A desenvolvedora de Warcraft, meio que (vai saber) alfinetando a Ubisoft e o seu esquema de DRM draconiano, disse, através de um de seus executivos, que “esta não é a estratégia que a Blizzard pretende implementar em StarCraft II. Frank Pearce ainda disse que o DRM é “uma batalha perdida para nós” (desenvolvedores).

A estratégia da Blizzard para StarCraft II é utilizar sua “rede” Battle.net como um incentivo para que os gamers permaneçam conectados à internet, mesmo enquanto jogando campanhas singleplayer. A conexão ativa à internet não será obrigatória, mas caso o gamer permaneça conectado, ele será beneficiado.

Ao invés de “simplesmente forçar”, a Blizzard irá “oferecer benefícios”. Os jogadores poderão utilizar o chat mesmo quando jogando sozinhos, e ainda obterem Achievements (é, esse negócio de “conquistas” pega fácil, não? 🙂 ). Pearce menciona o fato de que o pessoal que adora burlar (para não citar outra palavra) os esquemas de DRM representa um grupo sempre maior que as equipes de desenvolvimento. E, infelizmente, neste meio (dos “burladores”), existem mentes fantásticas.

Pearce finaliza seus comentários de forma “matadora”: “Precisamos de nossas equipes de desenvolvimento focadas no conteúdo e em recursos legais, e não em tecnologia anti-pirataria“. É, finalmente esse pessoal se deu conta de que penalizar os gamers que pagaram pelo jogo devido a uns e outros que o obteram de “outras maneiras” não é o caminho correto.

O negócio é incentivar os compradores/gamers. O lance é oferecer funcionalidades extras, brindes, itens in-game, recursos legais, etc. Bem que a Ubisoft poderia pensar desta maneira. 🙂

(Via: Joystiq)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest