Light Fall é um charmoso jogo de plataforma desenvolvido por um pequeno estúdio canadense chamado Bishop Games. Trata-se de um título bastante apropriado a quem aprecia um altíssimo nível de desafio, o qual também tem lá suas semelhanças com Limbo, da PlayDead, no que diz respeito aos gráficos.

Em Light Fall, estamos em um mundo sombrio, dominado pelas trevas, chamado Numbra. Ali, o sol nunca nasce, segundo a própria coruja Stryx, a qual vai narrando os acontecimentos durante todo o gameplay, além de fornecer dicas e informações a respeito do passado do protagonista.

Stryx, vale também ressaltar, chega a ser até um tanto quanto engraçada, principalmente quando comenta a respeito das falhas do personagem principal, ou seja, do jogador, ou então quando chega a criticar alguma das antigas divindades de Numbra.

Light Fall

Acontece que o protagonista é um garotinho sem nome pertencente a uma antiga raça conhecida como Kamloops. Ele perdeu sua memória. Não se lembra de nada, nem de seu passado nem tampouco de seu nome, e é Stryx quem vai fornecendo uma ou outra dica, aqui ou ali. A presença da velha coruja é muito bem vinda, pois permite que tenhamos um maior conhecimento do mundo que nos cerca, além de lembrar bastante a narração de Bastion, outro ótimo jogo. É através de Stryx, portanto, que vamos tomando conhecimento a respeito do que aconteceu em Numbra, um mundo agora em colapso.

Ficha técnica

Título: Light Fall

Gênero: aventura, plataforma

Desenvolvedora: Bishop Games

Publisher: Bishop Games

Data de lançamento: 26 de Abril de 2018

Plataformas: Nintendo Switch, Windows, Mac

Versão analisada: Windows

Light Fall

Algo digno de nota em Light Fall são as Shadow Cores, blocos que o personagem principal pode “invocar” à qualquer momento. Elas funcionam como plataformas, podem ser utilizadas para colocar velhos mecanismos em funcionamento, podem ser utilizadas para barrar lasers mortais e também podem ser utilizadas como arma, em determinados momentos. Até quatro Shadow Cores podem ser “chamadas” ao mesmo tempo, sendo que a contagem é sempre zerada no momento em que o menino silencioso toca a terra firme novamente (ou até mesmo locais que desabam em questão de segundos – tudo o que é preciso é aterrissar em algum local que fique firme por alguns poucos segundos).

Light Fall

As Shadow Cores permitem uma série de estratégias interessantes. É possível passar períodos até que bem grandes sem tocar o chão, e elas também alteram bastante a dinâmica do jogo ao serem posicionadas como bloqueios. Light Fall é um jogo desafiador: não se engane.

Apesar de ser possível atravessar longos trechos sem tocar o chão, chega um determinado momento em que você pode ter esgotado o número máximo de blocos em utilização (4), e aí, apenas um salto certeiro para uma plataforma/local estável fará com que seja possível invocá-los novamente. A distância pode ser um problema, aqui, bem como a distância em que as Shadow Cores anteriores foram posicionadas (perceba que a distância entre a segurança e o perigo depende bastante da maneira e do momento como os blocos foram “invocados”).

É daí também que vem algo bastante chamativo no game: longos trechos sem bases sólidas, sem plataformas onde nos firmarmos/posicionarmos. Alie a isso a presença de plataformas em movimento, lasers mortais, lagos e inimigos, e você terá uma combinação que talvez irrite os jogadores que não são tão fãs de fortíssimos desafios. Talvez um dos grandes problemas de Light Fall seja justamente este: sua altíssima dificuldade.

Light Fall

A dificuldade de Light Fall, vale lembrar mais uma vez, é brutal, apesar do mesmo contar com checkpoints bem próximos um do outro. Teríamos aqui um “Dark Souls dos jogos estilo plataforma”? Talvez, quem sabe: com bastante frequência somos obrigados a repetir determinados trechos à exaustão, apenas para acertar aquele último e dificílimo salto, isto após passar com sucesso por momentos repletos de desafios.

Light Fall

O jogo é muito bonito, isto não se pode negar. Existem lá semelhanças com Limbo, mas sem aquele preto e branco todo. Aqui, temos tons mais coloridos e a presença de um azul brilhante que deixa tudo um pouco menos tétrico. Os gráficos não são lá muito elaborados, é verdade, mas cumprem com a proposta do título, e são bastante elegantes (apenas achei que o menino sem nome poderia ser um pouquinho maior, até mesmo a fim de reduzir um pouco a dificuldade do jogo – ok, aqui posso estar sendo um tanto quanto rabugento).

Light Fall também tem lá um pé no speedrun: algumas fases chegam a nos impelir a correr bastante (joguei com o controle do Xbox 360, e para correr, assim, utilizamos o botão RT). Podemos correr à qualquer momento, obviamente, apenas temos de ter em mente que nem sempre esta é a melhor estratégia, uma vez que controlar Shadow Cores e saltos milimétricos são coisas que destoam de velocidades altíssimas. Existe, vale ressaltar, um menu especial para o speedrun, com direito a leaderboards e tudo, sendo que fases adicionais aqui vão sendo desbloqueadas conforme vamos progredindo no jogo.

Light Fall

A jogabilidade é bastante fluida, e controlar o pequeno e mudo protagonista não é muito difícil. A mecânica das “caixas invocáveis” também foi muito bem implementada, e não serão raros os momentos em que você se verá saltando e correndo à toda velocidade enquanto “chama” caixa atrás de caixa. O personagem principal também conta com um poder especial bastante interessante. Trata-se de uma espécie de raio que pode ser lançado e que é capaz de dar cabo dos mais variados inimigos.

Light Fall foi lançado para Windows, Mac e Nintendo Switch, e no PC, não existem muitas opções gráficas além de ajustes de resolução e Vsync. Tudo bem, também não estamos aqui falando a respeito de um jogo cujo foco esteja em gráficos mirabolantes, com efeitos de partículas espetaculares, com sombras avassaladoras e texturas de altíssima qualidade.

Light Fall

De qualquer maneira, Light Fall é um jogo divertidíssimo, desafiador ao extremo e bonito. As Shadow Cores tornam tudo mais interessante ainda, enquanto seus gráficos simples porém competentes ajudam a transformar a aventura em um deleite para os fãs de jogos de plataforma. Apenas espere por muitos, muitos desafios.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest