Parece mesmo que o Brasil, pelo menos por enquanto, está fora dos planos da EA quando o assunto é seu novo “serviço de distribuição digital” Origin. A empresa anunciou hoje que já iniciou um processo para adicionar jogos de 11 publishers ao catálogo do serviço, incluindo a Trion Worlds, desenvolvedora do MMORPG Rift, e a Robot Entertainment, criadora do ótimo Orcs Must Die!

A EA menciona que mais 9 publishers terão seus jogos adicionados ao catálogo do Origin, muito em breve, e Rift, aliás, já se encontra disponível, em duas versões: a Ashes of the History Edition e a Standard Edition, por US$ 29,99 e US$ 19,99, respectivamente. Entretanto, o título não está disponível no Origin Brasil, da mesma maneira que Star Wars: The Old Republic.

Acho isto um tanto quanto estranho, para não dizer outra coisa. Se a Electronic Arts deseja mesmo criar um serviço de distribuição digital competitivo (é o que se espera, com gigantes como o Steam no mercado, por exemplo), porque dificultar as coisas desta maneira? Acesse o Origin.com através de qualquer proxy e você verá tanto Rift quanto SWTOR à venda.

Aliás, duvido muito destes “muito em breve” mencionados pelo pessoal da EA. Em Outubro de 2011 a empresa anunciou a transformação do Origin, digamos, em algo mais amplo. Warner, THQ e Capcom foram mencionadas. No entanto, o que foi incluído até agora no serviço é muito pouco. Poucos jogos destas publishers podem ser encontrados no Origin, mesmo fora do Brasil, e as palavras de David DeMartini, vice-presidente sênior do Origin, naquela ocasião, fazem agora menos sentido:

Desde o lançamento, tivemos um apoio esmagador, tanto das publishers quanto dos desenvolvedores em toda a indústria de jogos eletrônicos, os quais reconheceram o Origin como uma oportunidade para entregar mais de seus grandes conteúdos diretamente para os consumidores em todo o mundo.” Bom, outros serviços também não fazem o mesmo, e o fazem melhor? Onde está a inovação e os recursos que, necessariamente, teriam de ser inclusos em algo que pretende concorrer com o Steam? Cloud saving apenas não basta. A EA está demorando demais.

Confesso que não possuo mais qualquer tipo de restrição em relação ao serviço Origin, mas estas atitudes da EA são extremamente irritantes, e podem fazer com que muita gente realize boicotes, principalmente em casos de jogos que também estão disponíveis em outros lugares, como é o caso do MMORPG da Trion Worlds. Tive boas surpresas, aliás, com o suporte técnico da empresa, nos últimos dias. Fui muito bem atendido, consegui adicionar à minha conta junto ao Origin todos os games da EA que possuía no Steam, e inclusive ganhei diversos cupons de desconto. O que não consigo entender é esta falha em atender a demanda, por exemplo, de muitos brasileiros que certamente gostariam de ter comprado Star Wars: The Old Republic diretamente “da fonte”.

Uma olhada rápida no Origin através de um proxy mostra que até mesmo Saints Row: The Third, da THQ, será adicionado ao serviço, e títulos como Batman: Arkham Asylum, Dead Rising 2: Off The Record e Bastion já se encontram disponíveis para download. Se esta indisponibilidade na loja brasileira é temporária ou não, ninguém sabe. Só o que sei é que não existe nenhum motivo para que isto ocorra, muito pelo contrário.

É justamente devido a isto, a estes bloqueios ridículos, que hoje utilizo o Direct2Drive apenas para baixar os jogos que infelizmente comprei lá. Como a EA quer, por exemplo, competir com o Steam, demonstrando medo, removendo seus títulos da loja da Valve e não lançando novos títulos por lá?

Quando veremos (se é que veremos) o Origin inovador e cheio de conteúdo exclusivo anunciado por John Riccitiello, que disse o seguinte:  “Ao longo do tempo, o Origin irá crescer com novas funcionalidades e novo e único conteúdo, o qual os consumidores não conseguirão obter em nenhum outro lugar”? Este “ao longo do tempo”, talvez, pode significar uma ou duas encarnações.

A empresa de John Riccitiello também menciona que as seguintes empresas terão seus jogos inclusos no Origin, no decorrer dos próximos meses: CD PROJEKT RED, Freebird Games, Recoil Games, Autumn Games, 1C Company, inXile entertainment, Paradox Interactive, Core Learning Ltd. e N3V Games. Do jeito que as coisas andam, é óbvio que não veremos tudo isto no Origin Brasil. Mas, e daí? Outras lojas os vendem sem qualquer restrição.

O Origin é focado no fornecimento de escolhas para os consumidores e os games que eles jogam. Desde grandes franquias até títulos independentes de alta qualidade, estamos trazendo o melhor conteúdo da indústria para um lugar. Estamos muito animados por receber novos parceiros e uma variada nova linha de títulos para o Origin hoje“, disse Craig Rechenmacher, vice presidente de desenvolvimento de negócios e marketing do Origin.

Estranhas palavras, principalmente quando percebemos que o catálogo do serviço oscila em torno de 100 games, sendo que o Brasil, por exemplo, “está fora da jogada”. Um dos grandes problemas disto tudo, aliás, é o fato de que a EA possui em suas mãos grandes franquias adoradas por muita gente, como por exemplo Mass Effect, Battlefield, Dead Space, Need for Speed, etc. Mass Effect 3 para PC, aliás, não será lançado no Steam, o que forçará os fãs da série a utilizarem o Origin, de uma forma ou outra.

Não consigo entender também o entusiasmo de Jim Butler, diretor de marketing global da Trion Worlds, quando ele diz o seguinte:

O Origin se estabeleceu como um destino para os melhores títulos disponíveis atualmente no mercado digital em evolução, então, ele definitivamente é um lugar que a Trion quer estar“. Estas palavras denotam, para mim, uma grande “puxação de saco”, e nada mais, infelizmente.

Aliás, que “escolhas” são essas que Craig Rechenmacher menciona? “Algo pré-formatado”?

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest