Segundo o The Wall Street Journal, a Microsoft estaria em discussões para a compra da Mojang, empresa responsável pelo fenômeno Minecraft. Isto é o que diz uma “pessoa com conhecimento do assunto“, segundo o WSJ.

O valor da compra poderia chegar a mais de 2 bilhões de dólares, ainda segundo a mesma fonte, e o próprio Markus “Notch” Persson, o dono da empresa, já havia dito no Twitter (como bem lembrou o camarada Aquino, do Retina Desgastada), que seu “preço é dois bilhões de dólares“:

A compra poderia, aliás, ser fechada ainda esta semana, e algo que também chega a ser bastante surpreendente é a informação de que Notch deixará a Mojang após a venda. Surpreende também o valor citado, claro.

Este é um dos mais estranhos (caso confirmado) acontecimento dos últimos tempos no mundo dos games. Estaria Notch, que inclusive não lançou Minecraft no Steam, a maior loja online de jogos para PC (primeira plataforma para a qual o título foi lançad0), cansado? Ou o dinheiro falou mais alto, como o tweet acima, de quase dois anos atrás, dá a entender (mesmo com seu tom estranho, rançoso)? E, bem, será que esta frase pode mesmo ser aplicada à esta suposta venda da Mojang?

De qualquer maneira, a possível ida de Minecraft para as mãos da Microsoft pode significar alguma coisa? Se sim, boa ou má? Será que a empresa passaria a olhar para o mercado de jogos eletrônicos para PC com mais cuidado ou carinho?

Ou, por outro lado, veríamos o encerramento de Minecraft, ou pelo menos de futuras versões e lançamentos, dentro do ecossistema da empresa, limitado aos seus dois consoles (Xbox One e Xbox 360)?

A Mojang vendeu mais de 50 milhões de cópias de Minecraft desde o seu lançamento, em 2009. O jogo é uma das maiores provas de que títulos independentes também podem fazer sucesso, independentemente de grandes ou pequenas publishers.

laugh_cry

Disponível atualmente para PC, consoles da Sony e da MS e também para dispositivos móveis e portáteis, Minecraft é, também, algo bastante único. Um jogo sem história. Uma enorme “folha em branco” para que jogadores do mundo todo exerçam sua criatividade construindo casas, castelos, fortalezas, cidades, países e uma infinidade de obras espetaculares. Um jogo que inclusive está se aproximando bastante da educação, em alguns países.

Não é possível, pelo menos a princípio, enxergar este rumor (prefiro tratá-lo assim, por enquanto) como algo positivo. Não quando ele envolve uma gigante como a Microsoft. Não é de hoje que observamos os grandes engolindo os pequenos logo após determinadas aquisições, e mesmo que no caso não estejamos falando de algo tão pequeno assim (a Mojang), os problemas podem não demorar a surgir.

Um Minecraft 2 exclusivo do Xbox One, deixando os jogadores no PC sem atualizações e sem apoio? Não duvido. Mesmo com mods e modders, ninguém pode negar que novidades como esta são sempre muito bem vindas, e causam bastante ansiedade, além de virem com novos recursos que todos irão desejar.

Minecraft - Westeroscraft

Existe também o problema da concorrência: como a Microsoft dona de Minecraft tratará outros sistemas, plataformas e empresas? Sony? iOS? Etc? Ou, melhor ainda, como ficarão aqueles que jogam nestas plataformas? E no eventual lançamento deste hipotético Minecraft 2?

Eu ainda vejo Minecraft como um grande feito na indústria de games, mostrando o poder e a força que desenvolvedores independentes podem conseguir, e não consigo gostar desta ideia. Desta aquisição, quero dizer. Claro, tudo pode ficar bem, mesmo com a aquisição. Foi dito que a Microsoft pretende usar sua posição na indústria de jogos eletrônicos para aumentar as vendas do game, e que ela também estaria pretendendo lidar com brinquedos e filmes licenciados envolvendo a marca.

Pode ser que o PC não seja renegado, também, claro. Pode ser que tudo fique melhor ainda. Mas, eu ainda prefiro pensar que tudo vai continuar na esfera dos rumores.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest