Em tempos de distribuição digital, com tantos títulos à nossa disposição (comprados muitas vezes apenas para aproveitar uma boa promoção) e muitas vezes pouco tempo para a eles nos dedicarmos, é bem comum termos ótimos jogos “parados” em nossas filas. Isto aconteceu e acontece comigo frequentemente, e é muito gratificante quando descobrimos ou redescobrimos ótimos games que se encontravam “perdidos” em nossas coleções.

Just Cause 2 foi uma recente e grata surpresa para mim. Obviamente eu já sabia a respeito do enredo do jogo (acompanhei todo o “barulho” em torno dele, até mesmo antes de seu lançamento), já havia jogado alguns minutos e havia gostado muito do que tinha visto. Entretanto, redescobri o jogo nos últimos dias, no PC, e estou simplesmente maravilhado. Com a liberdade que ele nos dá, com a ação e com a diversão que ele proporciona. Lançado em 2010 e desenvolvido pela Avalanche Studios, temos aqui um jogo de mundo aberto simplesmente fenomenal. Aqui, podemos dizer que o termo sandbox pode ser utilizado com muita propriedade.

Just Cause 2

Em Just Cause 2 (seu antecessor foi lançado em 2006) temos novamente como protagonista o agente Rico Rodriguez. Rico agora se encontra na ilha fictícia de Panau (outrora um aliado dos Estados Unidos), onde o ditador Pandak “Baby” Panay instituiu um regime opressivo e acaba se tornando o alvo maior de Rico. O agente da Agency (engraçado, não?) também tem de lidar com Tom Sheldon, seu antigo mentor, sobre o qual paira a suspeita de traição.

Existem na ilha três facções que lutam contra o governo, aliás: os “Roaches”, os “Reapers” e os “Ular Boys”. Rico pode se aliar a todas estas facções e realizar diversos tipos de missões para elas. Homens de cada um dos grupos também o acompanham em algumas situações, como por exemplo quando se trata de ocupar fortalezas.

Este é, digamos, o pano de fundo para um jogo que, apesar de contar com um enredo, com missões da Agência que devem ser realizadas, não obriga o jogador a seguir um cronograma. Just Cause 2 não é nada linear. O jogador é livre para fazer o que quiser, quando quiser, e da forma que desejar. Liberdade é um dos pontos fortes do jogo.

Just Cause 2

Começamos a nos surpreender com o jogo quando observamos seu mapa. Tudo é gigantesco. Existem diversos locais para visitarmos e até mesmo para descobrirmos. Podemos nos movimentar à vontade, de carro, de moto, de helicóptero, de avião e até mesmo utilizando lanchas. Rico também conta com um equipamento simplesmente sensacional, o grappling hook (ele também serve como arma, vale lembrar).

Saltar de penhascos e logo em seguida abrir o para-quedas, por exemplo, é uma experiência fantástica, lembrando também que o grappling hook pode ser utilizado em conjunto com o para-quedas para a realização de diversas “manobras”. Digamos, por exemplo, que você deseje “aterrissar” sobre um veículo em movimento em uma rodovia: basta se aproximar e lançar o gancho, para ser então levado rapidamente até o veículo e, se desejar (ou se for necessário), dele tomar posse.

Just Cause 2

Enquanto no comando de um veículo, também é possível realizar trocas rápidas. Salte de uma moto rapidamente para outra, depois pule para um carro, logo em seguida voe para um caminhão, e assim por diante. Carros são destrutíveis, vale lembrar, daí esta possibilidade de troca ser muito bem vinda, principalmente se você está participando de alguma fuga e/ou recebeu muitos tiros das forças do governo.

Pilotar um helicóptero e sobrevoar os belíssimos cenários de Panau também é muito bacana. É simplesmente maravilhosa a maneira como o tempo pode mudar, no jogo, de uma hora para outra. Um dia ensolarado de repente pode escurecer e você pode ter de voar em meio à chuva ou a uma nevasca. A transição entre o dia e a noite também é muito bacana.

Aliás, vale lembrar que você deve literalmente causar o caos, na ilha, através da destruição de fortalezas, propriedades do governo, estátuas de Baby Panay, provocando soldados, etc. Ao fazer isto, você vai desbloqueando mais missões das facções e também missões da Agência (estas para o devido progresso na história). Dinheiro também é ganho durante este processo, é claro, dinheiro este que você pode utilizar no mercado negro para o devido upgrade em armas e equipamentos, ou até mesmo para a compra de diversos veículos.

Just Cause 2

Existem sempre diversas maneiras de abordar cada situação, em Just Cause 2, e realmente não existe, aqui, uma “receita de bolo”. Você pode passar horas e horas roubando carros em Panau, percorrendo estradas de terra ou rodovias, destruindo o que encontrar pela frente e enfrentando as forças do governo. Você pode roubar helicópteros em quartéis e realizar fantásticos passeios sobre o arquipélago, também.

Durante tais jornadas, caso você esteja pilotando um helicóptero militar, você também pode despejar o caos sobre fortalezas inimigas e, assim, ganhar dinheiro e desbloquear mais missões. É notável como a inteligência artificial no jogo é bem desenvolvida, por falar nisso. Ao permanecer por muito tempo sobre uma fortaleza, despejando mísseis sobre ela, você ouve pelo rádio os soldados chamando apoio aéreo, caso não consigam dar cabo de você, e não demora muito tempo até que helicópteros armados cheguem e apresentem então um novo desafio.

Os cenários são repletos de itens destrutíveis, e aqueles que possuem o símbolo do governo são os que ajudam a aumentar o caos. Estes devem ser destruídos sempre ou, pelo menos, sempre que possível. “Varrer” a ilha em busca destes itens também é uma opção. Também existem diversas maneiras de matar, em Just Cause 2. É até mesmo possível utilizar o grappling hook para puxar soldados inimigos localizados em lugares altos e matá-los através da queda. Também é possível atropelá-los e utilizar veículos desgovernados como armas.

Ontem mesmo, durante uma missão onde era necessário roubar um veículo blindado para uma das facções, coloquei o carro que dirigia em direção à entrada da fortaleza, saltei dele e pude observá-lo atropelando alguns guardas. O caos foi iniciado (variações com explosões também são possíveis, utilizando ou não granadas e cargas detonáveis remotamente).

Just Cause 2

Logo em seguida entrei em combate com os diversos guardas presentes no local e fui abrindo caminho até o blindado. Assim que entrei no veículo, aproveitei para causar mais caos ainda, tanto dentro da fortaleza quanto fora dela, durante o caminho até o ponto onde deveria entregá-lo.

Os inimigos também contam com IA extremamente sofisticada, e eles tentarão flanqueá-lo, buscarão cobertura e até mesmo chamarão reforços. Assim que você cumprir determinado objetivo, você também poderá ter de sair em disparada com carros do exército em seu encalço. Tais veículos chegam até mesmo a emparelhar com o seu, e soldados começam a atirar pelas janelas: você pode fugir, pode pular para o carro inimigo, matar os soldados e dele tomar posse e, bem, existem muitas alternativas. Isto quando o apoio aéreo não é chamado e helicópteros então podem acabar com a festa rapidamente, caso você não tome cuidado.

É muito interessante também observar, durante os passeios, combates entre as forças do governo e membros de determinadas facções. Você pode passar incólume, por exemplo, agindo calmamente. Membros destas mesmas facções podem também lhe ajudar em diversas situações, e isto é algo sempre muito bem vindo.

Just Cause 2 me provoca quase o mesmo sentimento que Saints Row: The Third. Uma das grandes diferenças, entretanto, é que não temos aqui um jogo hilário. A diversão que ele proporciona é enorme, é claro, mas não encontramos aqui as situações e personagens cômicos do título da Volition. De qualquer forma, temos também aqui um jogo de mundo aberto repleto de possibilidades, praticamente sem regras (a morte de civis não é impedida, o que também não significa que você deve “partir para este lado”).

Mas esta liberdade toda é muito bacana, e de certa forma também lembra GTA. Muitas “palhaçadas” podem ser cometidas pelo jogador, vale ressaltar. Seja por inaptidão no manuseio de veículos e equipamentos, seja por vontade própria. Outro dia consegui, ou melhor, não consegui, decolar com um Pell Silvertolt 6, um dos jatos que se pode adquirir no mercado negro.

Just Cause 2

O grande problema é que realizei a compra em uma estrada tortuosa, e ao entrar no avião e tentar a decolagem acabei me enfiando no meio das árvores. Tive inclusive de saltar do jato, pois após algumas tentativas não bem sucedidas ele quase me matou. Isto sem falar em entregas mal sucedidas: você precisa prestar atenção até mesmo no local em que se encontra quando realiza as transações com o mercador. Ele pode, dependendo do local, lançar seu helicóptero ou carro recém comprado dentro d’água.

A entrega também pode simplesmente chegar tombada, o que torna o item inútil, a não ser que você consiga um outro veículo para tentar arrastá-la, mediante a utilização do grappling hook (preso nos dois elementos). Um dos grandes encantos de Just Cause 2 é justamente esta liberdade e esta ampla gama de possibilidades.

Use veículos como armas, salte de aviões ou helicópteros após direcioná-los ao alvo, para que eles causem grande explosão e caos. Utilize o grappling hook e escale construções, salte do teto de um veículo ao outro, e até mesmo roube um helicóptero em pleno voo. Sim, dependendo da situação, você pode literalmente voar para o helicóptero, assassinar um ou dois soldados e puxar o piloto para fora. A partir daí você assume, então, o comando da aeronave, e pode utilizá-la para o que bem desejar. Você pode até mesmo permanecer pendurado em helicópteros e deles saltar com grande estilo, abrindo seu para-quedas logo em seguida.

grappling hook também agiliza bastante sua movimentação: lance o gancho a pontos distantes para ser puxado rapidamente. Repita este processo em sequência e você poderá percorrer grandes trajetos com uma velocidade enorme. Até mesmo saltar de uma árvore a outra é possível, vale lembrar.

O mapa é grande, como já disse no início. Ao marcarmos algum objetivo no mesmo, podemos acompanhar a distância entre ele e Rico, em quilômetros. Podemos também utilizar lanchas e percorrer a costa, evitando assim o tráfego das estradas e possíveis encontros com as forças do governo, encontros estes que podem algumas vezes terminar em tiroteios (mas cuidado, também existem lanchas inimigas).

Enfim, da mesma forma que Saints Row: The Third, Just Cause 2 também é um enorme parque de diversões. Tenho a impressão, aliás, de que a área de jogo é muito maior, aqui, e que este tal parque de diversões acaba se transformando em um gigantesco mundo aberto pronto para nos oferecer variadas e ótimas experiências.

Este é um jogo que estou adorando. Just Cause 2 é um jogo divertido e moderníssimo.

Pin It on Pinterest