Eis que temos o episódio mais bombástico de The Council, pelo menos até agora. Temos revelações capazes de alterar o rumo da história de diversas maneiras (dependendo sempre de nossas escolhas, obviamente), temos máscaras que caem, e temos também a possibilidade de escolher entre a vida ou a morte de mais de um personagem, em momentos distintos, sendo que nós seremos, caso optemos por tal linha de ação, os algozes.

Aliás, em relação a tais mortes, é importante ressaltar que pelo menos uma delas será extremamente dramática. Em The Council Episode 4: Burning Bridges finalmente são revelados os verdadeiros motivos do tal Conselho na ilha do Lorde Mortimer. Finalmente conhecemos a verdadeira natureza das maquinações que ali ocorrem, finalmente são explicados alguns porquês, os quais desde o primeiro episódio martelam nossa mente.

No episódio 1, The Mad Ones, fomos apresentados a um ambiente riquíssimo e repleto de personagens profundamente construídos. A uma trama, também, profunda e interessantíssima. Fomos também apresentados às mecânicas do jogo, à esplêndida mistura entre adventure e RPG, às habilidades desbloqueáveis, à possibilidade de evolução do personagem principal, Louis de Richet, etc.

The Council Episode 4: Burning Bridges

No episódio 2, Hide and Seek, mais alguns questionamentos foram feitos por Louis, o qual acabou se deparando com diversos acontecimentos ligados a ocultismo. Isto sem contar com o fato de que foram reveladas conexões um tanto quanto intrigantes pertinentes a alguns personagens. Ah, e tivemos também aquele final assustador, capaz de deixar muitos jogadores ansiosos ao extremo pelo próximo e terceiro episódio, Ripples.

Em Ripples observamos The Council atingir um ar grandioso, com revelações a respeito do que acontece de fato no tal Conselho promovido por Lorde Mortimer, incluindo planos tendo em vista decidir o destino de nações do mundo todo. Também pudemos descobrir mais detalhes a respeito do ocultismo presente no jogo, incluindo revelações assustadoras (no momento em que foram feitas) por parte de Sarah de Richet, mãe do protagonista.

Neste quarto episódio, Burning Bridges, muitas coisas finalmente são esclarecidas, e Louis é obrigado a conviver, dependendo das escolhas e do desempenho do jogador no episódio anterior, com algo dramático que carregará consigo pelo menos até o final do mesmo. Louis e sua mãe logo se separam, com missões distintas, e uma nova área da enorme mansão é revelada, área esta que guarda segredos capazes de fazer com que o jogador questione muito daquilo que já presenciou.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Agora temos mais espaço para exploração e investigação, além disso, e puzzles menos intrincados, o que muito me alegrou. Não que eu seja contra quebra-cabeças, mas no caso de um jogo como este, com uma narrativa tão intensa e profunda, além de imersiva, creio que os mesmos meio que quebram o ritmo, desviando a atenção do jogador da história riquíssima que tem à sua frente.

Em Burning Bridges, Louis deve investigar vários locais da mansão de Mortimer em busca de respostas. Ele deve ler livros sagrados, inspecionar obras de arte e também conversar com determinados personagens versados em uma determinada disciplina importantíssima para o desenrolar da história.

The Council Episode 4: Burning Bridges

O episódio também conta com várias referências à Bíblia, a Jesus Cristo e ao próprio cristianismo em si, sendo que passagens bíblicas (e alguns dos evangelhos) também devem ser buscadas e lidas por Louis, tendo em vista o descobrimento de pistas que possam dar seguimento à narrativa extremamente instigante. Não faltam também investigações referentes ao centurião romano Longinus, o qual teria ferido Jesus Cristo com uma lança durante a crucificação.

Tudo isto acaba formando um conjunto extremamente coeso e intrincado, capaz de proporcionar momentos verdadeiramente dignos de nota aos jogadores em busca de enredos interessantes e que misturam realidade com ficção.

E The Council faz isso muito bem desde o início, até mesmo porque temos ali fictícias presenças de grandes personagens históricos, como por exemplo Napoleão Bonaparte, George Washington, etc. Tais personagens, vale também a pena lembrar, não estão ali apenas para “encher linguiça”: eles desempenham papeis importantes na trama, eles participam de diálogos interessantíssimos com o protagonista, eles discordam ou concordam com nossas ações. Eles estão ali para somar, verdadeiramente.

The Council Episode 4: Burning Bridges consegue manter a atenção do jogador através de um conjunto muito bem encadeado de momentos que envolvem exploração, decisões, diálogos e ação. Algo muito importante a respeito do passado de Louis lhe é revelado, além disso, e tal revelação é capaz de aprimorar ainda mais a experiência do jogador, ao colocá-lo em contato com mais detalhes da história, dos personagens, da origem do Conselho, das reais motivações de Mortimer e também de quem ele é na verdade.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Não apenas isso: uma nova mecânica é introduzida no jogo à partir de tal revelação, e tudo fica ainda mais interessante a partir daí, com novas e importantes informações passíveis de descobrimento em cada novo diálogo. É interessante também ressaltar o fato de que indícios a respeito foram dados desde o primeiro episódio do jogo, e estes indícios foram todos muito bem encobertos sob uma aparente capa de normalidade, extremamente bem construída e introduzida no contexto das diversas situações pelas quais passou o protagonista.

Se em Ripples fomos introduzidos a algumas das motivações por trás das grandiosas reuniões promovidas por Mortimer, em Burning Bridges finalmente descobrimos mais detalhes sobre as mesmas e sobre nosso anfitrião.

Algo verdadeiramente soberbo neste episódio está ligado ao fato de que somos postos em contato com diferentes forças, forças que brigam entre si, com objetivos claramente distintos, sendo que em ambas pude sentir referências, ou no mínimo semelhanças, com Templários e Assassinos em Assassin’s Creed.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Os Conselhos de Mortimer representam apenas pontas de icebergs, de algo muito mais profundo, de algo bastante enraizado na história da própria humanidade. Eles representam momentos em que forças ocultas e poderosas são postas em ação, sem que a grande maioria de seus participantes sequer se dê conta.

Burning Bridges também conta com vários confrontos, aqueles momentos interessantíssimos em que temos de “duelar através de palavras”, tentando convencer nossos opositores de que estamos dizendo a verdade e/ou tentando trazê-los para o nosso lado do jogo. Isto acontece em diversos momentos da trama, até mesmo com Napoleão Bonaparte, vale ressaltar.

The Council Episode 4: Burning Bridges

O uso de Effort Points, a escolha dos manuscritos certos antes do início de cada capítulo, a utilização dos consumíveis corretos nos momentos apropriados, e a atenção às várias oportunidades que surgem durante alguns dos diálogos: tudo isto continua sendo extremamente importante no jogo, e você deve sempre prestar a máxima atenção a todos estes detalhes.

Effort Points são realmente muito bem vindos, em diversos momentos, destravando opções extremamente valiosas em diversos diálogos, e o jogador também deve sempre analisar o dossiê que conta com informações detalhadas a respeito de todos os personagens, incluindo seus pontos fracos e invulnerabilidades, a fim de atacar o que deve ser atacado e não perder tempo com opções que, no final das contas, se mostrarão inúteis.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Roubar, mentir, flertar, enganar, tentar obter vantagens através de meios escusos: tudo isto continua sendo possível, e é de suma importância prestar o máximo de atenção nos personagens e nos próprios diálogos em si. A tal revelação que mencionei acima, a respeito de Louis, bem como a nova mecânica introduzida no jogo, representam também elementos importantíssimos durante o episódio.

Isto sem falar no fato de que com tal revelação em mãos, Louis acaba descobrindo mais a respeito do passado de sua mãe, e tais descobertas colocam mais dúvidas ainda em sua mente já um tanto quanto sacudida (tais revelações têm a ver também com as visões e com o sangramento nasal de Louis, já citados em minha análise do primeiro episódio do título). Possíveis mentiras também fazem parte de Burning Bridges, e tudo isto acaba contribuindo para que o jogador, no papel de Louis, acabe cercado por muitas dúvidas.

Vale a pena também destacar que o jogador, neste episódio, começa a duvidar de muitas coisas. Personagens antes tidos como confiáveis passam a despertar dúvidas, e o oposto também é verdade, em relação a personagens que antes tínhamos como inimigos. O enredo ficou ainda mais intrincado, e isto somente agrega mais valor ao excelente jogo desenvolvido pela Big Bad Wolf.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Louis acaba muito rapidamente se vendo no meio de uma grande conspiração, no meio de algo muito maior do que ele mesmo ou das próprias intenções iniciais de sua mãe. Ele acaba percebendo que até então agiu como um mero peão em um jogo muito mais profundo e cheio de consequências, muitas delas funestas, dependendo do lado vencedor. Ele acaba se sentindo frustrado, assustado, preocupado, mas também ao mesmo tempo mais motivado a prosseguir e chegar ao cerne de tudo aquilo.

O quarto episódio de The Council ainda continua com aqueles probleminhas chatos em relação às legendas: em determinados momentos ouvimos perfeitamente o áudio e no entanto não observamos legenda alguma sendo exibida. Em outros, temos falta de sincronia entre áudio e legenda.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Notei também um certo cansaço em relação à trilha sonora: ela é muito bonita, consegue acompanhar de maneira excelente os diferentes momentos da narrativa, incluindo trechos de tensão ou de maior relaxamento. No entanto, são sempre as mesmas músicas, ao longo dos quatro capítulos, e agora fatalmente chegamos a um ponto em que elas nos cansam em demasia, dada a enorme repetitividade.

Estes pequenos problemas, no entanto, não tiram o brilho de Burning Bridges. O episódio é o melhor, até agora, principalmente levando em consideração a estupenda revelação feita a Louis. E perceba que eu disse o mesmo em relação ao terceiro episódio, Ripples. Ou seja, o jogo só melhora.

The Council Episode 4: Burning Bridges

Trata-se de um episódio verdadeiramente imperdível para quem vem acompanhando a saga de Louis de Richet. The Council é um dos melhores adventures dos últimos tempos, com seus grandes diferenciais e sua trama profunda, incluindo a introdução de personagens históricos que desempenham papel importantíssimo na mesma. Não deixe de jogar!

Ficha técnica

Título: The Council Episode 4: Burning Bridges

Gênero: aventura, RPG

Desenvolvedora: Big Bad Wolf

Publisher: Focus Home Interactive

Data de lançamento: 25 de Setembro/2018 para quem possui o season pass, e 27/09/2018 para os demais

Plataformas: Xbox One, PlayStation 4, PC

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest