Me desculpem pelo título deste artigo, mas não resisti. Não estou depreciando o novo serviço, é que achei tudo muito engraçado, a princípio, e vou explicar. E é claro que “dinheirinho na sua continha” pode ser substituído por “dinheirão na sua enorme conta”, dependendo da quantidade de games que você possui no Steam, e de quanto dinheiro, quem sabe, adicione à sua conta junto ao serviço. 🙂 O Steam, serviço de venda de games preferido dos gamers, lançou um novo serviço, o qual ainda está em fase beta, chamado “Steam Wallet“. Bem, a palavra “wallet” pode assumir uma série de significados em português, como por exemplo “bolsa”, “sacola”, “carteira”, etc. E tudo meio que ligado a dinheiro. Bem, “Steam Wallet” poderia significar, então, “sacola de vapor”. 🙂

Ok, “sacola de vapor” não tem a ver com dinheiro, a princípio, mas levando-se o pensamento mais adiante, “vapor” é no que se transforma o nosso rico dinheirinho quando compramos um game atrás do outro no Steam, site que lança constantes e enlouquecedoras promoções, com ótimos jogos e bundles. Basta vermos a atual LucasArts Week. Ontem foi Star Wars The Force Unleashed: Ultimate Sith Edition e seus 25 GB (estou pasmo até agora). Hoje é Star Wars: Knights of the Old Republic. Nem quero pensar no game de amanhã. Ou melhor, quero, mas tenho medo.

Bom, o “Steam Wallet” nada mais é do que uma espécie de “poupança” que você pode fazer/criar em sua conta no Steam. Poupança esta, caso você a utilize assim, cujos valores nela presentes somente poderão ser utilizados em games e em compras feitas no Steam, é claro. Bom, digamos que se trate de “cartões pré-pagos”.  Melhorou? 😉 Você compra e adiciona à sua conta valores pré-determinados pela Valve. Depois disso, pode gastar estes dólares como bem entender na loja de games da desenvolvedora de Left 4 Dead: pacotes de expansão, games, etc.

Estão disponíveis opções de 5, 10, 25, 50 e 100 dólares. A princípio fiquei me perguntando que razão teria alguém para utilizar um serviço assim, mas aí algo no artigo do Joystiq me chamou a atenção. O Griffin McElroy, autor do artigo, menciona o fato de que, para nós, adultos e/ou possuidores de nossa própria renda, trabalho, meios de pagamento, etc, talvez o “Steam Wallet” não faça muito sentido. Mas para alguns jovens, talvez, faça muito sentido.

Gamers jovens que não possuem um cartão de crédito, por exemplo. Seus pais poderão “recarregar” suas contas no Steam e controlar, assim, o quanto seus filhos gastam em games. É uma maneira, também, de ensinar os jovens a não gastarem além da conta. Gastou tudo em um único dia/game? É só dizer ao filhão que agora ele tem que esperar o cartão virar. É uma pena o “Steam Wallet” não permitir o envio de fundos para outras contas. Isto seria muito interessante. Quem sabe no futuro, não é? Afinal, o novo serviço está em fase beta, ainda.

Enquanto isso, vamos ensacando o vapor, tomando sempre o devido cuidado para não deixar que ele nos queime. 🙂

(Via: Joystiq)

Pin It on Pinterest