Após as ações dos hackers GeoHot e dos membros do grupo fail0verflow, as quais resultaram na descoberta e na divulgação da root key do Playstation 3, a Sony pode estar prestes a enfrentar tempos muito difíceis. Segundo Martin Walfisz, da Ubisoft, profissional “profundamente envolvido no desenvolvimento de novas tecnologias de DRM e estratégias“, o sistema “poderá enfrentar níveis de pirataria maiores do que aqueles vistos em sistemas portáteis“.

Walfisz acredita que se o hack funcionar como descrito, a Sony não conseguirá retomar o controle de forma alguma. Ele ainda menciona que a Sony pode, é claro, fazer uso da mesma estratégia utilizada pela Microsoft, e banir os consoles “hackeados” da PSN, mas lembra que a fabricante do PS3 nada poderá fazer (é óbvio) contra os usuários que não conectarem seus consoles à internet.

E a coisa vai mais longe ainda, infelizmente: como o hack foi “muito profundo” e muito “bem” feito, e não é necessária a utilização de nenhum modchip, é possível, ainda segundo Walfisz, que a Sony simplesmente não saiba quem deve banir ou não da PSN. Ou seja, a coisa está aos poucos se transformando em um verdadeiro caos, e a Sony deve estar, é claro, desesperada.

Walfisz também acredita que os níveis de pirataria no Playstation 3 poderão alcançar os mesmos do PSP. Ele ainda descreve a maneira como os hackers podem “trabalhar” com a brecha que descobriram/abriram: eles podem simplesmente criar cópias piratas que imitarão a assinatura digital oficial da Sony. Ou seja, é uma brecha enorme à disposição do “lado negro da força”.

Cópias piratas de games poderão ser armazenadas no HD do PS3, e segundo o especialista em DRM da Ubisoft, a única maneira de acabar com a “brincadeira” seria lançando um novo hardware. O grande problema aqui é que o lançamento de tal novo console significaria que todos os games lançados anteriormente não rodariam no mesmo, a princípio.

É, de DRM a Ubisoft entende como ninguém, e as palavras de Martin Walfisz fazem todo o sentido do mundo. Parece que a Sony está com uma bomba nas mãos e não tem meios de detoná-la em segurança nem tampouco de desativá-la. Aliás, tal bomba já foi detonada, em minha opinião, e o que vemos agora são os seus efeitos.

Estaria o Playstation 3 chegando a um ponto crítico? Se sim, quais seriam as consequências? Como estávamos discutindo outro dia, o destravamento do Playstation 3 pode até não ser considerado um crime, desde que não exista nenhuma cláusula a este respeito na documentação que acompanha o equipamento. Mas o destravamento do console, mesmo que com fins lícitos, abre as portas para a pirataria, como parece estar sendo o caso.

Tenho cá minhas dúvidas sobre se a Sony irá lançar um novo Playstation 3, mas também temos de convir que o console possui uma boa base de usuários. Como ficarão estes frente a possíveis ações extremas por parte da fabricante do console?

Acho que a Sony agora tem que pensar com muita frieza. Processos, no ponto em que as coisas estão, de nada adiantam. A Microsoft, por exemplo, ainda tem o poder de banir qualquer Xbox 360 cujo hardware tenha sido modificado da Xbox Live, o que acaba se transformando tanto em punição quanto, de certa forma, em um fator que pode desmotivar certas pessoas de realizarem o destravamento de seu console. Agora, do jeito que as coisas foram feitas no PS3, até mesmo este “poder” parece ter sido retirado das mãos da Sony. E agora?

(Via: gamesindustry.biz)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest