Life is Strange 2 é um adventure e tanto. O jogo, também da competentíssima DONTNOD Entertainment (Vampyr, Remember Me, etc) , é uma sequência digna e interessantíssima. No título, encarnamos o jovem Sean Diaz, o qual, juntamente com seu irmão Daniel, empreende uma fuga devido a acontecimentos catastróficos que tiveram origem quase no quintal de sua casa.

Na verdade, o jogo lida com uma certa xenofobia, e isto é demonstrado desde o início. Sean e Daniel, de 16 e 9 anos, respectivamente, são de descendência mexicana. Seu pai veio de um local no México chamado Puerto Lobos, e conseguiu vencer nos Estados Unidos trabalhando como mecânico de automóveis.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

As demonstrações xenofóbicas aparecem logo de início, através de bilhetes encontrados por Sean e dirigidos a seu pai, escritos pelo vizinho, Scott Vaughn Foster, o qual reclama bastante dos meninos e chega inclusive a exigir a construção de um muro alto entre ambas as residências. O jogo também lida com algumas críticas sociais, além de contar com algumas referências a elementos de nosso cotidiano, como por exemplo Minecraft e Netflix.

A xenofobia acima mencionada, aliás, também está presente em determinado momento do gameplay, quando determinado personagem diz que é por causa de “gente como eles” (os meninos) que o tal muro deve ser construído, uma clara referência ao muro que Donald Trump quer construir na fronteira entre os Estados Unidos e o México.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Roads, o primeiro episódio de Life is Strange 2, tem um começo meio lento, apresentando o jogador à vida pacata que o personagem principal leva. Uma vida comum de adolescente em Seattle, cheia de amigos, baladas, festas, flertes com algumas meninas e a convivência com um pai extremamente amigo e liberal. Sean é até um tanto quanto inseguro, e é sua melhor amiga, Lyla, quem dá uma forcinha quando ele se interessa por uma menina e tem intenção de convidá-la para namorar, quem sabe, em uma festa que acontecerá no dia fatídico, à noite.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Digo dia fatídico pois antes do fim do mesmo, antes da tal festa, acontecimentos catastróficos envolvendo a família Diaz, seus vizinhos e a polícia acontecem. Acontecimentos estes também catapultados por grandes doses de intolerância contra a família por parte da polícia, os quais acabam culminando na morte do pai dos garotos e na fuga dos dois irmãos. Os dois logo se tornam, então, fugitivos da polícia, e caem na estrada, tendo de lidar com pouco dinheiro e com as vicissitudes de pessoas que não podem permanecer por muito tempo em algum lugar.

A relação entre os dois irmãos é aquilo que poderíamos esperar, mesmo: os dois brigam, algo comum entre irmãos, principalmente considerando-se a diferença de idade, mas também são bastante unidos, união esta que vai sendo paulatinamente reforçada, ao longo deste primeiro episódio.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Roads nos apresenta ao universo de Life is Strange 2, e talvez por isto ele tenha aquele começo meio lento, um tanto quanto arrastado. Mas logo as coisas mudam radicalmente, e o que antes era monotonia se transforma rapidamente em caos e luta pela sobrevivência.

Como no primeiro Life is Strange, temos aqui também a presença de poderes sobrenaturais. É Daniel, o irmão menor, quem os possui, e eles parecem estar ligados a algum tipo de telecinese. O menino é capaz de arremessar coisas, e também de causar grandes estragos à sua volta, tudo isto quando passa por momentos de grande stress. Isto acontece, aliás, no fatídico momento em que o pai dos dois é baleado e morto pela polícia: grande destruição é então provocada pelo garoto, o qual passa a não se lembrar de nada do que aconteceu, daí em diante.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Sean passa então a carregar toda a carga do acontecimento, e também carrega consigo grande culpa, principalmente por não contar logo de início ao irmão o que realmente de fato aconteceu. O jogo apresenta delicadamente a intrincada relação entre os dois, alternando momentos de brincadeira e leveza e situações em que Sean deve acalmar seu irmão ou então lidar com ele com um pulso um pouco mais firme.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Existem algumas novidades muitíssimo bem vindas em Life is Strange 2: Sean carrega consigo uma mochila repleta de elementos, muitos dos quais são de grande utilidade ao longo do gameplay. Existem também souvenirs que podem ser utilizados para a personalização da tal mochila, os quais podem ser coletados durante o jogo, e também há a presença de dinheiro. Sean deve realizar algumas compras, principalmente de itens alimentícios, e há inclusive a possibilidade de roubar algumas coisas.

Obs: no que diz respeito ao lado monetário, é possível adquirir várias coisas, mas também devemos ficar atentos à nossa carteira, gerindo adequadamente nosso pouco dinheiro tendo em vista a longa jornada que temos pela frente.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Tal decisão (roubo), é claro, está nas mãos do jogador, o qual deve sempre ter em mente que estamos lidando com um game no qual existem escolhas e consequências. Qualquer ação, qualquer decisão tomada, pode alterar o rumo da história e resultar em acontecimentos benéficos ou maléficos para os dois personagens principais. Tudo deve ser observado com cuidado, todos os diálogos e respostas devem ser muito bem analisados, sob pena de incorrermos em erros que, mais adiante, poderão resultar em consequências não lá muito agradáveis.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Há também a possibilidade de interação direta com Daniel, o irmão menor, e isto é sempre indicado em tela através de um ícone em azul. Fico aqui me perguntando, aliás, se ao longo da temporada seremos capazes, de alguma maneira, de controlar o fantástico poder do menino, até mesmo porque existe uma cena pós-créditos capaz de nos fazer pensar bastante no assunto.

E o poder é tão interessante (sem esquecer, é claro, da fantástica habilidade de Max, no primeiro Life is Strange, de manipular o tempo) e útil, muitas vezes, que ficam realmente em nossa mente a dúvida e a vontade de utilizá-lo diretamente.

O jogo todo é embalado por uma linda trilha sonora, assim como The Awesome Adventures of Captain Spirit. Existem toques de piano e principalmente violão, e quase toda ela é bastante melancólica, meio que contribuindo para aumentar o clima de tristeza que envolve os dois irmãos fugitivos.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Sean e Daniel, além disso, se tornam cada vez mais ligados, cada vez mais amigos. Trata-se de uma amizade que transcende a simples irmandade, e é realmente emocionante observar o cuidado que um tem para com o outro. Existem também escolhas que representam perigo à saúde dos dois meninos, como por exemplo em determinado momento na floresta onde é apresentada a ambos a oportunidade de comer ou não algumas frutas desconhecidas.

Escolhas, decisões e consequências, como já dito acima, estão ali no cerne de Life is Strange 2. O jogador é meio que bombardeado, também, com inúmeros elementos passíveis de interação, em tela. São bilhetes, quadros, cartões postais, placas, letreiros, etc. Todos elementos que ajudam a reforçar a narrativa, fornecendo aquele pano de fundo delicioso que faz com que desejemos imergir ainda mais no universo do jogo, no relacionamento entre Sean e Daniel, na grande injustiça que foi contra eles cometida. Não faltam, também, referências à Arcadia Bay do primeiro Life is Strange, vale lembrar.

A ambientação do título é simplesmente fantástica, e alternamos entre momentos de calmaria e momentos mais complexos, que exigem mais do jogador no tocante à interação com vários elementos. Os gráficos também são lindíssimos, e não são poucos os momentos em que paramos simplesmente para observar o belíssimo visual à nossa volta, capturando screenshots sem parar (capturei “toneladas” delas, aliás).

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Em alguns momentos, como de praxe na franquia, Sean começa a dialogar consigo mesmo, em seus pensamentos. Ele começa a fazer várias reflexões. Tais momentos servem para fornecer ao jogador um panorama melhor daquilo que o menino pensa a respeito de tudo o que acontece à sua volta. Tais momentos também ajudam o jogador a ter uma ideia melhor a respeito do nível de tortura mental ao qual Sean está submetido, devido ao fato de estar mentindo para seu irmão, sem contar-lhe a verdade sobre o que realmente aconteceu em Seattle.

Tais momentos, aliás, também funcionam de maneira tal a fazer com que tenhamos uma noção melhor sobre o próprio universo do jogo e da realidade na qual os dois personagens principais estão inseridos. É muito bacana.

Mas o jogo todo é permeado por grande delicadeza e melancolia. Os dois irmãos fogem da polícia e não faltam momentos que representam risco à liberdade dos dois. Eles começam a empreender uma grande fuga em direção à terra natal de seu pai, Puerto Lobos, no México, e a DONTNOD começa aqui, em Roads, a pavimentar o terreno para tal empreitada. É um começo e tanto, apesar de eu ter sentido que a aventura, talvez, tenha se alongado em demasia.

Life is Strange 2 - Episódio 1: Roads

Mas tudo bem, este é um pequeno e irrelevante detalhe tendo em vista a magnitude da obra que temos em mãos. Sensível, profunda e comovente, a aventura de Sean e Daniel em Life is Strange 2 tem tudo para nos emocionar ao longo dos cinco capítulos (quatro ainda estão por vir).

Temos aqui mais um belíssimo trabalho da desenvolvedora francesa. Life is Strange 2 – Roads termina de forma melancólica, mas também transmite ao jogador uma grande dose de esperança. Vamos aguardar pelo próximo episódio. A estrada será longa e as surpresas inúmeras, certamente.

Ficha técnica

Título: Life is Strange 2 – Episódio 1: Roads

Gênero: aventura

Desenvolvedora: DONTNOD Entertainment

Publisher: Square Enix

Data de lançamento: 26 de Setembro de 2018

Plataformas: PC, PlayStation 4, Xbox One

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest