Porque não merecemos pagar pelos erros de interpretação de quem “entende” que os games são “supérfluos”. Porque ser gamer não significa que estamos todos “nadando em dinheiro”. Porque já sofremos bastante com a abusiva carga tributária do Brasil, onde grande parcela das empresas “quebra” pouco tempo após sua abertura.

Porque a indústria de games deve ser vista em nosso país através da mesma ótica otimista através da qual é vista em outros países. Porque a Blizzard viu algo no Brasil que infelizmente muitos brasileiros não enxergam, principalmente aqueles que “vivem” na “esfera governamental”. Por que o título deste artigo faz uma pergunta e seus dois primeiros parágrafos contêm algumas respostas? Porque o Projeto Jogo Justo, idealizado por Moacyr Alves Júnior, caso consiga mesmo fazer com que a carga tributária absurda que é aplicada sobre games e afins em nosso país seja reduzida, poderá corroborar todas elas.

Agora em Novembro o Jogo Justo irá até Brasília e mostrará, lá no Distrito Federal, todos os porquês. Todas as vantagens em se “diminuir a carga tributária dos jogos vendidos no Brasil, onde os games passariam de R$ 250,00 para R$ 99,00“. Empresários e legisladores precisam entender que é muito mais vantajoso vender-se 10 games a R$ 99,00 ao invés de 4 a R$ 250,00. Uma loja de games trabalhando em um regime tributário que a permita vender mais pagando menos impostos terá muito mais “bala na agulha” para contratação de funcionários, investimentos, melhorias, etc. O fisco também será beneficiado, pois preços reduzidos  aumentarão as vendas e, consequentemente, o valor da arrecadação.

Demorei para escrever este artigo, e gostaria de apresentar minhas desculpas. Acompanho o Projeto Jogo Justo há algum tempo, e espero que o Moacyr e seu pessoal consiga realmente fazer com que todos iniciemos 2011 já com novidades. Aliás, o Twitter do Jogo Justo constantemente divulga notícias relacionadas, e se vocês acompanharem, poderão perceber que muita coisa boa está vindo por aí. Vamos aguardar e torcer.

O XboxPlus apoia e admira o Jogo Justo. Espero, também, que tudo dê certo, e que o Jogo Justo traga justiça aos gamers. Grandes empresas, nacionais e internacionais, já apoiam formalmente o Jogo Justo. Então, acredito que seja questão de tempo até todo este sonho se transformar em realidade.

Não é justo que grande parcela dos brasileiros seja privada do ótimo passatempo que os vídeo-games representam. Não é justo que grande parte do povo brasileiro sequer tenha contato com as obras de arte que pululam no mundo dos vídeo-games. Não é justo que games sejam enxergados como algo única e exclusivamente para crianças, nem tampouco que estas tenham seu acesso aos mesmos proíbido (muitas vezes por questões financeiras).

Não é justo que games sejam mau vistos, quando fazem parte de uma indústria que, se não suplantou, está há poucos passos de suplantar a do cinema. É por este motivo que eu tenho muito apreço pelo projeto, e o apoio totalmente. Vamos jogar de forma justa. E isto vale para todos. Em todos os sentidos. 🙂

Pin It on Pinterest