O que você está jogando (Julho/2013)

O que você está jogando?

Saudações, caríssimos leitores do XboxPlus! E aí, o que vocês estão jogando atualmente? Plataformas, jogos, gêneros: vamos conversar! Têm sugestões? Dicas? Começando por mim, vale dizer que desde o último OQVEJ finalizei o ótimo Metro: Last Light e o surpreendente Remember Me (ambos no PC).

Também tenho jogado um pouco de Rift e, claro, Defiance (viciei, com certeza). Tenho jogado GRID 2, também, e o jogo está muito bacana, apesar de sentir que a câmera interna faz bastante falta. Joguei também um pouco do 4X Endless Space e Slender: The Arrival. E, infelizmente, ainda não consegui finalilzar Call of Juarez: Gunslinger. OBS: tudo isto no PC, vale lembrar.

No iPad tenho jogado bastante o endless runner Meu Malvado Favorito: Minion Rush e Clash of Clans (um pouco irritado, porém: a última atualização do centro da cidade durou 6 dias – e não, não senti vontade alguma de acelerar o processo com gemas 😀 ). No iPhone tenho jogado um único jogo, ultimamente: Voro – um puzzle extremamente viciante.

Pretendo iniciar em breve, no PC, Resident Evil: Revelations e Sonic & All-Stars Racing Transformed, além de estar com a ideia fixa de finalizar de uma vez por todas o Assassin’s Creed III. Confesso que fiquei um pouco cansado com o jogo, talvez devido ao protagonista e ao início lento.

GRID 2

Talvez, também, por ter sentido que Connor não chega nem perto de Ezio Auditore da Firenze, enquanto personagem, e isto, nesta franquia, sempre contou muito para mim. Digamos que eu sinta bastante falta do Ezio, e talvez isto acabe me ajudando a revisitar novamente títulos anteriores, como por exemplo o melhor da série até agora, em minha opinião (Assassin’s Creed II). Ah, também pretendo retomar a segunda sessão de Crysis Warhead em breve, além de finalizar Crysis 3.

Claro, devo estar esquecendo de um ou outro jogo, aqui, mas os principais foram citados, sendo que Defiance tem sido o mais jogado. Ontem, aliás, iniciei Uncharted: Golden Abyss no PS Vita, e posso dizer que tanto o jogo quanto o console são demais.

E vocês?

Poderá gostar também

38 Comments

  1. Nunca mais joguei nada no pc, não tenho mais hardware para isso.
    Mas no Xbox, Far Cry 3, joguinho bem fluido com uma incrível mecânica de coberturas, bem imersivo, mas senti falta de uma IA mais inteligente e que os inimigos realmente se queimassem ou ficassem desmembrados. Também comecei a jogar Battlefield 3, jogabilidade fraca, interação fraca, mas a frostbite engine compensa com a destruição do cenário. Ainda não testei o multiplayer, vamos ver esse final de semana.
    No iPad ainda jogo Sonic Dash e Simpsons tapped out, to curtindo.

    Reply
    • Olá Marcio! Deixa eu me intrometer: No caso do Battlefield 3, achei o jogo horrível no modo single player, não consegui jogar nem meia hora. Mas é engraçado, na versão de Xbox 360 se você observar, o Disco 1 é o Multiplayer, o Disco 2 é Single Player… e isso diz muita coisa! No modo Multiplayer, Battlefield 3 é sensacional, vale muito a pena jogar, principalmente com os amigos! Já se você curte mais jogos single player, minha recomendação seriam as campanhas dos Call Of Duty da série Modern Warfare.

      Reply
      • Vou me intrometer também 🙂
        Eu não achei o single player horrivel não, mas só terminei depois de muuuuuuito tempo mesmo. Não é o foco deles né, mas o multiplayer sim é o que faz valer o dinheiro gasto.

        Reply
    • Sério Marcio? Nada? Poxa, eu estou no caminho inverso: Meu Xbox está pegando poeira…rsrs Pô, Far Cry 3 você chama de “joguinho”? rsrsrsrs

      Reply
      • É uma forma carinhosa de falar XD

        Reply
    • É como eu já disse: BF 3 É o multiplayer. Vocês estão fazendo errado jogando o single player xD

      Reply
      • Fazer o que, alguns colegas me convenceram a comprar p jogar, mas é um povo com histórico de dar cano em jogos, ate no RPG de mesa.

        Reply
      • @Erick Mendonça,

        Olha, nem tanto. A campanha até que é legalzinha, viu. Pelo menos pra observarmos os visuais…rs 😀

        E por falar em instalar jogos no PC, meu HD está lotado. Muita coisa parada, infelizmente. Preciso pegar logo esse Lego Lord of the Rings, e terminar o AC:3. Rayman Jungle Run é fora de série, cara. Se gosta do estilo, tenta o do Meu Malvado Favorito, também.

        Reply
    • Battlefield 3 tem uma campanha interessante, mas que é muito mais um tech demo da Frostbite 2 do que qualquer outra coisa, rs. O foco é o multiplayer mesmo. Mas confesso que BF3, ao lado do COD Black Ops I, são os meus dois maiores arrependimentos. Comprei esses jogos em pré-venda, paguei uma fortuna, e não consegui gostar deles. A montanha de DLCs do BF3 matou toda a minha vontade de investir no MP dele. Tanto é que voltei a jogar o Bad Company 2, inclusive rsrs.

      Reply
      • Então, até que o BF3 não me causa arrependimento não. Agora, Bad Company 2, esse é um jogão. Inclusive a campanha, ou principalmente a campanha, não sei bem ao certo. 😀

        Alan Wake é realmente ótimo. O American Nightmare havia jogado no Xbox. Comprei pra PC mas não joguei esse ainda. Mas recomendo a qualquer pessoa. Ótimo título.

        Reply
  2. Atualmente, estou jogando apenas Alan Wake. Estou praticamente virando um jogador casual e faço sessões de 30 minutos, hahaha. Vejam só como são as coisas: numa daquelas promoções de fim de ano, comprei todos os DLCs de Alan Wake, pois tinha certeza de que iria comprar o jogo no futuro, já que era um exclusivo do Xbox 360… era! Comprei ambos os jogos por cerca de 10 dólares no Steam, com todos os DLCs, hehehe. Gostei muito do estilo de terror do jogo, muito inspirado em Stephen King, as referências a Twin Peaks. O estilo de narrativa seguindo o formato de um seriado, a parte dos manuscritos fazendo referência a este estilo literário (lembrando que Alan Wake é um escritor). Os trocadilhos do nome do personagem, do jogo, do produtor, etc.

    Em questão de jogabilidade, acabou lembrando um pouco Max Payne, mas num ambiente bem diferente, é como se tivessem adaptado Max Payne para funcionar num ambiente de terror (sem contar que o jogo pega um pouco das “viagens” de Max Payne também. Mas posso estar falando muita besteira, hahaha. Só senti um pouco de dificuldade na jogabilidade, que é bem peculiar, mas que traz algumas sacadas legais, como o uso da lanterna para descobrir algumas escritas em tinta especial. Para quem gosta dessas obras do cinema, tv ou literatura das quais o jogo faz referência, provavelmente o jogo é um prato cheio.

    Os próximos que quero jogar são muitos, muitos mesmo. Mas depois da recomendação do Marcos e também do Henrique (que finalizou recentemente) estou pensando em jogar o Metro 2033! E não só isso: queria ler o livro também! 🙂

    Reply
    • É, Diego. Ainda me lembro do Alan Wake como exclusivo do Xbox 360. Também tenho todos os DLCs no console. Mas, hoje, no PC, o jogo ficou muito melhor, não? 🙂

      O estilo do jogo é fora de série. Grande sacada também são aqueles inimigos com “duas fases pra se matar”…rs Poxa, até que lembra um pouco do Max Payne mesmo, hein? Falar nisso, você chegou a dar continuidade na série? Lembro que estava jogando novamente o primeiro. E aí? 🙂

      E, a série Metro é realmente fora de série. Eu estou com o livro “engatilhado”, já. Falta tempo…rs

      Reply
    • Também joguei o Alan Wake no Xbox 360, na época que ele saiu. E depois joguei no PC com todos os DLCs. É incrível como o jogo ficou ainda melhor no PC! Fácil um dos melhores ports também.

      Alan Wake tá entre os melhores jogos que eu já joguei, junto com o “American Nightmare” que é sensacional também, apesar de curto. Só tenho uma coisa a reclamar da franquia: a história é bem confusa (talvez propositalmente até) e deixa muita coisa sem respostas 🙁 Porém, se considerar que o jogo é uma grande homenagem ao Stephen King e aos clássicos de horror e ficção, faz sentido que a história deixe tantas pontas soltas assim…

      Metro 2033 vale muito a pena hein! Se tu tiver um pouco de paciência pra relevar uns probleminhas na inteligência artificial dos NPCs, vai adorar o jogo 😀

      Reply
  3. Dessa vez estou jogando um pouco menos. Mesmo resolvendo focar em poucos jogos, está difícil hehe.

    Mas bem, desde o ultimo, eu terminei Tomb Raider. Ótimo jogo! Não acho que vou conseguir fazer 100%, mas eu ainda jogo um pouco pra chegar o mais próximo possível dos 100%. Quero pelo menos pegar todos os documentos, GPS e tumbas. O que mais vier (tipo aquilo de roubar os ovos) é lucro. Mas foi o dinheiro mais bem gasto em jogos nos últimos tempos.

    O que estou jogando agora… só no XBOX:
    – I Am Alive: Vamos ver se termino isso de uma vez.
    – Skyrim: Pra variar né… vez ou outra faço umas quests e talz. Mas não estou focada nele não.
    – Rocksmith: Mês passado tive um $ que não estava nos planos e resolvi me presentear com esse jogo que eu sempre quis. Estou achando bem legal, bem divertido e difícil entrar no ritmo dele. Isso pq eu já toco faz um tempo, imagino que deve ser bem frustrante pra quem nunca pegou numa guitarra.
    Mas eu gostei bastante. Principalmente os exercícios de técnica que tem. Dá pra ver que o jogo se esforça bastante pra realmente ensinar de verdade alguma coisa pelo menos.

    Para a lista de próximos estão:
    – os 3 Gears of War
    – Sniper Elite (PC), fruto do Indie Royale
    – Dishonored
    – Far Cry 3 (PC)

    Reply
    • Olá Fefa! Jogando pouco mas jogando coisa boa, né? Só o Skyrim aí no meio já é demais. Você chegou a finalizar o Tomb Raider uma outra vez, enquanto buscava pelos 100%? Ou, pensa em fazer isso? Eu me sinto bem tentado…hehehe Realmente, eis aí um jogo que vale cada centavinho.

      Nossa, ainda preciso acabar o I Am Alive. Parei nem sei porque. E o Rocksmith: então você toca guitarra? Que legal! Nunca me arrisquei a comprar, imagina porque…hehehe

      Sua lista de próximos está ótima, hein? 🙂 Só Dishonored e Far Cry 3 aí já é “de matar”. 😀

      Reply
      • Eu acho que só não comecei Tomb de novo por falta de tempo. Mas dá vontade sim. Mais pra frente eu acabo começando de novo numa dificuldade maior, nem sei se da pra aumentar.

        Reply
        • Ah, é. Eu também pretendo, em uma dificuldade maior, e também pra completar o que não completei. Se bem que com o tamanho da fila, isso deve ficar bem mais pra frente mesmo.

          Reply
    • Compartilho sua dificuldade pra conseguir terminar o I Am Alive hahaha. Eita joguinho sem sal.

      E Rocksmith não é aquele jogo com uma enxurrada de DLCs (mais de 1000 reais)? Chegou a comprar alguns? Como que você lidou com isso?

      E só jogos excelentes na lista dos próximos aí hein? Dishonored então, nem se fala 😛

      Reply
      • É, pensando bem esse é o problema de I Am Alive… Ele é muito paradão… acho que por isso que eu não consigo jogar por muito tempo.

        E sobre o Rocksmith, eu não sei se tem tudo isso de DLC. Eu sei que eu ja vi música pra caramba, talvez só não tanto quanto ja tem do Rock Band. Mas eu to quase comprando o pack do blink 182.

        Reply
      • Fala pessoal. Voltei pra falar do Rocksmith, agora que eu já joguei um pouco mais. Depois que eu peguei o ritmo do jogo, comecei achar perfeito.
        E é um ótimo professor de música também. Tem vários exercícios de técnica e mesmo durante a música, além de marcar onde a gente tem que tocar, ele diz o que é aquilo que vc está fazendo.

        O que eu achei mais legal: vc não define a dificuldade do jogo. O jogo entende em qual dificuldade vc está e vai aumentando (ou diminuindo se for o caso) durante a música mesmo.
        A música sempre começa numa dificuldade bem ‘noob’ e vai aumentando aos poucos.
        Mas teve uma música, por exemplo, que eu já sabia tocar (Boys Don’t Cry) e comecei errar por tocar nota que nem tinha aparecido. O jogo entendeu isso e já foi aumentando as notas até onde ficou legal pra mim.

        E comprei o DLC com as musicas do blink-182. Esses DLC são um perigo. Tem muita coisa mesmo na loja.

        Mas é isso aí. Valeu a pena esse jogo.

        Reply
        • Mas então você toca guitarra, mesmo. Que bacana! 🙂

          E pretende pegar mais algum DLC? Tem muita coisa boa lançada pra ele?

          Reply
          • Não cheguei a ver tudo que tem, mas tem algumas coisas que eu compraria. Vi que tem principalmente Classic Rock. É legal, mas não estou fazendo muita questão disso por enquanto.

          • Bacana isso, Fefa. Bem, quer dizer, é um jogo restrito, né. Quem não manja nada de guitarra tem que ficar de fora. Mas é sempre bom saber (eu, que comprei um baixo, quando mais novo, não fiz nada e vendi por um preço mais baixo do que o de compra…hehehe).

