Games estão cada vez mais fazendo parte do nosso dia a dia. Eles estão presentes de forma muitas vezes marcante do “lado de fora” do “universo gamer”. Comerciais de TV anunciando novos games (como aconteceu com StarCraft II Wings of Liberty) e estudos conduzidos por universidades tendo jogos eletrônicos como temas de pesquisa, por exemplo, não são mais novidade.

Cada vez mais o mundo enxerga a importância dos games enquanto passatempo e também enquanto arte, dentre outros quesitos. Pois bem, a Universidade da Flórida criou um curso utilizando o RTS StarCraft, da Blizzard, onde os alunos utilizarão o game para trabalharem com conceitos de pensamento crítico, resolução de problemas, gerenciamento de recursos e tomada de decisão adaptativa.

O curso é ministrado por Nathaniel Poling, que faz doutorado na universidade (fico aqui me perguntando quais serão seus games preferidos 🙂 ). Os estudantes que participarem do curso deverão jogar StarCraft, assistirem a partidas gravadas e escreverem análises a respeito do que jogaram e assistiram. É mais do que óbvio que uma iniciativa assim deve ser louvada e divulgada. E é mais do que óbvio que um game como StarCraft, cuja sequência, StarCraft II: Wings of Liberty, a qual mal acaba de ser lançada, é uma enorme fonte de aprendizado e de treinamento mental.

Devemos gerenciar recursos, pensar, de certa forma, nos passos seguintes do inimigo e, acima de tudo, nos divertirmos. Tudo isto é primordial para nossa vida pessoal, e também para nossa vida profissional, onde devemos sempre escolher uma área que apreciemos e que nos proporcione prazer.

Acontecimentos assim servem para mostrar que games não são mais coisa (só) de criança. Games são diversão, arte, fonte de aprendizado e, com certeza, existem muitos outros games que poderiam ser utilizados em cursos assim, inclusive em universidades brasileiras. Aliás, porque alguma universidade brasileira ainda não olhou para StarCraft II, por exemplo? 🙂

(Via: Joystiq)

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest