A CD Projekt RED anunciou que o recém lançado The Witcher 2 agora é totalmente livre de qualquer DRM. Pelo menos no que se refere à versão vendida no GOG. Isto ocorreu como uma das consequências do lançamento do patch 1.1, o qual trouxe importantes melhorias para o jogo. Isto pode parecer estranho a princípio, mas ao lerem o restante deste artigo vocês enderão.

Segundo a CD Projekt RED, os jogadores agora podem instalar o game em quantos computadores desejarem, e nenhum código de ativação será solicitado. O patch 1.1 também melhorou problemas em relação à taxa de framerate do game, a qual foi aumentada em cerca de 30%. O primeiro DLC para The Witcher 2: Assassins of Kings, aliás, já está incorporado ao patch 1.1. Trata-se da nova quest “Troll Trouble”. A partir de agora também será possível inverter o mouse e remapear os controles direcionais.

Nosso objetivo é tornar nossos fãs e clientes felizes, e recompensá-los por comprar nosso game. E esquemas de DRM não apoiam nossa filosofia, uma vez que podem criar obstáculos para usuários de cópias compradas legalmente. Nossa abordagem de combate à pirataria é incorporar valor superior na versão legalizada. Isto significa que ela tem de ser superior em todos os aspectos: menos incômodo ao usar e instalar, com total suporte, e com acesso a serviços e conteúdos adicionais. Então, sentimos que manter o DRM iria ferir nossos usuários legítimos. Isto está completamente de acordo com o que dissemos antes do lançamento de The Witcher 2. Sentimos que o DRM era necessário para prevenir que o game fosse pirateado e ‘vazado’ antes do lançamento. Este propósito foi coberto, então temos o prazer de deixar nossos usuários desfrutarem da plena liberdade de uso de game que eles merecem“, disse Adam Badowski, diretor de desenvolvimento da CD Projekt RED.

Badowski também menciona a complexidade dos PC’s enquanto plataforma de games, e diz que o DRM representa “outra camada de complicações e problemas potenciais“. O diretor da CD Projekt RED também menciona a importância do patch 1.1 de The Wither 2, e segundo ele, a instalação do patch permitirá que a maioria dos usuários joguem sem problemas. O patch corrige inúmeros problemas no game, e Badowski menciona que a empresa continuará trabalhando no suporte pós-lançamento. O patch pode ser baixado através do site do game (este não estará disponível através do “game launcher”).

Grande jogada da CD Projekt RED. Mas, infelizmente, isto não impede que, agora, livre de DRM, a versão vendida no GOG seja pirateada. É triste, mas é uma dura realidade. De qualquer forma, a CD Projekt RED deixa clara mais uma vez sua postura contra DRM’s, o que é um verdadeiro alívio em um “mundo gamer” onde ainda somos afrontados por esquemas de proteção verdadeiramente absurdos, como limitações no tocante ao número de instalações de um jogo, etc.

A empresa está certa, e eu mesmo conheço gente que antes “usava games genéricos” e, devido a alguma promoção ou adição de extras, resolveu comprar o original. Agregar valor, incorporar extras e brindes, agradar o cliente, é a melhor maneira de ser bem visto, seja na indústria de games ou não.

Já tenho como certo que, quando comprar The Witcher 2, o farei no GOG. Adoro o Steam, entretanto, além da versão do Good Old Games vir com um art book com quase 200 páginas, percebe-se claramente o empenho da empresa em facilitar a vida do usuário e minimizar problemas ao máximo.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest