O Patch 1.0.3 de StarCraft II: Wings of Liberty já está disponível, e será automaticamente aplicado assim que você iniciar seu game (se é que ainda não o fez). Este patch tem por finalidade apenas a correção de bugs no jogo. O lançamento deste patch, juntamente com as constantes atualizações que a Blizzard Brasil vem realizando no Battle.net, com a postagem de análises de mapas, artigos, divulgação dos “Top 50 do StarCraft II na América Latina“, etc, mostra, em minha opinião, que a empresa quer formar uma comunidade forte de StarCraft II no Brasil e na América Latina, também.

A Blizzard veio para ficar. E não somente ficar. Ela veio para marcar presença de maneira forte, mostrando aos compradores/clientes que eles não compraram algo que daqui há alguns meses irá ser esquecido, deixado de lado, largado. Pelo que parece, a Blizzard tem planos muito interessantes em mente, e eles envolvem o Brasil de maneira fantástica. É claro que ela quer ganhar dinheiro (como todos nós queremos). É claro que ninguém dá “ponto sem nó”. Mas a questão aqui é dar pontos fortes, e nos locais certos do “tecido”.

Pois de nada adianta lançar um game de forma oficial e bombástica em um país, como foi feito com StarCraft II, e abandonar o barco logo depois. De nada adiantaria a Blizzard simplesmente lançar o game por aqui, mesmo que localizado, se não tivesse iniciado o belíssimo trabalho pós-lançamento que vem realizando, mesmo que muitos não enxerguem a dimensão de um lançamento deste porte no Brasil.

A questão da divisão por região é benéfica, em minha opinião, pois permite que jogadores que falam o mesmo idioma ou idiomas parecidos, como nós, da América do Latina, possam além de jogar juntos, compartilhar experiências. Comunidade, é disto que estamos falando. Um cliente único também permitiria tal “contato” e interação, mas não reforçaria de forma tão poderosa o lado social que a Blizzard, em minha modesta opinião, pretende ampliar em SC II.

Por tudo o que estou observando, StarCraft II ainda vai crescer muito. No Brasil e no mundo. E todos ganham com isso. A Blizzard, que ganha muito dinheiro, elogios e reconhecimento, e os jogadores, que recebem um suporte e um feedback fantásticos, além de um game em constante melhoria. E tudo isto forma um ciclo. Um ciclo onde gamers e desenvolvedora são primordiais.

Lembrando agora de Bilbo Bolseiro (ou Bilbo Baggins), personagem da fantástica obra de J.R.R. Tolkien: “- Lá e de Volta Outra Vez” (There and Back Again). 🙂

Pin It on Pinterest