A cópia de Assassin’s Creed Odyssey utilizada neste review foi gentilmente cedida pela Nuuvem, a maior loja de jogos digitais para PC da América Latina. Lá você pode encontrar não apenas AC: Odyssey, mas também uma série de outros games, incluindo muitas ofertas bacanas.

O catálogo da loja é enorme, e inclui inclusive jogos ativáveis no Steam e no Uplay. Além disso, comprando seus games na Nuuvem através de nossos links (acima), você ajuda bastante o XboxPlus, nós agradecemos imensamente, e nada muda para você. Dê uma olhada!

Obs: confira todos os textos de Assassin’s Creed Odyssey já publicados no XboxPlus através dos links abaixo:

A minha jornada pelo mundo grego de Assassin’s Creed Odyssey tem sido fantástica. É até difícil recordar de todos os bons momentos proporcionados pelo game, seja através de missões primárias, seja através de missões secundárias, seja através de contratos e recompensas obtidos através dos quadros de mensagens localizados em qualquer vilarejo ou cidade.

A Ubisoft conseguiu, em Odyssey, criar um mundo que mistura fantasia e fatos históricos de maneira incrível. É incrível também, como antes mesmo do nascimento da Irmandade dos Assassinos, tenhamos o Culto do Cosmo, com sua sede de poder e dominação, envolvendo com seus negros tentáculos tudo o que está à nossa volta e servindo também como motivo para ótimas caçadas e missões (o culto se assemelha bastante aos Templários).

Assassin’s Creed Odyssey

Kassandra (no meu caso), é um personagem que leva bem a sério sua missão, e que tem também plena noção de sua origem nobre. Isto se reflete em seu modo de agir, em suas atitudes para com aqueles mais necessitados, etc. E embora grande parte do “controle” (através dos diálogos e decisões) esteja nas mãos do jogador, é notório o fato de que suas falas e seu comportamento seja sempre nobre, sempre imbuído de respeito, de garra, de uma vontade férrea.

Assassin’s Creed Odyssey

Navegar pelo Egeu, além disso, é uma experiência fascinante. Aportar em ilhas as mais diversas é sempre uma experiência emocionante, e não pense que você encontrará locais vazios e/ou desprovidos de atividades: há sempre algo a fazer, há sempre pessoas a ajudar, há sempre sidequests interessantíssimas e que rendem grandes quantidades de XP.

Podemos também minar o poder de cada nação, eliminando seus líderes, roubando o tesouro da nação, acontecimentos então que levam às batalhas de confronto, nas quais somos colocados em mapas enormes e participamos de combates envolvendo centenas de guerreiros, espartanos e atenienses.

Assassin’s Creed Odyssey

Digna de nota, também, é a maneira como Kassandra (ou Alexios) age: apesar de agirem como “Assassinos sem o serem”, eles são “meros” mercenários, que lutam por dinheiro mas que também, com bastante frequência, são motivados pela nobreza. Eles também podem optar por agir em prol de um ou de outro lado na guerra que envolve à todos: do lado ateniense ou do lado espartano.

Há bastante fantasia, também, em Assassin’s Creed Odyssey. Fantasia no que diz respeito ao mito de Atlântida, fantasia na maneira como são retratados determinados fatos e personagens históricos, com ações e desenrolamentos que não fazem parte da história real mas que no entanto conferem grande brilho ao game, e fantasia no que diz respeito a criaturas mitológicas. Ontem mesmo me deparei com uma Esfinge e sua série de enigmas, os quais, caso erroneamente respondidos, levam o jogador à morte.

Assassin's Creed Odyssey

São momentos, são ambientações, repletos de esplendor, de magia, de encantamento. Momentos que fazem, mais do que nunca, com que o jogador pare e pense que realmente games são também uma forma de arte. Uma forma extremamente valiosa de arte, diga-se de passagem. Uma forma de arte, aliás, com a qual podemos interagir. Com a qual qual podemos construir nossas próprias e pessoais jornadas.

Assassin’s Creed Odyssey

Cada jogador em Assassin’s Creed Odyssey formará sua própria Odisseia. Cada jogador abordará missões principais e sidequests de maneiras diferentes, optando por maneiras distintas de agir e dialogar, e tendo então de lidar com consequências, duras ou não, oriundas de seus atos e decisões.

Que dizer, então, das missões secundárias, criadas quase sempre com grande esmero? Dos romances e da sutileza com a qual são retratados? Lançado no último dia 05 de Outubro, Assassin’s Creed Odyssey continua me encantando, me deixando irritado com personagens e acontecimentos diversos, me angustiando, me deixando ansioso, me divertindo, me cativando, me fazendo querer jogar cada vez mais e mais.

Assassin’s Creed Odyssey

E isto é também uma pena, porque sei que, apesar de sua grandiosidade, trata-se de algo finito. De um jogo que uma hora ou outra chegarei ao fim, e aí, o que me restará? Partir em busca de mais e mais experiências similares, até mesmo porque uma de minhas apostas neste sentido, Fallout 76, acabou se mostrando um verdadeiro fiasco.

A Ubisoft também continua abastecendo o jogo com contratos e missões diários e semanais, além de novos mercenários para serem caçados e navios para serem saqueados. Tudo isto acaba tornando o mundo do jogo bastante dinâmico e até mesmo “vivo”: você jamais se sentirá entediado em Odyssey. Sempre há algo diferente, sempre existem novas missões, sempre existem belíssimos visuais a serem apreciados.

Assassin’s Creed Odyssey

As batalhas navais são um show à parte, aliás, diga-se de passagem. Pilotar nosso navio requer destreza e cuidado, e temos à nossa disposição dardos, flechas comuns e flechas flamejantes, as quais, dependendo do nosso nível, são capazes de causar grande estragos nos inimigos.

Viajar pelos mares da Grécia em busca de navios para pilhar (principalmente piratas), também é uma ótima maneira de obter material para crafting (através dos devidos saques). Material que poderá ser utilizado, posteriormente, na melhoria do próprio navio ou então no aprimoramento de nossas armas e equipamentos, através dos ferreiros.

Assassin’s Creed Odyssey

Enfim, tem sido uma jornada e tanto perambular por um mundo grego tão cheio de nuances, tão complexo, tão belo, repleto de personagens e histórias dignas de serem contadas a quem desejar ouvir. São histórias de superação, muitas vezes, histórias de sofrimento, histórias de lutas ferrenhas, histórias de tristezas enormes. Histórias de amor. Histórias que envolvem, muitas vezes, problemas relacionados à própria época na qual tudo acontece, e ao fato de que naquele tempo desigualdades sociais enormes também aconteciam. Tudo isto foi “capturado” pelo game, com grande cuidado.

Assassin’s Creed Odyssey

Com a introdução dos diálogos interativos, a Ubisoft deu um passo adiante em sua franquia (mais um), no sentido a fornecer ao jogador ferramentas através das quais ele é capaz de forjar sua própria Odisseia. Sua própria história pessoal em um jogo de mundo aberto. Em um grandioso RPG.

Muitos personagens, por si só, já são extremamente profundos e bem construídos, inclusive os protagonistas. As novidades introduzidas no jogo, agora um RPG completo, só vieram somar. Assassin’s Creed Odyssey é certamente um dos melhores jogos de 2018, e talvez ele ainda entre em uma lista dos “melhores de 2018” aqui no XboxPlus.

Assassin’s Creed Odyssey

Mas continuo. Continuo minha jornada pela Grécia antiga. Meu personagem já chegou ao nível 40, está bem equipado, e eu espero que a aventura ainda perdure por algum tempo. Afinal de contas, também, além da narrativa principal, temos ainda a caçada aos cultistas e Atlântida (temos de recuperar artefatos e trazer até o local). Vamos que vamos!

DLC à vista

Por falar nisso, a Ubisoft detalhou um conteúdo vindouro para o jogo. Trata-se do DLC Legacy of the First Blade, o qual será lançado no próximo dia 4 de Dezembro. Na verdade, Legacy of the First Blade será um DLC episódico, e no dia 4 será lançado seu primeiro episódio, “Hunted”.

Em “Hunted”, e ao longo dos dois subsequentes episódios que comporão Legacy of the First Blade, o jogador será colocado em contato com Darius, um guerreiro lendário que foi o primeiro a utilizar as tão famosas hidden blades.

Haverá espaço para descobrirmos se Darius é um amigo ou um inimigo, novas aventuras, e também novas e grandiosas batalhas navais. A Ubisoft também promete novas revelações pertinentes ao universo da franquia, vale ressaltar.

Os próximos episódios do DLC Legacy of the First Blade, “Shadow Heritage” e “Bloodline”, chegarão no começo de 2019, também para todas as plataformas para as quais o título foi lançado. Vamos aguardar.

Mas enquanto isso, fique com o trailer de Legacy of the First Blade:

Obs: só continuo dizendo que é uma pena que todo o marketing do jogo se foque basicamente em Alexios e se esqueça da espetacular Kassandra.

A cópia de Assassin’s Creed Odyssey utilizada neste review foi gentilmente cedida pela Nuuvem, a maior loja de jogos digitais para PC da América Latina. Lá você pode encontrar não apenas AC: Odyssey, mas também uma série de outros games, incluindo muitas ofertas bacanas.

O catálogo da loja é enorme, e inclui inclusive jogos ativáveis no Steam e no Uplay. Além disso, comprando seus games na Nuuvem através de nossos links (acima), você ajuda bastante o XboxPlus, nós agradecemos imensamente, e nada muda para você. Dê uma olhada!

Obs: confira todos os textos de Assassin’s Creed Odyssey já publicados no XboxPlus através dos links abaixo:

Ficha técnica

Título: Assassin’s Creed Odyssey

Gênero: aventura, ação, mundo aberto, RPG

Desenvolvedora: Ubisoft Quebec

Publisher: Ubisoft

Data de lançamento: 05 de Outubro de 2018

Plataformas: PC, PlayStation 4, Xbox One

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest