Eu esperava por F1 2010 com ansiedade. Mesmo sendo um fã da série Halo, aguardava pelo simulador de corrida da Codemasters com uma grande ansiedade. Acho até que com a mesma ansiedade com que aguardava Halo: Reach. E F1 2010 está se mostrando um verdadeiro fenômeno. Tanto em relação às vendas quanto em relação à sua qualidade. É claro que são gêneros de games diferentes, mas, afinal, quando se trata das vendas, os números são aquilo que importa, em grande parte, pelo menos, para determinadas coisas.

F1 2010, game de corrida que simula o verdadeiro “circo” da fórmula 1, além de permitir que o gamer escolha se quer jogar como em um simulador ou se ele deseja “pegar leve”, deixando diversas configurações no automático e obtendo do carro uma “resposta” que faz com que pareça que ele vai até falar, derrubou Halo: Reach do primeiro lugar nas vendas de games no Reino Unido. Agora, temos F1 2010 na primeira posição, Halo: Reach na segunda e Dead Rising 2 na terceira.

Algo ainda mais impressionante é o fato de F1 2010 ter vendido, durante a semana passada (semana de seu lançamento), mais cópias do que Dead Rising 2 e Halo: Reach juntos. Aliás, Halo: Reach sofreu uma queda de 80% nas vendas, durante a semana passada, e tudo isto fica ainda mais impressionante se nos lembrarmos de que o título de Fórmula 1 da Codemasters foi lançado no dia 22, ou seja, quarta-feira passada. Isto significa um período de, digamos, 4 dias. Isto foi o suficiente para este sensacional título alcançar o primeiro lugar e vender bem mais do que o também sensacional lançamento da Bungie.

Eu não estou nem um pouco surpreso ao ver estes resultados, entretanto. Quando disse acima que “os números são aquilo que importa, em grande parte, pelo menos, para determinadas coisas”, estava me referindo justamente às vendas e à todas as questões financeiras que envolvem, precedem e continuam após o lançamento de um game. F1 2010 é um jogo que se adapta aos mais diversos gostos. Um título de corrida que pode ser jogado plenamente por quem adora simulação, e da mesma forma, também plenamente por quem prefere games de corrida estilo arcade. Para quem gosta de um game de corrida “descompromissado”.

Toda a “história” que ele trás consigo, inserindo o jogador em algo que se parece muito com o dia a dia da Fórmula 1, mesmo, ajuda bastante, e serve até mesmo como “fator igualador” quando o colocamos lado a lado com o lançamento da Bungie. Não que possamos comparar um game com o outro plenamente, mas isto serve para mostrar a falta que o mercado estava sentindo de um bom título de Fórmula 1. A “Revista Playstation” deste mês diz que o game da Codemasters – Birmingham Studio “revoluciona a Fórmula 1 nos vídeogames“. E eu concordo plenamente, principalmente conforme vou descobrindo tudo o que o game tem a oferecer.

Digamos que seja um aprendizado surpreendente, até mesmo porque desde o primeiro Playstation não jogava um título de Fórmula 1. E posso dizer a vocês que somente jogando este game vocês conseguirão ter uma noção de sua beleza, realismo e “velocidade”. Aliás, como ele atingiu o topo nas vendas de forma veloz, não? 🙂

Não que Halo: Reach seja inferior a F1 2010. São games diferentes. Estilos diferentes. Cada um deles tem um público alvo diferente. Enquanto a Bungie lançou um título exclusivo e com uma enorme legião de fãs, a Codemasters lançou um título multiplataforma pertencente a um gênero de game que possui adeptos de todas as idades (e pode também cativar muitos outros). Sendo assim, isto talvez explique este “boom” nas vendas.

(Via: gamesindustry.biz)

Pin It on Pinterest