          • Sabe que eu não acho, Marcos. Quem não manja nada não precisa ficar de fora não. Acho que dá pra aprender bastante com o jogo. Não sei se dá pra usar como ‘único professor’, mas vai muito bem como complemento.

            Mas também, não acho que é um jogo (ainda mais pelo preço) que alguém compraria sem um mínimo de conhecimento.

          • Então, Fefa. Mas aí a pessoa acaba ficando meio limitada, né. Pelo menos no caso de alguém como eu, que nem sabe empunhar uma guitarra…rs E tem que ter o cabo e o instrumento, também, né?

            Eu confesso que sou louco por jogos musicais, e sinto que não sejam lançados muitos. Até estava acompanhando as notícias sobre a sequência do Audiosurf, há uns tempos, mas agora não sei como anda. Estou me divertindo esses dias com aquele Magic Piano, da Smule, no iPad. Chegou a jogar, já?

          • No caso só o instrumento. O cabo vem com o jogo.

            Não conhecia esse Magic Piano não. Vi que tem no Google Play, vou baixar.
            Valeu pela dica.

          • Então, Fefa, mas nesse caso, você comprou alguma versão física? Como foi? Não entendi…rs 🙂

            O Magic Piano é bem legal. Só que grande parte das músicas é paga. Não sei como fica no Android. No iOS, tem lá uma opção, por exemplo, pra assinar por semana. Sai dois dólares e pouco por semana, pelo que me lembro. Não lembro também das outras opções, se tem alguma mais em conta, etc. Mas é legal.

          • Isso mesmo. Comprei a versão física. Que no caso vem o DVD do jogo + O cabo P10 > USB.
            Ah, não sei se eu disse… Comprei pro Xbox.

            E falando do Magic Piano, eu não cheguei a ver nada de assinatura não. Eu só toquei as musicas Free. Só o que eu vi, é que conforme joga, ganha moedas que pode usar pra comprar novas musicas.

          • @Fefa,

            Ah, eu pensei que era pra PC. É que sempre quando vejo esse jogo no Steam, topo com aquele aviso sobre o cabo.

            Sobre o Magic Piano, tem essas músicas grátis mesmo. Eu só achei que demora muito pra ganhar moedas…rs

  4. Já eu instalei um bocado de jogos no PC pela Steam, caçando jogos casuais e de preferência com multiplayer local. Como é difícil encontrar!

    Parei de jogar The Witcher 2, um jogaço, mas que exige mais concentração do que posso dar agora. Ainda mais com a abertura para mods que fizeram recentemente. Voltei a jogar Assassin’s Creed: Revelations e, quando meu filho tá acordado, mudo para Lego Lord of the Rings que é mais light pra o guri acompanhar.

    No iPhone peguei esses dias o Rayman Jungle Run, muito bacana!

    Reply
    • Na boa, quantos você tem pela metade, só da Steam?

      Reply
  5. Há alguns dias zerei o SC: Pandora Tomorrow, o jogo é muito bom porém mais curto que o primeiro. Joguei um pouco de Nightmare Creatures e de Mirror’s Edge. Hoje ou amanhã irei começar Alone in the Dark.

    Reply
    • Está aí um que quero jogar também: Alone in the dark. E uma nova jogada no Mirror’s Edge, também. 😉

      Reply
  6. No PS3 finalmente zerei Sleeping Dogs, sensacional o jogo, até comprei os DLCs numa promoção, e vou começar nesse fds, também estou jogando Rune Factory Tides Of Destiny, uma mistura de RPG com Hack n’ slash e Harvest Moon, achei bacana, mas tudo isso vai ficar de lado pois ja estou com The Last Of Us e com tanto 10 que o jogo vem recebendo o Hype ta enorme.

    No Vita vou começar BlazBlue e continuar jogando o viciante Sound Shapes.

    Reply
    • Opa, Sleeping Dogs é fora de série. E eu ainda preciso terminar aquele DLC de Halloween, por falar nisso. O jogo está instalado no PC há tempos. Vou dar uma olhada no BlazBlue e no Sound Shapes (nesse já ouvi falar muito).

      Reply
      • Sound Shapes é muito bom, principalmente com fones de ouvido, o jogo é simples mas muito viciante e com a criação de cenários e músicas e podendo compartilhar eles fica melhor ainda, se não me engano tem um demo disponível, testa lá depois

        Reply
        • É, Edyr. Estive vendo, e vou baixar o demo sim. Fico pensando no editor dele. Parece que dá pra criar coisas bem bacanas, não? 🙂

          Reply

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Pin It on Pinterest