Lara Croft and the Guardian of Light, título desenvolvido pela Crystal Dynamics e lançado com exclusividade temporária na Xbox Live Arcade em 18 de Agosto de 2010, fechou o Summer of Arcade de 2010 com chave de ouro. O XBLA finalizou a temporada de lançamentos mostrando que a combinação aventura + puzzles que tanto sucesso fez em Tomb Raider continua sendo agradável para os gamers. Belos gráficos, jogabilidade um tanto quanto similar à de Tomb Raider, diversão elevada ao cubo e a presença dela: a mulher mais famosa do mundo dos games, a arqueóloga Lara Croft.

Lara Croft and the Guardian of Light representa um marco. Trata-se do primeiro título tendo a heroína de Tomb Raider como protagonista distribuído via download. Não é um Tomb Raider, mas possui muitos dos elementos presentes nesta famosíssima série de games, e consegue agradar tanto a fãs da série (como eu) quanto a quem nunca teve contato com a franquia. Aventuras, puzzles, ação, tiroteios, criaturas estranhas, ruínas e mistério estão presentes neste fantástico game da Crystal Dynamics, para o deleite, em primeiro lugar (em relação à data de lançamento), dos donos de um Xbox 360.

História

A história começa com uma bela cut scene simulando um desenho animado, a qual mostra a Lara encontrando um antigo artefato chamado Mirror of Smoke, o qual, na verdade, é a causa de toda a desgraça que se segue. Alguns mercenários entram em cena, tentam roubar o espelho da Lara e despertam, então, uma antiga entidade maléfica, chamada Xolotl. O resultado disto tudo é que ao despertar de Xolotl se seguiu o despertar de Totec, o Guardião da Luz, entidade do bem e “companheiro” que ajudará a Lara no decorrer do game, na busca por Xolotl, o qual escapou levando consigo o Mirror of Smoke.

Não existe muita coisa que se possa falar a respeito do enredo de Lara Croft and the Guardian of Light além disto. Isto tudo serve como premissa para que Lara saia em busca do antigo artefato. Vale ressaltar uma cena muito engraçada que acontece logo no início do game, quando Totec diz que tudo aquilo não era trabalho para mulheres e a Lara, muito impetuosa, como sempre, já “chega chegando” e planta a bomba para a abertura de uma saída. Vale lembrar, também, digamos, que este é o primeiro puzzle do game. Totec, aliás, o Guardião da Luz, pertence a uma família que, por gerações, vem guardando o Mirror of Smoke contra as investidas do mal, como o já mencionado Xolotl.

Jogabilidade

A jogabilidade deste título é um pouco confusa a princípio. Não mal implementada, longe disso, mas ela chega a confundir um pouco. Nada que uma meia hora de jogatina não resolva, de qualquer forma. Vale destacar o fato de que você utiliza o analógico direito para mirar. Aliás, basta movimentá-lo em qualquer direção para que a Lara saque as pistolas dos coldres e as aponte para a respectiva direção. Pressionando, então, o “RT”, você começa a atirar. Através do analógico esquerdo, como não poderia deixar de ser, você movimenta a personagem.

O RB aciona o gancho, o “LT” permite que você selecione as armas (aliás isto também pode ser feito através do D-Pad), o “X” faz com que a lara execute aquele rolamento característico e o “A” serve para pular. Vale ressaltar que a munição primária da Lara, ou seja, as balas das duas pistolas que ela carrega, é ilimitada. E existe um outro ítem que também pode ser utilizado à vontade: bombas.

Através do botão “Y” você “planta” a bomba. Ao fazer isto, um círculo vermelho aparece. Este círculo indica o “raio de ação” do explosivo, ou seja, serve também como um indicador de “afaste-se”. Detone a bomba com a Lara dentro do tal círculo vermelho e você fará com que a lindíssima arqueóloga sofra danos. Basta, portanto, “plantar” a bomba, se afastar do círculo vermelho e pressionar novamente o “Y”, para que a bomba seja detonada, à distância.

Em suma, isto é tudo o que pode ser dito a respeito da jogabilidade de Lara Croft and the Guardian of Light. Não é difícil, apenas requer alguns minutos de treino e paciência.

Jogando Lara Croft and the Guardian of Light

Digamos que é impossível não gostar de Lara Croft and the Guardian of Light se você já jogou algum Tomb Raider em sua vida. É claro que não se trata de mais um Tomb Raider, e sim de um “Downloadable Lara Croft“. Não é um Tomb Raider, mas possui a Lara Croft como protagonista, suas duas pistolas, muitos de seus movimentos característicos, grandes doses de mistério e puzzles. Muitos puzzles.

Enquanto outros games primam pela ação constante, Lara Croft and the Guardian of Light e a própria série de onde vem a heroína protagonista deste game primam por um excelente balanço entre momentos de ação e resolução de quebra-cabeças.  Utilize uma lança muito útil (dada à Lara pelo Totec), a qual pode ser inclusive lançada contra paredes para que a Lara suba na mesma e alcance pontos mais altos, ou então armas de fogo.

Tutoriais no mesmo estilo cartoon da cut scene do início do game vão explicando os comandos principais do game, no início, e existem locais chamados Health Shrines, onde você pode permanecer por alguns segundos até que sua energia vital seja restabelecida. Um dos artefatos mais úteis que a Lara possui em sua “mochila” é o gancho, o qual pode ser lançado contra anéis dourados que você encontra no decorrer do game e, então, é preso aos mesmos. Assim, você pode escalar paredes, atravessar abismos, etc.

Falando em puzzles, vale ressaltar que Lara Croft and the Guardian of Light é um game onde você deve lidar com os mais variados tipos. Puzzles “temporizados”, switches que devem ser mantidos em determinada posição (com uma rocha sobre eles, por exemplo) para que o mecanismo relacionado seja mantido em funcionamento, etc. Existem switches, aliás, que podem ser acionados com a bomba ou com a lança, onde a ativação ocorre à distância, digamos.

Vale lembrar que armas secundárias, como metralhadoras, por exemplo, não possuem munição ilimitada, e você deve utilizá-las com parcimônia. Ao acabar a munição da arma de fogo secundária, o game faz com que você empunhe novamente a arma primária. Algo muito bacana e que deve ser ressaltado, também, é o fato do game permitir que você altere a configuração dos botões do D-Pad que fornecem acesso direto às armas. Ou seja, você pode escolher qualquer configuração para acesso rápido ao armamento, de forma tal a utilizar a que mais se adequa ao seu estilo. Não que isto faça grande diferença, mas achei interessante ressaltar, pois muitas pessoas gostam de alterar a configuração dos botões em um jogo.

Em Lara Croft and the Guardian of Light você deve coletar powerups e diversos ítens espalhados pelo cenário. É um game para quem gosta de procurar, pesquisar, “fuçar”. Aliás, não seria um descendente de Tomb Raider se não possuísse esta característica. E por falar nisto, existem as Challenge tombs, sempre marcadas por uma luz vermelha.

Sua passagem pelas mesmas é opcional, mas se você as “experimentar” ganhará tesouros raríssimos. Vale também destacar o fato de que o título possui uma característica muito interessante, em relação aos ítens que podem ser coletados. Dependendo das relíquias que você coleta, você pode meio que evoluir a personagem. Por exemplo, coletando a Clay Arrow , você aumenta a força da heroína em +1 e, entretanto, reduz sua defesa em -1.

São inúmeras as possibilidades, e isto funciona meio que como um sistema de evolução de personagens. Save points muito próximos ajudam no progresso, e para resolver muitos puzzles você deve utilizar muita estratégia. Sabe aquela coisa de deixar uma bomba para trás, pronta para ser detonada, colocar em funcionamento um mecanismo que abre determinado portão, avançar, detonar a bomba que ficou para trás, etc? Então, o game tem muito disto, o que ajuda a aumentar os desafios.

Algo muito interessante em Lara Croft and the Guardian of Light é o fato de cada nível possuir desafios e recompensas, dependendo do seu progresso. Isto pode ser conferido a qualquer momento através do botão “Back”. Você terá de lidar tanto com desafios relativos à pontuação quanto relativos à coleta de certos ítens. Este fator torna o game muito mais interessante, e aumenta muito a diversão.

Gráficos e trilha sonora

O game já inicia com uma música introdutória que é lindíssima e que faz com que sintamos uma vontade enorme de iniciar logo a jogatina. Toda a trilha sonora de Lara Croft: GoL é muito mais do que adequada. Orquestral e repleta de elementos que lembram música indígena, em alguns momentos, a trilha sonora do jogo funciona como um excelente catalisador para nossas energias em um game deste porte. Força, mistério, ação, medo, etc: tudo isto pode ser “obtido” como um extra através da excelente trilha sonora do game.

Os gráficos são belíssimos. Em perspectiva isométrica, eles ajudam bastante na jogabilidade do primeiro título distribuído via download tendo a Lara Croft como protagonista. Minha única crítica aqui vai para a câmera: achei-a um pouco fixa demais, fazendo com que muitas vezes percamos detalhes e/ou soframos um pouco durante a movimentação.

No mais, os gráficos são lindíssimos. Surpreendentes, mesmo. É notável o realismo da vegetação, e o fato da mesma se mover conforme você roça na mesma. Os efeitos de luz e sombra estão muito mais do que perfeitos, e as explosões e a fumaça possuem tanta beleza que parece que não estamos jogando um XBLA. Bom, mas temos de convir que os XBLA’s estão evoluindo cada vez mais, e não está longe o tempo em que eles se igualarão aos ditos games AAA (assim espero).

A modelagem dos personagens, principalmente de alguns inimigos cujo tamanho suplanta o da Lara, é fantástica. A beleza dos locais pelos quais você passa é tamanha que em determinados pontos a altura chega a causar vertigens. Confesso que este game me surpreendeu, e são inúmeros os adjetivos positivos que eu gostaria de dizer a seu respeito: surpreendente, belo, divertido, desafiador, imponente, viciante, vale mais do que custa e… coloca novamente a Lara Croft em cena. 🙂

Outros modos de jogo

Ainda estou aguardando pelo update que permitirá co-op online. Isto será fantástico. 🙂

Conclusão

Lara Croft and the Guardian of Light trouxe de volta uma das mais queridas heroínas dos vídeo-games, em plena forma e oferecendo aos jogadores tudo de bom que ela sempre ofereceu: aventuras, puzzles, mistério e ação. Se você procura por um game com doses muito bem calculadas de todos estes elementos, não deixe de conferir este título.

Ficha

Título: Lara Croft and the Guardian of Light
Gênero: Ação/Aventura
Desenvolvedora: Crystal Dynamics
Distribuidora: Square Enix
Data de lançamento: 18 de Agosto de 2010 na Xbox Live – 28 de Setembro de 2010 para PC e na PSN
Plataformas: PC, Xbox 360 e Playstation 3

Pin It on Pinterest