Projeto NatalSegundo Marc Whitten, gerente geral da Xbox Live, o “Projeto Natal será o maior salto de experiência na televisão desde o controle remoto“. Projeções à parte, é inegável o fato de que a Microsoft está botando muita fé em seu novo periférico, e não pretende utilizá-lo apenas como um acessório para games.

É notória a expansão da distribuição digital de games, tanto através da própria Live (esta distribuindo inclusive filmes) quanto através de sites como o Steam e o Direct2Drive. E a Microsoft parece querer meio que “ligar” o Natal a este processo, e de uma coisa vocês podem ter certeza: sua utilização estará muito bem consolidada quando deixarmos de utilizar nossas queridas mídias físicas em nossos jogos.

Planos grandiosos

A Microsoft possui grandes expectativas em relação ao seu periférico. Whitten antevê “um futuro onde o Projeto Natal reconhece os usuários na sala através de sua aparência e voz e então está apto para trazer automaticamente o conteúdo que eles estariam interessados em ver“. Nada modesto, é claro, mas fiquei agora com uma dúvida em relação a se isto ocorrerá (é fato que ocorrerá, o “quando” ainda é uma incógnita) no atual console da Microsoft ou em uma próxima versão do Xbox.

É claro que eles estão pensando no Projeto Natal como algo que será utilizado e melhorado por um longo tempo. Não somente o Xbox 360, creio eu, será beneficiado pelo periférico, mas também o próximo console da Microsoft, e quem sabe o posterior a este (vou parar de conjeturar por aqui, mesmo porque, nada impede o surgimento de um outro periférico semelhante, mais poderoso e com mais recursos, no futuro 🙂 ).

Controle Xbox 360O impacto na usabilidade

Uma coisa é clara: o natal, enquanto periférico “apenas gamer”, ou seja, tendo em vista a utilização apenas como acessório em games, será algo, pelo menos em minha modesta opinião, que demandará uma grande adaptação por alguns, e é óbvio que, pelo menos no início, será algo opcional.

Agora, que dizer de sua utilização no Xbox como um todo? Que dizer de sua utilização no centro multimídia que é o Xbox 360 (pelo menos lá fora, sem bloqueios e mais bloqueios de conteúdo 🙂 )? Aí sim a coisa fica um pouco mais ampla, e abre diversas brechas para pensarmos em como o simples ato de “assistir a um filme” pode ser mudado. Erga o braço, e aumente o volume. Faça determinada sequência de movimentos com as mãos, e troque de filme. Diga alguma coisa, e: bom, quem sabe o que pode acontecer, não é?

O fato é que até mesmo eu, “ainda” não muito empolgado com o Natal enquanto acessório visando apenas aos games, já começo a ficar entusiasmado. E você? 🙂

(Via: Edge Online)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest