Existem muitos serviços de distribuição digital de games espalhados pela internet, mas até hoje não existia nenhuma opção brasileira. Isto mudou com o lançamento do Nuuvem, em 19 de Agosto de 2011. Tomei conhecimento do site, o qual vende jogos para PC via download de forma um tanto quanto semelhante ao Steam, ao GamersGate e a tantos outros, devido a uma dica do leitor Waelb.

O Nuuvem, que tem como empresa responsável a Diniz Comércio e Representação Ltda, funciona de forma bem simples, e é um serviço muito bacana. Troquei alguns e-mails com o Thiago Diniz (conhecido internamente como Nuuvem Tanker, pois é a pessoa que toma a frente da plataforma), e o mesmo me atendeu de forma extremamente gentil, e me informou muitas coisas bacanas a respeito desta que, creio eu, é a primeira iniciativa brasileira no campo da distribuição digital de games para PC que chegou a se transformar em algo concreto.

O Nuuvem começou a ser desenvolvido em 2009, e conta com pessoal trabalhando à partir do Brasil, da Europa e dos Estados Unidos, via web. Um de seus grandes diferenciais é o foco no mercado brasileiro. Apesar de algumas similaridades, o novo serviço não é, por exemplo, uma espécie de “Steam brasileiro”, principalmente porque seu foco é crescer e se fortalecer de forma local, iniciando, é claro, pelo Brasil.

Segundo o Thiago Diniz, quando o serviço chegar a um novo país ou região, um trabalho será sempre realizado em meio à comunidade gamer local para tentar identificar os problemas enfrentados pela mesma. No caso do Brasil, o alto preço dos games e a pouquíssima localização de títulos foram problemas detectados logo de início, e todos nós sabemos o quão importantes são estes dois fatores. O Nuuvem também pretende facilitar a entrada de produtoras internacionais no mercado brasileiro e dar uma ajuda aos desenvolvedores independentes de nosso país. Ou seja, duas “áreas”, digamos, que carecem de atenção, principalmente esta questão dos indie developers nacionais, pois existe muita gente boa na área que não consegue entrar no mercado por uma série de motivos.

O Thiago, que trabalha juntamente com dois outros colegas, o Paulo e o Andrey (aliás, os 3 ajudaram a criar o Nuuvem que temos hoje), menciona também que a empresa está se unindo ao Projeto Jogo Justo, o que não deixa também de ser algo muito importante. Segundo ele, sua empresa compartilha dos mesmos ideais do projeto, o que é muito bacana, pois o mercado nacional de jogos eletrônicos merece contar com projetos e serviços que o valorizem, ao mesmo tempo em que colaboram para a redução da carga tributária sobre os games (que de supérfluos não têm nada).

Já é possível encontrarmos no novo serviço de distribuição digital brasileiro games da Sega, da Paradox Interactive, da Rockstar e da Take-Two, por exemplo. Dentre as próximas produtoras que farão parte do Nuuvem, podemos mencionar, por exemplo, Ubisoft, Activision, EA, WBGames, SquareEnix/Eidos, NCSoft, THQ, Atari, etc. Aliás, o Thiago menciona que o recém lançado From Dust vai chegar ao Nuuvem em breve, com um preço fantástico: R$ 19,90.

Gostei muito do Nuuvem como um todo. Os preços praticados são muito bons e a preocupação com as dificuldades que os gamers brasileiros encontram é notável, e está implícita até mesmo nos preços praticados pela empresa, o que deve ser resultado de um grande trabalho junto às desenvolvedoras e publishers. O serviço pretende conseguir investimentos tanto para seu próprio crescimento quanto para os desenvolvedores brasileiros. Isto é muito bacana, e torço para que tenhamos uma plataforma nacional forte, integrada e muito mais humana.

Uma rápida olhada no site mostra, por exemplo, o game Magicka sendo vendido por R$ 9,99, enquanto no Steam, por exemplo, seu preço é US$ 9,99. Convertendo-se este valor em reais, chegamos a mais ou menos R$ 16,00. Olha só que preço bacana. E os exemplos são inúmeros: BioShock 2 por R$ 24,99, Total War: Shogun 2 por R$ 49,99, Cities in Motion por R$ 19,99, Mount & Blade With Fire & Sword por R$ 19,99, Alpha Protocol por R$ 19,98, Mafia II por R$ 39,99, o (infelizmente) sofrível Duke Nukem Forever por R$ 89,90, e diversos outros.

O catálogo do Nuuvem conta com cerca de 110 títulos até o presente momento, mas creio que as coisas vão melhorar bastante. Até mesmo o interessantíssimo Miner Wars 2081, da Keen Software House, pode ser encontrado no mesmo, por R$ 21,99. Isto sem falar em Lead and Gold: Gangs of the Wild West, fantástico shooter da Fatshark ambientado no velho oeste. Este novo serviço brasileiro de distribuição digital de games me parece muito promissor. Sua utilização é simples, também: escolha o game, pague e realize o download.

Pelo que pude perceber, não existe um software cliente, como no caso do Steam. Isto pode representar uma vantagem ou uma desvantagem, dependendo do jogador e das funcionalidades presentes em tal aplicativo. De qualquer forma, como já dizem por aí que a “distribuição digital é o futuro”, é muito bom saber que o Brasil já está inserido neste promissor futuro. Principalmente porque o Nuuvem já chegou oferecendo bons preços, atendimento cordial e interesse em desenvolver o mercado local. Desejo boa sorte ao pessoal do Nuuvem.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest