Wargame: European Escalation é o mais novo título da Eugen Systems (R.U.S.E., Act of War). Trata-se de um RTS ambientado durante o período de 1975 a 1985, o qual nos apresenta conflitos bélicos hipotéticos envolvendo as forças do Pacto de Varsóvia e as forças da OTAN. O jogo conta com um elemento muito interessante. Ele “brinca” com a ideia do que poderia ter acontecido caso a Guerra Fria, digamos, tivesse evoluído para uma Terceira Guerra Mundial.

A partir desta premissa, temos um grande game de estratégia em tempo real, sólido, bonito e empolgante, no qual a Eugen System fez questão de fortalecer o quesito multiplayer. Wargame: European Escalation também conta com uma campanha singleplayer, é claro. Ela é interessante e desafiadora, mas sente-se logo de início que o foco do jogo está no multiplayer. A campanha é meio que um treinamento para o posterior ingresso dos jogadores nas “fileiras online”.

Uma das características mais interessantes do título é a persistência de tudo o que você realiza. Promoções, upgrades, novas unidades, experiência, perda de unidades, etc: tudo isto acompanha o jogador durante o decorrer do jogo. Tudo assume um caráter permanente, o que acaba forçando o jogador a tratar cada um de seus soldados, tanques, helicópteros, caminhões de suprimentos e unidades de reconhecimento com grande atenção e cuidado.

O progresso do jogador também é obtido de maneira mais fácil durante partidas multiplayer, durante as quais pode-se ganhar os tais pontos de experiência. No singleplayer e no multiplayer ganha-se estrelas a cada missão completada com sucesso e/ou a cada partida vencida, respectivamente. Baseado em uma poderosa rede online, o RTS da Eugen Systems impressiona não somente por seus belos gráficos e simulação militar. Ele também oferece uma experiência extremamente realista ao colocar nas mãos dos jogadores unidades “dotadas de sentimentos”, que podem até mesmo entrar em pânico, conforme o nível de danos que sofrem, e se tornarem incontroláveis, chegando a fugir dos combates.

Isto representa um problema e tanto, é claro, podendo fazer com que a estratégia planejada com enorme cuidado pelo jogador seja posta a perder muito rapidamente. Diversos outros elementos do jogo também demonstram a preocupação da desenvolvedora com o realismo: a distância entre as unidades e o alvo influenciam na maior ou menor precisão e chances de acerto. Unidades disparando enquanto se movimentam podem ter menores chances de acertar o alvo. Cada armamento possui seu respectivo nível de “AP – Armor Piercing“, o qual determina o poder de penetração dos projéteis.

O estado psicológico de cada um de seus soldados, estejam eles protegidos pelos mais diversos tipos de veículos disponíveis no game ou não, também é importante, e tropas com a moral baixa serão muito mais suscetíveis a falhas e fugas desesperadas. Trata-se de um jogo extremamente desafiador, um deleite para quem aprecia RTSs que têm a ver com a história, recente ou não, mesmo que acontecimentos fictícios sejam apresentados.

Entretanto, apesar da campanha singleplayer de Wargame: European Escalation funcionar como um treinamento para seu modo multiplayer, a Engen Systems se esqueceu de inserir no jogo um tutorial. Um tutorial completo, digamos, algo extremamente necessário em um RTS de tamanha magnitude. Muitos jogadores podem se sentir perdidos nos primeiros minutos ou horas de gameplay, e até mesmo ordens simples, como movimentação, por exemplo, podem ser difíceis de ser entendidas dada a maneira como somos inseridos no jogo, sem nada que nos guie através de seus diversos e intrincados recursos.

O jogo conta com um sistema de zoom fantástico, o qual além de ajudar bastante durante cada partida/missão, permite que o jogador observe a ação desde as alturas e continuamente vá se aproximando do campo de batalha, ao ponto de observar infantaria, tanques e caminhões com grande nível de detalhes, sendo possível até mesmo ouvir o barulho dos motores e visualizar o rastro de poeira deixado conforme as unidades se movimentam, dependendo do terreno.

Zonas que devem ser controladas são presença constantes durante o gameplay, e através do zoom é possível observarmos cada uma delas com mais detalhes e termos uma melhor noção de onde estão posicionados nossos inimigos, aliados e unidades. Unidades inimigas também podem ser capturadas, sendo que o inverso também pode ocorrer. Os níveis de tensão de cada um delas também pode ser facilmente consultado, bem como diversos outros detalhes, tais como, por exemplo, nome, calibre da arma, velocidade máxima, blindagem, etc (se o recurso “Info Units” for ativado).

É um verdadeiro espetáculo atirar contra infantarias inimigas utilizando o canhão de um tanque, por exemplo, e observar soldados, terra e poeira voando pelos ares. Unidades também podem entrar em modo de ataque automaticamente caso detectem inimigos nas proximidades, e você pode perceber toda esta movimentação bem claramente ao delas aproximar a câmera. A câmera também pode acompanhar uma unidade em movimento, permitindo assim que você “passeie” um pouco pelos mapas sem muito esforço.

Suprimentos (combustível, munição, etc) são importantíssimos, e helicópteros e caminhões podem transportá-los até o campo de batalha à partir de uma F.O.B. (Field Operating Base). Veículos que transportam suprimentos podem muitas vezes ter de voltar até uma F.O.B. em busca de mais suprimentos. É preciso prestar-se muita atenção nesta questão da logística, pois de nada adianta se engajar em um combate “com o estômago vazio”.

Wargame: European Escalation conta com mapas enormes. Mapas que podem chegar a possuir 150 quilômetros quadrados e contarem com rios, pontes, florestas, cidades, e uma série de outros elementos que podem inclusive servir como cobertura. Densas florestas muitas vezes podem permitir que tanques e unidades de reconhecimento se aproximem de unidades inimigas de maneira mais fácil, a fim de iniciar um ataque devastador e rápido. É claro que esta mesma cobertura pode representar um entrave em relação à visibilidade de suas unidades dependendo de que tipo de inimigo está se aproximando, e se ele as visualizou ou não, pois cada floresta pode também atrapalhar o seu campo de visão.

O jogo trabalha com um sistema de decks. Cada deck permite uma determinada configuração no tocante a unidades, países e tipos de veículos. Obviamente inúmeros elementos devem ser desbloqueados conforme o progresso do jogador, e isto representa também uma grande dificuldade no início do game, quando tem-se de combater com um número bem limitado de opções.

Temos aqui um belíssimo exemplo de um jogo de estratégia em tempo real onde o elemento “militar” é levado, digamos, às últimas consequências. Unidades que contam com “sentimentos”, digamos, sendo que quanto mais calmas elas estiverem melhor será seu desempenho. Veículos dos mais diversos tipos recriados com enorme fidelidade. Veículos armados que podem sofrer avarias parciais e terem seus sistemas de mira danificados ao ponto de se tornarem inúteis até que os necessários reparos sejam efetuados (se houver tempo para isto, é claro).

Unidades que contam com autonomias diferentes, exigindo do jogador constante atenção (lembrando mais uma vez) à questão dos suprimentos. Inimigos podem surgir de onde você menos espera, e isto não é algo “mágico”. Não existe fog of war em Wargame: European Escalation, e unidades de reconhecimento são extremamente valiosas para a descoberta de inimigos. Envie todas as sua forças contra um local aparentemente seguro e você pode ser desagradavelmente surpreendido.

Temos aqui um jogo de estratégia em tempo real onde é necessário planejar-se cada passo com enorme cautela. Zonas do mapa podem ser capturadas e é até mesmo possível deixar que seus tanques, por exemplo, realizem determinados “trabalhos” sozinhos. Detectado algum inimigo nas redondezas, eles podem iniciar um ataque automático que pode ser bem longo, dependendo do terreno, das condições de visibilidade e da distância do alvo. Fazer com que eles se movimentem para mais perto pode despertar inimigos próximos que, então, representarão um perigo maior.

É muito difícil prever-se o que poderá acontecer a cada movimentação, e o risco de perder uma ou várias unidades devido a operações mal calculas é muito grande. Existem alguns problemas em relação ao modo de funcionamento de algumas unidades, entretanto. Unidades anti-aéreas podem chegar a atacar um caminhão de suprimentos enquanto um helicóptero passa ileso, ou tanques de diversos tipos podem simplesmente se recusarem a atirar no alvo que o jogador designou, assumindo como objetivo inimigos que não representam o maior problema naquele determinado momento.

A inteligência artificial em Wargame: European Escalation é extremamente sofisticada, e muitas vezes o jogador sofre ataques surpresa ou cai em emboscadas que são simplesmente assustadoras devido à complexidade das formações inimigas e sua respectiva abordagem.

Conclusão

Wargame: European Escalation é um jogo de estratégia em tempo real moderno e realista, que oferece aos apaixonados pelo gênero uma experiência desafiadora e empolgante, repleta de momentos surpreendentes. Sua complexidade é capaz de representar um grande problema para muitos jogadores, e a falta de um tutorial torna este problema ainda maior. Entretanto, o jogo é sem sombra de dúvidas um dos melhores RTSs militares da atualidade, e explora um período muito pouco visto em games do gênero.

Nota

9/10

Ficha técnica

Título: Wargame: European Escalation
Gênero: estratégia
Desenvolvedora: Eugen Systems
Publisher: Focus Home Interactive
MSRP: US$ 39,99
Data de lançamento: 23 de Fevereiro de 2012
Plataformas: PC
Versão analisada: PC

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest