Pirates of Black Cove foi desenvolvido pela Nitro Games e publicado pela Paradox Interactive. Trata-se de um jogo bem interessante, que mistura estratégia em tempo real com RPG. A história de Pirates of Black Cove ocorre durante o século 16, e o título apresenta ao jogador o interessante “mundo dos piratas”, de forma bem bacana.

O game permite que o jogador escolha um dentre 3 personagens, logo de início. Cada um deles, é claro, possui suas respectivas fraquezas e peculiaridades: Walker de Planc, uma mulher chamada Jolly Roger e Longshot Jack. O jogo também possibilita que o jogador escolha armamento especial para seu navio, como por exemplo o “slowdown harpoon”, a “human catapult” ou as “mine barrels”. Pirates of Black Cove também conta com muito humor em seu enredo, vale lembrar.

Podemos até mesmo dizer, em relação a Pirates of Black Cove, que ele é uma espécie de homenagem da Nitro Games a Sid Meier’s Pirates!, título lançado em 1987. Black Cove conta com um amplo mundo para exploração, e ao navegar pelos mares caribenhos, o jogador se deparará com os mais diversos tipos de navios, cada um deles possuindo um determinado foco, pertencendo a determinada facção, etc. Você pode atacar qualquer navio que encontrar pela frente, deliberadamente, e dependendo da situação e de sua força, o tal navio pode revidar (você pode vencer ou ser destruído) ou até mesmo fugir.

Seus navios contam com canhões posicionados nas laterais, e a dirigibilidade dos mesmos demanda um certo tempo de aprendizagem. É possível aumentar ou reduzir a velocidade, e até mesmo obter informações a respeito de seu próprio navio e a respeito de outros que passam pelo seu caminho. Isto é muito importante no momento de detectar se algum possível inimigo pode ou não ser atacado.

Você pode participar de uma facção, por exemplo, e realizar diversas quests. Logo de início você recebe sua primeira missão, ou quest, fornecida pelo Coronel QuickDraw. Trata-se de uma espécie de “missão tutorial”, para que você aprenda os macetes do jogo. Esta quest é uma simples missão onde você tem de se dirigir a uma determinada fortaleza e entregar uma mensagem para o chefão dos piratas. É claro que a partir daí outras quests virão, e tudo começará a acontecer.

O título da Nitro Games conta com gráficos muito bonitos. O aspecto do mar é bonito demais, aliás. O brilho do sol, gaivotas voando, ondas, a esteira de espuma deixada pelo seu navio e as ilhas espalhadas pelo oceano fazem parte de um belo espetáculo criado pela Nitro Games. Como capitão, você também conta com diversas ferramentas para auxiliá-lo durante a navegação. Através do “Captain’s Log” você pode encontrar informações detalhadas sobre cada quest. Existe também um mapa, para ajudar durante a navegação. Informações a respeito de seu inventário e de seu personagem também podem ser facilmente visualizadas.

É interessante ressaltar também, em Pirates of Black Cove, a questão da fama. Da reputação. Você tem de jogar pensando, de certa forma, em “fazer bonito”. Sempre almejando crescer. Sempre tentando evoluir seu personagem. Para se tornar o “Rei dos Piratas” você terá de “trabalhar” bastante. Você pode desembarcar em diversas fortalezas e aí, então, o “jogo marítimo” se transforma em “jogo terrestre”. Nas fortalezas, ou “strongholds”, você pode contratar piratas, realizar upgrades e também construir diversos tipos de edifícios.

É preciso, aliás, erguer a construção adequada para que você possa também criar novas unidades para seu exército pirata, e nos “shipyards” você pode realizar upgrades, comprar e vender navios. Existem diversas situações engraçadas em Pirates of Black Cove. Vidas de inimigos dos piratas podem ser salvas mediante a simples promessa de entrega de carregamentos de comida para tubarões. Lições para indivíduos que perturbam a vida dos piratas também são dadas de maneiras semelhantes, algumas vezes.

O jogador também é capaz de realizar diversas quests para cada uma das facções presentes no jogo: “pirates”, “buccaneers” e “corsairs”. Tudo isto serve também para aumentar a fama do personagem junto a cada uma delas. Quanto mais prestígio o jogador conseguir obter dentro de cada facção, quanto mais poder e controle obter, melhor será para ele, e o caminho para se tornar o “Rei dos Piratas” começará aos poucos a ser aberto.

Um dos problemas, entretanto, em Pirates of Black Cove, é o fato de suas unidades não poderem sofrer upgrades. Isto as torna, além de fracas, descartáveis. A melhor maneira de se sair bem em uma missão em terra, por exemplo, é utilizar suas unidades de forma estratégica porém tentando ao máximo manter o protagonista protegido. E quando digo “forma estratégica”, aqui, quero dizer: envie todos os seus piratas para cima do inimigo e tente se poupar ao máximo. É claro que chega um momento em que você poderá recrutar personagens mais fortes, mas a grande massa de fracos “soldados” sempre será sua principal força durante os combates. Além disso, não existe uma grande variedade em relação às quests que você recebe. Basicamente, você irá viajar muito pelo oceano, destruir alguma coisa, eliminar governadores ou outras personalidades, resgatar pessoas, etc. Você pode também, para sua própria diversão, atacar os navios que encontrar pelo caminho, por sua própria conta e risco.

O gerenciamento das unidades também é extremamente básico. Você apenas pode controlar a movimentação e dar ordens de ataque, digamos. Não é possível, por exemplo, dar ordens mais complexas. Não é possível fazer com que as unidades ajam da mesma forma que o protagonista. Isto torna o lado estratégico de Pirates of Black Cove um tanto quanto frágil.

É claro: o jogador pode pilhar e atacar diversas ilhas, e explorar bastante o universo do jogo. Mas isto acaba sendo cansativo devido às fragilidades acima mencionadas. É possível também sair à busca de ingredientes para a criação de poções as mais diversas junto ao “Mad Alchemist”, vale lembrar. Os combates marítimos também não são muito empolgantes, e o jogador, na maioria das vezes, terá apenas de lutar para manobrar o navio e direcionar os canhões para o inimigo, disparando, então.

Pirates of Black Cove tinha tudo para ser um jogo fantástico, mas ele peca em diversos elementos. Um destes, aliás, é a parte sonora. Os sons emitidos pelo protagonista quando você dá alguma ordem a ele, como por exemplo uma simples ordem para andar, chegam a ser irritantes. Não parece que muita atenção foi dada à parte sonora do jogo.

Já seus gráficos, entretanto, são belíssimos. Navegar por navegar pode representar um prazer à parte, e durante este “jogo paralelo”, você se deparará com ilhas, encostas, praias, fortalezas e diversos outros elementos belíssimos, os quais mostram que , em relação à parte gráfica, Pirates of Black Cove é um primor. Infelizmente, não podemos dizer o mesmo do jogo como um todo, principalmente de seu lado estratégico.

Conclusão

Pirates of Black Cove é um jogo que conta com bons e maus momentos. Altos e baixos. No geral, sua parte estratégica conta com falhas gritantes. Seu lado sandbox, entretanto, aliado a seus belíssimos gráficos, pode ser interessante a muitos jogadores. Trata-se de um jogo que, felizmente, conta com uma demo à disposição dos jogadores, os quais podem então decidir por si próprios se vale a pena comprá-lo ou não.

Nota

7/10

Ficha Técnica

Título: Pirates of Black Cove
Gênero: Estratégia / RPG / Aventura
Desenvolvedora: Nitro Games
Distribuidora: Paradox Interactive
Data de lançamento: 02 de Agosto de 2011
Plataformas: PC
Versão analisada: PC

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest