(Review) The Walking Dead: 400 Days

400 Days

O pior não é o fim do mundo, mas sim o que vem depois disso. Talvez essa seja a principal mensagem pregada pela franquia The Walking Dead em suas histórias em quadrinhos, na série de TV e na adaptação em formato point-and-click adventure da Telltale. Enquanto a produção cinematográfica da AMC encerrou a terceira temporada com um dos piores episódios de toda a série, o drama vivido por Lee Everett e pela pequena Clementine — que se baseia diretamente nas HQs — terminou o ano de 2012 no hall dos melhores jogos de todos os tempos.

Tamanho (e inesperado) sucesso jogou as expectativas para a segunda temporada do game episódico de zumbis da Telltale às alturas. Nos últimos meses, porém, o estúdio esteve trabalhando em um episódio independente que fará a ponte entre a primeira (já concluída) e a segunda (inédita) parte da série. O DLC 400 Days chega exatamente com esse propósito, tentando encaixar dentro de pouco mais de noventa minutos cinco histórias e cinco personagens distintos.

Com tão pouco tempo assim, será que 400 Days faz jus à qualidade invejável da primeira temporada?

Ficha técnica

Título: The Walking Dead: 400 Days

Gênero: Aventura

Desenvolvedora: Telltale Games

Publisher: Telltale Games

Data de lançamento: 2 de julho (PSN/América do Norte), 3 de julho (PC/Mac), 5 de julho (Xbox Live Arcade), 10 de julho (PSN/Europa), 11 de julho (iOS)

Plataformas: PC, Mac, iOS, PlayStation Vita, PlayStation 3, Xbox 360

Versão analisada: PC

Preço: R$ 8,49 (Steam)

Num esquema de não-linearidade que lembra muito o filme Pulp Fiction, 400 Days coloca o jogador diante de um mural com fotos de cinco personagens: Vince, Shel, Wyatt, Bonnie e Russell. Tal mural serve como um menu, de onde o jogador escolhe com quem jogar, na ordem que preferir. Essa mesma ordem também pode afetar o progresso da trama, e eventos ocorridos em uma das histórias podem acabar se refletindo em outra, e vice-versa.

O título do episódio refere-se ao fato de que as cinco histórias ocorrem entre os primeiros quatrocentos dias da infestação de zumbis. A trama de Vince, por exemplo, se passa no 2º dia do apocalipse e traz fortes semelhanças com o início das desventuras de Lee. Condenado por homicídio, Vince presencia dentro do ônibus em que é levado como prisioneiro um tumulto entre colegas condenados e guardas, que logo acaba em sangue e, claro, zumbis.

Já a história de Shel é a que mais se assemelha à primeira temporada por envolver um conflito entre a protagonista e a sua irmã, Becca, bem mais jovem. Shel precisa tomar decisões complicadíssimas para proteger o grupo em que estão inseridos e, ao mesmo tempo, evitar que tais decisões traumatizem e sirvam de mau exemplo a sua irmã.

400 Days

As outras três histórias, entretanto, se desprendem completamente dos moldes da primeira temporada e apresentam algumas apostas inéditas interessantes, tanto na narrativa quanto na mecânica de jogo. Claramente, a Telltale aproveitou o DLC para experimentar com algumas novidades que poderão estar presentes na segunda parte da sua série.

A fuga alucinante de Wyatt e seu colega, por exemplo, resulta num atropelamento misterioso no meio da noite. Com medo de sair do carro para buscar por sobreviventes, a dupla decide na base do joquempô quem fica e quem sai. Nunca um pedra-papel-tesoura foi tão importante, pois ganhar ou perder aqui pode alterar completamente o rumo da história.

Bonnie, por sua vez, se perde do resto de seu grupo e é caçada por criminosos armados dentro de um milharal. Sem querer, ela comete um terrível engano e cabe ao jogador resolver o dilema de assumir o prejuízo ou tentar mentir para escapar da culpa. Uma decisão que fará você fritar alguns neurônios e, quem sabe, se arrepender.

Por fim, o jovem Russell é abordado à beira da estrada por um motorista com fortes tendências psicopatas. Pressionado, ele tem que decidir em poucos segundos se pega uma carona e fica à mercê de um provável homicida ou permanece na estrada e arrisca ser atacado por zumbis.

400 Days

Todos os personagens estão conectados, mas não da maneira que você esperaria. Mesmo que algumas decisões tenham um impacto tímido sobre outras histórias, não há uma grande revelação ou algo que traga todos os personagens para o mesmo lado. Na verdade, a conexão é muito mais geográfica do que qualquer outra coisa: todas as cinco histórias (e mais um breve epílogo) acontecem nas redondezas de um mesmo restaurante à beira da estrada.

Já as relações com a primeira temporada são bem mais frágeis e se resumem apenas ao fato de compartilharem o mesmo universo. Se não fosse por uma citação aqui, um personagem familiar acolá, daria pra dizer que 400 Days está totalmente desconectado da história do jogo-base.

É complicado explicar as novidades sem entregar spoilers (acredite: o que eu descrevi até agora é só a “ponta do iceberg”), visto que cada uma das cinco tramas ocorrem dentro de no máximo 20 minutos. Aliás, é incrível como a Telltale conseguiu bolar uma história que consiga imergir o jogador em tão pouco tempo. Por mais que o troca-troca de personagens dê a impressão de inconsistência, cada história consegue se desenvolver muito bem dentro de um espaço onde outros jogos ainda estariam terminando tutoriais.

400 Days

Pequenos e quase insignificantes diálogos ajudam a humanizar os protagonistas no início de suas tramas e logo estabelecem uma relação de carisma e empatia com o jogador, seja um jogo de joquempô, um debate se partir pra violência é tão grave quanto mentir, ou uma conversa sobre iguarias culinárias. Não demora muito e logo surge um evento que nos traz de volta à amarga realidade de um mundo destruído por uma praga e dominado por sobreviventes de índole duvidosa. E, encerrando cada história, encaramos uma decisão complexa onde não existe resposta moralmente correta.

Os momentos livres para exploração continuam presentes na maioria das histórias e, mesmo com o tempo apertado, permitem observações e diálogos adicionais, mas nem sempre úteis. 400 Days está muito mais focado na escolha rápida (e nem sempre sensata) de linhas de diálogos que, como já é de praxe, deixam impressões diferentes e alteram os rumos das conversas, do que na navegação de cenários e resolução de puzzles, estes praticamente inexistentes — é um jogo bem mais click do que point.

Por fim, mesmo com todo o esforço dos roteiristas, não espere o mesmo nível de dramaticidade encontrado na odisseia de Lee Everett. Sem dúvida, são narrativas intensas e algumas até nos deixam com um nó na garanta, mas o pouco tempo torna impossível estabelecer a mesma profundidade apresentada pelas 10 horas da primeira temporada.

Conclusão

Não se deixe enganar pela curta duração: os noventa minutos de 400 Days e suas cinco histórias estão carregados de conteúdo de altíssima qualidade, mantendo a mesma magia que destacou o jogo-base. Muito mais focado em fazer o jogador pensar rápido sobre questões de grande complexidade, o DLC encoraja uma intensa experimentação, com consequências que demoram apenas alguns minutos para aparecer (ao contrário da primeira temporada, onde suas decisões só teriam impacto bem mais tarde).

400 Days

Mudar de personagem e contextos a cada vinte minutos pode até te deixar um pouco perdido. Porém, como num passe de mágica, a Telltale nos conecta rapidamente a trama ao ponto de nos fazer vibrar ou se arrepender com cada decisão tomada. Encare 400 Days mais como um experimento (e não como um episódio tradicional) e você não se decepcionará: serão os melhores R$ 8 que você gastará em um DLC.

Nota

8,5/10

Artur Carsten

Catarinense, amante da música eletrônica, estudante de medicina e jogador nas inexistentes horas vagas. Ocasionalmente, escreve artigos e coloca em dia a pilha interminável de jogos comprados em promoção no Steam. Já passou pelo Campo Minado, Continue, Guia do PC, Gemind e Oxygen e-Sports.

Twitter  

Poderá gostar também

5 Comments

    • Imagino. Esse DLC finalizei de uma tacada só. É curto, mas é muito legal.

      Reply
  1. Finalizado! E aguardando ansiosamente pela season 2! 😀

    Reply
  2. Muito boa Review.
    Não é todo mundo que entende o propósito e foco desta DLC.

    Reply

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Pin It on Pinterest