Hoje foi lançado o jogo Kingdoms of Amalur: Reckoning, obra de um verdadeiro time de estrelas (contando inclusive com Curt Schilling, ex-jogador de baseball e proprietário da 38 Studios, a desenvolvedora do título). Kingdoms of Amalur: Reckoning já recebeu notas muito boas em diversos reviews, e a IGN chegou a dizer que o game será considerado quando começarem as discussões para a escolha do “Game do Ano”.

Isto pode ser ou não confirmado, é claro, e ainda temos muito chão pela frente até que tais discussões comecem. De qualquer forma, o jogo da 38 Studios tem tudo para emplacar. O mundo de Amalur é complexo e misterioso, e Reckoning é um RPG de ação com um mundo aberto, dotado de gráficos e mecânica de combate muito bons.

R. A. Salvatore foi o responsável pelo enredo do título, enquanto o criador de SpawnTodd McFarlane, cuidou da arte. Ainda falando a respeito do time de estrelas responsáveis pelo RPG, temos o game designer Ken Rolston, o qual possui em seu portfolio jogos do calibre de  The Elder Scrolls III: Morrowind e  The Elder Scrolls IV: Oblivion,

Kingdoms of Amalur: Reckoning é uma nova IP extremamente promissora, a qual une uma profunda experiência em um mundo aberto com combates fantásticos. Segundo a Electronic Arts, o jogo possibilita milhões de combinações de movimentos, armas e armaduras, e é claro que isto resulta em uma experiência diferente para uma infinidade de jogadores.

A Electronic Arts e a 38 Studios, entretanto, revelaram algo que me deixou curioso. Trata-se do “House of Valor“, um pacote de expansão que pode ser baixado gratuitamente por quem comprou o game. O código para download está incluso em cada nova cópia de Kingdoms of Amalur: Reckoning, pode ser utilizado uma única vez e é intransferível.

Ou seja, quem comprar o game usado e desejar obter o “House of Valor” deverá comprar um “Online Pass”, o qual custa US$ 9,99. Triste, não? Bom, isto também ocorreu com a Cerberus Network em Mass Effect 2, e muita gente não reclamou, inclusive eu. Talvez trate-se apenas de uma grande cisma em relação à EA e a tantas de suas “manobras maléficas”.

O pacote de expansão  “House of Valor” adiciona sete novas quests ao título, e conta com o campeão Tyr Magnus desafiando os jogadores em uma arena. Diversos desafios serão apresentados ao gamer, e muitos deles contam com certos pré-requisitos, como por exemplo derrotar todos os inimigos sem receber nenhum dano. Não sei se este é um pacote de expansão que vale a pena ser adquirido, até mesmo porque ainda não foram fornecidas maiores informações a respeito das novas quests presentes no mesmo, e se levarmos em consideração o fato de que o jogo é enorme, podemos até mesmo descartar a compra deste pacote no caso da compra de uma cópia usada do jogo.

Esta é uma importante ocasião para toda a equipe da 38 Studios e da Big Huge Games. Eu não poderia estar mais orgulhoso por todo o coração, paixão e talento que a equipe deixou fluir ao criar o primeiro título no mundo de Amalur. Este é o início de uma longa e fantástica jornada. Estamos profundamente comprometidos com a comunidade RPG e planejamos continuar a entregar muito mais conteúdo baseado em história e ação a curto e longo prazo“, disse Curt Schilling, fundador e presidente da 38 Studios.

Espero que todo este novo conteúdo que Schilling menciona tenha não somente o propósito de ganhar dinheiro, mas também sirva para enriquecer ainda mais a experiência proporcionada pelo jogo. A menção a um primeiro título no mundo de Amalur pode significar, então, que estamos vendo o nascimento de uma nova franquia, e isto não é nada mal, desde que respeito e esmero sejam mantidos durante e após os próximos lançamentos. Espero que Kingdoms of Amalur: Reckoning continue proporcionando ótimas experiências aos jogadores, e que sua imagem não seja manchada pelo lançamento de DLCs “caça-níqueis” (termo batido, não?).

O jogo é realmente fantástico, e cada jogador pode personalizar seu personagem de forma tal que este se adeque totalmente a seu estilo de jogo. Novas habilidades e manobras de combate podem ser desbloqueadas durante o gameplay, e as paisagens misteriosas e belíssimas de Amalur representam um convite sensacional para qualquer jogador que aprecie um bom RPG.

O sistema de combate de Reckoning é extremamente dinâmico, e temos aqui um jogo extremamente profundo. Talvez a união destes dois elementos possa agradar a muita gente e conquistar uma enorme legião de fãs. Vamos ver como o jogo se sairá nas próximas semanas. E você, pretende comprar o game?

Enquanto isso, veja um vídeo de gameplay e o trailer de lançamento de Kingdoms of Amalur: Reckoning:

Trailer de lançamento:

Link para o vídeo em 720p:

http://www.youtube.com/watch?v=LyJ6WJkap_s&hd=1

Vídeo de gameplay:

Link para o vídeo em 720p:

http://www.youtube.com/watch?v=H8gmHam4krE&hd=1

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest