Jogos de corrida existem aos montes. Para os mais variados gostos e estilos de jogadores. Temos simuladores, títulos que levam bem a sério detalhes que também são levados a sério na vida real, com carros recém-­lançados e pilotos reais, temos jogos arcade, mais leves, nos quais a diversão impera, acima de tudo (na grande maioria das vezes, pelo menos), e temos também games que misturam estas duas características e/ou permitem que o jogador decida como quer jogar (mais simulação, menos simulação, um meio termo, etc).

O prazer de dirigir em pistas virtuais pode ser bem grande. Pode ser um tanto quanto frustrante, é claro. Ou melhor, a experiência pode frustrar, de repente, um jogador que não está acostumado com o gênero. Diversas desenvolvedoras e publishers já investiram (e continuam investindo) neste “nicho”. Pequenas, médias, grandes, indies, etc: as empresas sempre conseguem maneiras criativas de colocar jogadores atrás de volantes virtuais, em pistas virtuais, de alguma maneira, perseguindo objetivos os mais diversos.

Neste artigo gostaria de comentar a respeito de dois títulos excelentes porém com propostas diametralmente opostas. Dois jogos que nos colocam em pistas virtuais e que, no entanto, contam com objetivos e jogabilidade muito diferentes um do outro. Em um somos impelidos a correr, a ultrapassar limites. No outro temos de agir com calma, com paciência, respeitando limites de velocidade.

The Crew: carros e mundo aberto

Recentemente tivemos o lançamento de The Crew, da Ubisoft (leia texto a respeit0). Um jogo de corrida que oferece ao jogador um enorme mundo aberto; na verdade, trata-se dos Estados Unidos da América, “na íntegra”. The Crew é um jogo de corrida no qual o jogador é constantemente “bombardeado” por convites, por avisos e notificações a respeito de atividades diversas: testes de habilidade, rachas, convites de outros jogadores, etc.

The Crew

O título, desenvolvido pela Ivory Tower em parceria com a Ubisoft Reflections, tem um quê de MMO, também. Estamos, ali, em um mundo conectado. Em um mundo no qual topamos constantemente com outros jogadores, cada um em busca de seus próprios objetivos. Obviamente, estes objetivos também podem ser compartilhados, mas falarei a respeito disto mais abaixo.

Nosso carro, em The Crew, deve ser evoluído. Somos colocados à prova em diversos momentos, e “tunar” os veículos é parte importantíssima do jogo. Quanto mais participamos de atividades, ligadas ou não à campanha do game, mais peças obtemos para nossos carros.

The Crew

Mais condições temos de melhorá-los, de torná-los mais rápidos, mais estáveis. Pneus, motores, suspensão, redução de peso: peças variadas são obtidas como recompensa após cada corrida (além de dinheiro), e podemos instalá-las imediatamente ou então enviá-las ao nosso QG.

The Crew

No QG temos também uma espécie de “loja/garagem” através da qual podemos navegar em busca de novos carros (carros que já possuímos também aparecem aí). Carros são representados em forma de cartas, e podemos realizar buscas e ordená-los por marca, por preço, e por diversos outros quesitos, sendo que variantes de um mesmo modelo são dispostas nas mesmas colunas.

The Crew

Os carros vão subindo de nível, em The Crew, e tal nível é importante, pois pode garantir ou não o nosso acesso a uma série de eventos. Algo muito bacana no jogo é seu lado “competitivo-cooperativo”. Diversas missões e atividades podem ser realizadas na companhia de outros jogadores, os quais se tornam, então, oponentes e parceiros, ao mesmo tempo.

Quando isto ocorre, quando outras pessoas aceitam nosso convite para uma missão (ou quando aceitamos o convite de outros), por exemplo, ao mesmo tempo em que com eles competimos também somos beneficiados. Mesmo que não cheguemos em primeiro lugar em uma corrida cujo objetivo é justamente este, se tivermos, na mesma sessão, outros 3 jogadores (ou menos) competindo conosco contra a IA, seremos beneficiados.

The Crew

Não levaremos os melhores prêmios, não ganharemos a mesma quantia que o corredor que chegou em primeiro ganhou, mas cumpriremos o objetivo desde que o grupo se saia bem. Isto sem falar na competição em paralelo que é então criada, pois estaremos lutando contra a máquina e também contra estes jogadores reais que, dependendo da situação, também poderão nos ajudar, mesmo se chegarmos ao final da corrida em posições não muito, digamos, adequadas.

The Crew permite viagens sensacionais pelos Estados Unidos, atravessando diversos estados e oferecendo ao jogador uma série de visuais muito bacanas. Em termos de novidades, o título da Ubisoft é algo bem diferente de muitos games de corrida que existem atualmente no mercado.

Semelhanças com Test Drive Unlimited também podem ser encontradas, claro, e vale lembrar que este jogo foi desenvolvido por uma empresa que abriga diversos profissionais da Eden Games, criadora de TDU.

The Crew

Acelerar com tudo nas autoestradas de The Crew, acionando o nitro e observando, ao mesmo tempo, aquele efeito característico de motion blur entrando em ação ao mesmo tempo em que carros e caminhões vão ficando para trás é sensacional.

Euro Truck Simulator 2: simulação sem complicação

Já partindo para o lado “simulação”, podemos citar o espetacular simulador de caminhões Euro Truck Simulator 2, da desenvolvedora checa SCS Software (leia review). Aqui, temos algo bem diferente the The Crew. Algo mais “lento”, podemos até mesmo dizer, mais tranquilo.

Euro Truck Simulator 2

Euro Truck Simulator 2, ou ETS2, é um jogo onde altas velocidades podem ser punidas, através de multas (sem contar com acidentes decorrentes da imprudência). No comando de grandes caminhões recriados com grande esmero e com o devido licenciamento, de fabricantes como Volvo, Scania, DAF, MAN e outras, o jogador é, ao mesmo tempo, motorista e proprietário de uma empresa de transportes.

O lado simulação em ETS2 pode ser aumentado ou reduzido, conforme o gosto do jogador. Podemos ligar ou desligar diversos assistentes, e é até mesmo possível fazer com que a troca de marchas seja totalmente automática. No comando das pesadas máquinas, o que temos a fazer é transportar cargas, de um lado a outro da Europa. As paisagens variam bastante, bem como as estradas, e o que não falta são cenários que nos fazem sentir vontade de parar o caminhão para observá-los com calma.

Euro Truck Simulator 2

Nosso personagem no game também pode ser evoluído e adquirir habilidades diversas, as quais melhorarão nossos ganhos e permitirão que tenhamos acesso a uma gama maior de trabalhos: transporte de cargas perigosas, de cargas frágeis, entregas rápidas, e assim por diante.

Não espere (e também não tente) ir além da velocidade recomendada em cada autoestrada: além das multas, os acidentes podem fazer com que você tenha de gastar milhares de Euros na oficina, com reparos, sem contar com as multas oriundas de cargas danificadas.

Euro Truck Simulator 2

Trata-se de um jogo extremamente bonito, diferente e relaxante, acima de tudo. Transporte grãos, combustíveis, produtos químicos, madeira, máquinas e mais uma quantidade enorme de outros produtos, de um ponto a outro da Europa, e aos poucos vá expandindo seus negócios, contratando mais motoristas, adquirindo mais caminhões e comprando mais garagens.

Euro Truck Simulator 2

O foco do jogo, apesar deste lado “gerenciador de recursos” que envolve outros motoristas e garagens, no entanto, é no nosso caminhão. Na experiência que temos enquanto dirigimos, e devido a isto, Euro Truck Simulator 2 não se torna enfadonho (muito pelo contrário) e pode até mesmo ser apresentado e apreciado por pessoas que nunca tiveram contato com um simulador.

Cada caminhão responde de uma maneira. Os sons dos motores variam conforme a marca e o modelo, como na vida real. Temos de ficar de olho no nível do combustível, e abastecer sempre que necessário, sob pena de sermos obrigados a chamar pelo guincho caso o diesel acabe no meio do caminho.

Euro Truck Simulator 2

O jogo também conta com ciclos de dia e noite, e obriga o jogador a parar para descansar, de tempos em tempos: não descanse e sua visão escurecerá, você bocejará e começará a dormir ao volante. São momentos em que uma espécie de filtro bem escuro é aplicado no jogo, e nossa visão é bastante prejudicada, propositalmente. Bater, nestes momentos, é facílimo: trata-se de uma forma de simular o cansaço e os perigos de dirigir com sono.

Euro Truck Simulator 2

Além disso, Euro Truck Simulator 2 conta com mudanças climáticas fantásticas. De repente você está dirigindo e percebe que o céu começou a escurecer. Nuvens cinzas ameaçadoras aparecem, e uma chuva torrencial desaba. Você precisa, então, ligar o limpador de para-brisa e acender os faróis, pois em caso contrário não conseguirá enxergar. Nada. Dirigir à noite e sob chuva, aliás, é uma experiência fabulosa, em ETS2.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest