Minecraft, indie game cujos gráficos poderiam representar, pelo menos a princípio, um fator negativo, é na verdade, digamos, um sucesso, e uma prova de que games independentes, desenvolvidos com muita criatividade e por equipes muitas vezes pequenas, podem sim brigar por espaço entre os gigantes na indústria de games.

Minecraft chegou a vender US$ 350.000 em um único dia. O game custa € 9,95, o que representa mais ou menos 23 reais, e Markus Persson, o desenvolvedor, ainda completa dizendo que uma cópia de Minecraft está sendo vendida a cada 3 segundos.

É claro que temos aqui apenas a palavra do desenvolvedor como prova, mas não creio que isto seja impossível, principalmente quando falamos a respeito de indie games. Estamos falando de um “nicho de desenvolvimento” onde cria-se, na maioria das vezes, com prazer, e todos sabemos que não há nada melhor do que trabalhar com aquilo que amamos. Com prazer, com amor, com vontade e sabendo que nem só o dinheiro importa.

Minecraft é um game cujos gráficos não são nada estupendos, mas que possui um enorme encanto quando observamos tudo desprovidos de quaisquer preconceitos. Trata-se de um game com mapas gerados aleatóriamente, ou seja, jamais você jogará uma partida igual à outra. E os mapas, os cenários, são enormes. Trata-se de um game onde o esquema é vasculhar, buscar por ítens, construir coisas, etc. Um sandbox? Também. Pode ser perfeitamente enquadrado neste “estilo”.

Seus gráficos, meio que pixelados, poderiam, como já disse no início, representar um fator negativo. Mas a geração aleatória de mapas, o cuidado com os detalhes, o tamanho gigantesco de cada cenário, e o próprio encanto que games assim, simples apenas na superfície porém escondendo um mundo de maravilhas para quem neles se aprofunda, deixa os gráficos em segundo plano, se você acha que gráficos são tudo em um game. Para você, também, Minecraft pode ser uma experiência fantástica. Faça o teste.

E para mim, por exemplo, que tenho plena certeza de que os gráficos não são tudo em um game, e que achei os gráficos de Minecraft muito mais do que perfeitos para aquilo que o game se propõe, o título é fantástico. Persson mencionou que recusou ofertas de emprego na Bungie e na Valve, dentre outras, e sendo verdade, acho que ele está certíssimo. Seu game possivelmente fará muito mais sucesso ainda, e o preço por ele cobrado é ínfimo quando se observa o “mundo de opções” que ele coloca à disposição do gamer. Até inimigos existem em Minecraft, apesar de tudo indicar que eles não existem no título.

Vale ressaltar que após o lançamento oficial, Minecraft passará a custar € 20,00, o que representa algo em torno de R$ 46,00. Mesmo assim acho barato. O game se encontra em sua fase alpha, e segundo o desenvolvedor, está rapidamente caminhando para a fase beta. Até um modo multiplayer pode ser encontrado em Minecraft, e comprando o game, você obtém direito a todas as atualizações futuras, incluindo expansões. O game também é vendido sem qualquer tipo de DRM. Na verdade, ao comprar Minecraft, você recebe uma “Minecraft Premium Account”. Além disso, você obtém acesso às suas versões Windows, Linux e Mac. Sensacional, não? 🙂

Minecraft é uma verdadeira jóia rara. Dê uma olhada no vídeo abaixo e veja um pouco do game. E quando digo um pouco, é um pouco mesmo. Muito pouco. Ele possui muito mais do que os meros um minuto e meio demonstrados no vídeo:

Link direto para o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=hBmUO5YUPyI

São por estes motivos que possuo um carinho muito especial por indie games. 🙂

(Via: Edge-Online)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest