Breathedge, lançado no Steam através do programa de Acesso Antecipado no último dia 13 de Setembro, é um jogo extremamente cativante. Desenvolvido por um estúdio russo chamado RedRuins Softworks, trata-se de um título de sobrevivência com altas doses de humor. Altíssimas, eu diria.

E falando um pouco a respeito do elemento “sobrevivência”, se você conhece ARK, Rust, Subnautica ou até mesmo o mais recente Green Hell (dentre tantos outros), você sabe mais ou menos do que eu estou falando. Em Breathedge, temos de nos preocupar com detalhes como saúde (a qual pode ser recuperada ao dormirmos) e também com fome e sede. O que diferencia o título de tantos outros pertencentes ao mesmo gênero é o humor, vale ressaltar.

Isto começa a ser percebido pelo jogador logo no início do game, com os créditos iniciais, quando é dito que o jogo não precisou de um diretor até o presente momento. É muito hilário, e é impossível jogar por alguns poucos minutos sem soltar altas gargalhadas.

Breathedge

A premissa do jogo, aliás, também é um tanto quanto engraçada: você é um astronauta que, à bordo de uma grande espaçonave, acompanhava o caixão de seu finado avô para algum tipo de funeral entre as estrelas. Tudo ia bem até que um acidente aconteceu e a nave gigante onde você estava (uma nave sem nome, conforme visualizamos sua lateral no momento do acidente) é quase que inteiramente destruída.

O que sobra, a partir de então, são escombros e alguns poucos locais onde você pode adentrar e respirar sem o auxílio de equipamentos e/ou trajes especiais/espaciais. Aliás, falando agora sobre o traje espacial, digníssima de nota é sua inteligência artificial, sempre pronta a soltar piadinhas e a dizer o quão ferrado você está.

É sério: a IA do traje não te poupa de nada, e sempre joga na sua cara que o oxigênio não é infinito (poucos segundos sem oxigênio bastam para que sua saúde comece a decair até que você, então, morra miseravelmente). Ela também zomba de suas habilidades, vale lembrar, dizendo que você levará provavelmente cinco anos para consertar determinado equipamento.

Breathedge

Como em todo bom survival, o crafting se faz presente em Breathedge, e você é até mesmo obrigado, em determinado momento do gameplay, a criar uma porcaria tremenda apenas porque os desenvolvedores assim quiseram. É assim que Breathedge conduz o jogador ao longo do primeiro capítulo do modo história, o único disponível até agora (segundo a RedRuins Softworks, o jogo contará com 5). A desenvolvedora menciona até mesmo que nos futuros capítulos serão disponibilizadas ferramentas para construção e personalização de uma base espacial, incluindo elementos decorativos.

Ainda falando a respeito do humor do jogo, digna de nota também é a “Babe”, personagem insinuante que se comunica com você através do rádio com piadinhas diversas, incluindo muitas de duplo sentido. Isto quando ela não solicita sua ajuda de forma mais direta, sem falar que seu avatar exibe um par de seios quase saltando do decote. E a nave de socorro “Hope”, que, à caminho, sofreu uma avaria nos motores e levará “meros” 4.369 anos para chegar até você, então? É tudo bastante cômico, não há como negar.

Breathedge

O game também oferece bastante desafio ao jogador, uma vez que é necessário vasculhar os arredores em busca de materiais para criação no “processador” (uma espécie de bancada de trabalho). Aqui, podemos construir scanners, trajes espaciais com maior proteção contra radiação, furadeiras, espécies de bastões para quebrarmos elementos espalhados pelo espaço (como pedaços de metal e gelo maiores, por exemplo), lanternas, estações de oxigênio, comida, bebida, tesouras, e diversos outros itens.

Cada um destes itens será utilizado pelo jogador em um ou outro momento do gameplay, isto porque temos de chegar a um determinado ponto de evacuação que está bastante longe, tendo de passar inclusive por áreas repletas de dificuldades (como altos níveis de radiação, por exemplo). Isto sem falar que antes disso, para colocar um determinado terminal em funcionamento, o jogador é apresentado à “debugging tool”. No entanto, hilariamente, no momento em que a utilizamos, algo totalmente oposto ao que esperávamos acontece: o protagonista começa a bater com tal ferramenta no terminal, e este passa então a funcionar. É muito engraçado.

Isto sem falar na galinha com a qual tentamos tapar um vazamento de oxigênio e, bem, literalmente a introduzimos de cabeça no buraco, momento em que somos avisados pela IA a respeito do fato de que é necessária, para tal tarefa, a utilização de objetos “sem orifícios”, se é que você me entende, incluindo o detalhe a respeito de por onde o ar passa a escapar, através da galinha. Esta galinha também serve, vale ressaltar (trata-se de uma espécie de animal de estimação do finado avô do protagonista), para acabar com curtos-circuitos  que podem representar uma ameaça.

Breathedge

À partir do momento em que somos apresentados ao objetivo distante, temos então de vasculhar os arredores sempre de olho em material para crafting, pois jamais chegaremos lá sem construir os itens necessários. Existem diversos pontos onde podemos vasculhar, todos eles representando escombros daquilo que um dia foi uma espaçonave cujo objetivo era transportar corpos até seus destinos finais. Uma espaçonave que era propriedade de uma espécie de empresa focada em funerais espaciais, se é que dá para entender.

A trilha sonora de Breathedge, além disso, contribui bastante para o clima de descontração. Mas apenas enquanto estamos dentro de nossa pequena estação espacial, de nosso pequeno porto seguro. Ela é bastante engraçada, mas é também, infelizmente, um tanto quanto repetitiva (quem sabe isto mude conforme mais capítulos forem sendo lançados).

Breathedge

O título esbanja criatividade, mas também exige bastante do jogador: ficar de olho no medidor de oxigênio enquanto vasculhamos os arredores em busca de materiais os mais diversos é algo capaz de causar ansiedade naqueles mais nervosos. Ou você pode seguir a sugestão da IA de seu traje e entrar em depressão, quem sabe.

E o espaço? Como você já deve ter imaginado, nos movimentamos grande parte do tempo em gravidade zero, e o espaço é retratado de maneira tão bonita e crível que é difícil se manter impassível ao belo trabalho realizado pela RedRuins Softworks. Acredite em mim: trata-se de um jogo muito bonito, e você poderá sentir uma vontade imensa de ir sempre mais longe, sempre testando seus limites, principalmente depois que consegue construir o “oxygen candle”, uma espécie de cilindro que proporciona alguns segundos a mais de oxigênio enquanto estamos vagando pelo espaço sideral. Sem falar em trajes aprimorados, obviamente.

Breathedge

Breathedge começou muito bem. Tudo funciona direitinho, não fui capaz de pegar bug algum durante o curto tempo de gameplay proporcionado pelo primeiro capítulo, e mal posso esperar para conferir o que os desenvolvedores russos irão fazer de agora em diante. Uma coisa é certa: temos aqui um jogo de sobrevivência bem diferente e engraçado.

Fique com um trailer do jogo:

Obs: o jogo custa atualmente R$ 31,00 no Steam.

Pin It on Pinterest