode customizar sua armadura e realizar alterações no tocante às armas que carrega, bem como itens adicionais. Aqui, também, você pode recarregar seu armamento, e alterar a classe de seu personagem. É meio que estranho encontrar um destes “Deployable suply depots” em meio a um árido deserto, por exemplo. Mas, enfim, vamos supor que alguém os lançou ali e pronto. 🙂

É muito bacana a maneira como você pode adquirir e aguardar o teletransporte de diversos itens para o campo de batalha, por exemplo. Você consegue inclusive observar uma espécie de holograma representando o equipamento, no local onde ele será entregue. Em uma recente missão, tive de proteger uma nave da 8ª Infantaria caída que continha um membro de sua tripulação ainda vivo. Pude então solicitar o teletransporte de diversas torres de defesa, similares às que utilizamos em alguns jogos estilo tower defense, e “plantá-las” ao redor da nave, para ajudar no combate contra o grupo de alienígenas que estava vindo.

Em um outro momento, pude também solicitar um tanque, o qual foi bem útil, aliás. Vale ressaltar que você conta com a ajuda de alguns companheiros, em combate, e todos sofrem danos (aliás, fogo amigo é possível, tome cuidado). Você possui um equipamento que pode tanto ajudar a restaurar a sua energia vital quanto a de seus companheiros. Além disso, sua armadura possui uma funcionalidade fantástica: assim que você começa a correr por alguns segundos, a velocidade é fantasticamente aumentada. Você corre vertiginosamente, a partir daí, até que a energia do traje se esgote. Mas não se preocupe: ela se regenera em poucos segundos. Vale destacar também que, fora das “correrias”, o personagem é um pouco lento.

Sua armadura também conta com jetpacks, e você pode utilizá-los em combate. O único problema é que os inimigos também contam com esta ferramenta; isto torna os combates, entretanto, muito mais dinâmicos e movimentados. Você pode também fixar a mira de sua arma em determinado inimigo, facilitando bastante a sua vida.

Os cenários passam uma impressão de grandiosidade tremenda, e ainda vou conferir o quão longe posso ir, nas mais diferentes missões. Em determinados momentos você é “preso” dentro de uma área que inclusive é demarcada no próprio mapa, mas isto não ocorre com muita frequência e sempre antecede alguma ordem ou algo do tipo.

Section 8 não é o melhor FPS existente, nem tampouco um dos melhores games de 2009, nem nada semelhante. Mas é um game muito bom. Suas falhas estão, talvez, na falta de originalidade do enredo e nos controles que, em alguns momentos, não respondem muito bem. Isto não atrapalha, porém, o gameplay. Também é importante ressaltar que o controle do tanque não é nada amigável, principalmente no início. Os sons também não possuem nenhum elemento marcante, mas se há algo que também deve ser destacado no game são os rostos dos personagens: dado o nível do jogo, a época em que foi lançado, etc, achei a modelagem facial muito boa, bem como o sincronismo labial.

A trilha sonora de Section 8 quase passa despercebida, também vale ressaltar. Mas, acima de tudo, vale destacar que este é um game bonito e que pode muito bem divertir você por um bom tempo. Além disso, ele está à venda no Steam por meros US$ 9,99. Lembro que quando o comprei paguei mais do que isso, e já havia deixado de lado meu, digamos, “preconceito inicial” em relação ao título.

Infelizmente, entretanto, ele permaneceu “encostado” em minha conta no Steam. Voltei a jogá-lo e estou gostando bastante. Principalmente agora, com Section 8: Prejudice “na área”, quero mais é finalizar seu antecessor. A Timegate prometeu uma série de melhorias para Prejudice, tanto em relação ao gameplay quanto em relação aos gráficos. Acredito que desta vez ela acertou, tanto em relação ao game em si quanto em relação ao modelo de distribuição.

O site de Section 8 continua no ar, aliás. As estatísticas são atualizadas, e o fórum continua em atividade. Consegui até encontrar gente no multiplayer. Acredito que por meros 16 reais, Section 8 seja uma aquisição e tanto. O game, em minha opinião, vale bem mais do que isto. E enquanto isto, ou seja, enquanto aguardamos pelo lançamento de Prejudice no Steam, vamos dar uma olhada no belo trailer de lançamento do mesmo:

Link para o vídeo em 720p:

http://www.youtube.com/watch?v=TUwiXSh0kdQ&hd=1

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest