Free-to-play é um termo que se tornou meio que comum na indústria de jogos eletrônicos, ultimamente. Muitas empresas acabaram descobrindo que algumas vezes oferecer o jogo de forma gratuita e cobrar, então, pelos mais diversos itens in-game é uma ótima solução. Algumas empresas responsáveis por alguns MMORPGs, então, acabaram lucrando ainda mais depois que passaram a adotar o modelo F2P.

A Electronic Arts possui seu próprio “selo”, digamos, de jogos gratuitos. Trata-se do Play4Free, o qual já atingiu a marca de 25 milhões de jogadores no mundo todo. Existem diversos jogos Play4Free da EA, como por exemplo Battlefield Heroes com seus gráficos cartunescos e Need for Speed World. Cada um destes dois games, aliás, atingiu a marca de 10 milhões de jogadores registrados no início deste mês. Um número bem “interessante”, não?

Além destes dois jogos acima mencionados, os seguintes também fazem parte dos jogos gratuitos da EA: Battlefield Play4Free, Dragon Age Legends, Battleforge, Lord of Ultima e Warhammer Online: Wrath of Heroes. Todos estes jogos, juntos, contam com 25 milhões de jogadores ao redor do mundo, e em comemoração a este sucesso todo, a EA está oferecendo dois presentes à comunidade. Através dos códigos abaixo, qualquer pessoa poderá resgatar itens especiais em alguns títulos Play4Free da empresa.

Jogadores de Battlefield Heroes receberão 300 Battlefunds, os quais poderão ser utilizados para a compra de diversos itens dentro do jogo, como armas, widgets, etc. Já os jogadores de Need for Speed World receberão, ao resgatarem o código relacionado ao jogo, 750 SpeedBoost. Os códigos seguem abaixo:

Battlefield Heroes

EQ9M-TYYT-TXR3-5GU3

Need for Speed World

EWPD-3KGA-VBVF-9HYS

OBS: vale lembrar que o resgate dos códigos acima poderá ser realizado até amanhã, 17 de Janeiro de 2012.

Desenvolver uma comunidade de 25 milhões de jogadores é uma conquista notável. É uma prova do crescimento explosivo do mercado free-to-play e um reflexo do comprometimento da EA em liderar a transformação digital. Planejamos continuar a inovar nesta categoria, introduzir novas experiências de jogo que encantem os jogadores e fazer com que eles retornem sempre. Para nossas equipes, este é um momento incrivelmente emocionante para criar games, conforme o público continua a crescer e a se diversificar“, disse Sean Decker, vice-presidente do Play4Free, na EA.

Jogos online também são capazes de exibir números bem interessantes, muitas vezes. A EA menciona que, desde o lançamento de Battlefield Heroes, mais de 8 bilhões de balas foram disparadas, e quase 532 milhões de mortes ocorreram no jogo. Já Need for Speed World foi palco de mais de 15 milhões de corridas.

Já para este mês a EA promete novidades para Need for Speed World, aliás. Vários novos veículos serão lançados (vamos somente observar, entretanto, qual será o custo dos mesmos, pois já vi alguns carros caríssimos neste jogo), e em relação a Battlefield Heroes, a empresa lançará uma série de novas armas e roupas. O MMO free-to-play Command & Conquer Tiberium Alliances, anunciado em Dezembro, o qual está à cargo do estúdio Phenomic, já está em closed beta.

Este “nicho” descoberto por pequenas e grandes empresas, o do free-to-play, ou F2P, parece ser realmente muito vantajoso. E para ambos os lados, desde que os jogos e suas lojas não sejam criados de forma tal a fazer com que jogadores pagantes consigam “pagar para vencer”.

Ocorre que diversos jogos online contam com cash shops tão desequilibradas que somente usuários que conseguem comprar itens especiais e extremamente vantajosos conseguem jogar de forma plena. Estes jogadores literalmente pagam para vencer, e aí o jogo, em minha opinião, perde quase que totalmente seu valor, uma vez que é criada grande distinção entre pagantes e não pagantes, sendo que estes últimos passam a fazer parte de uma espécie de limbo virtual que “apanha” bastante e raramente se diverte.

De qualquer forma, jogos free-to-play estão cada vez mais “na moda”. Isto não é ruim, é claro. A EA, assim como diversas outras empresas, descobriram uma outra maneira de lucrar com jogos eletrônicos, mesmo que não estejamos falando de grandes franquias. Outras formas de rentabilização também podem se tornar comuns, com o decorrer do tempo. O GamersGate FreeGames é algo também bem interessante. A Blizzard costuma tratar seus títulos de uma maneira bem especial, a qual se assemelha, pelo menos para quem não adquire os títulos, a uma prestação de serviços. O usuário pode, é claro, optar se deseja comprar a versão full por um valor maior ou pagar a devida mensalidade e parar de jogar no momento em que bem desejar.

O mundo dos games está mesmo em constante mudança. E no meio disto tudo, os jogadores muitas vezes sofrem uma verdadeira overdose de títulos, modelos de negócio e lançamentos. E você, o que pensa disto tudo?

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest