Um olhar maravilhado para a beleza de Crysis 3

Podemos gostar de um jogo eletrônico por diversos motivos. Seus gráficos podem ser maravilhosos, por exemplo. Sua trama pode ser complexa, profunda e interessantíssima. Podemos com ele nos emocionar, e tal emoção pode ser provocada uma uma imensa variedade de fatores. O tal jogo em questão pode contar com mecânicas inovadoras. Podemos adorar sua trilha sonora.

Em alguns jogos, alguns personagens podem ser extremamente carismáticos. Alguns exemplos recentes: a pequena Clementine, de The Walking Dead, da Telltale, e a magnífica Lara Croft, do novo Tomb Raider. Podemos também gostar de um game devido à sua ação intensa, à imersão que ele nos proporciona, devido a algum vilão daquele tipo que todos adoram odiar, e por aí vai.

Muitos destes fatores podem ser combinados, é claro. Um jogo pode, também, possuir todas as qualidades acima (como também nenhuma delas), ou pode possuir algumas delas. A série Crysis, da Crytek, sempre me deixou bastante impressionado, e confesso que inicialmente o motivo principal foi a parte gráfica.

Sabe aquela história de computador da NASA, etc? Até hoje o primeiro jogo da franquia é um desafio para muitos PCs por aí, e seus gráficos são belíssimos. Em Crysis 2 a Crytek resolveu aliviar um pouco as coisas, mas em Crysis 3, temos, novamente, um título que representa um grande desafio para muitos computadores da atualidade.

O jogo é pesado, não posso negar. Em contrapartida, seus gráficos são BELÍSSIMOS. Ali, também, podemos perceber como os pais da criança trabalharam com maestria utilizando um de seus próprios rebentos, a CryENGINE 3. Crysis 3, além disso, possui uma trama bastante interessante.

 Crysis 3

É óbvio que não podemos esperar nada muito complexo, profundo e especial, neste sentido. Pelo menos não na totalidade e não constantemente. Mas aqui temos personagens e situações que nos oferecem bons momentos. Ótimos momentos, na verdade. Prophet, um humano que se encontra ligado de forma bastante profunda a um traje alienígena poderosíssimo. Um homem que muitas vezes chega a ser tratado como uma máquina por aqueles que o rodeiam. Um homem que está intimamente ligado à ameaça alienígena que ameça engolir a terra. Prophet pode chegar a nos surpreender, em Crysis 3.

Diversas frases do protagonista e dos personagens que o cercam são bonitas. Marcantes. Existem momentos tristes em Crysis 3, também. A ação é fantástica, e a trilha sonora, então, é, além de lindíssima, companheira mais do que perfeita para cada segundo que passamos dentro do mundo fantástico  criado pelo estúdio alemão.

Os gráficos do jogo são soberbos. É impossível jogar sem parar por diversas vezes e olhar ao redor, observando prédios em ruínas, efeitos de iluminação e partículas, sombras, velhas máquinas e a vegetação luxuriante que muitas vezes quase chega a nos sufocar. É impossível jogar Crysis 3, falando nisso, sem capturar uma screenshot atrás da outra.

Sempre fui apaixonado por wallpapers e fotografia, diga-se de passagem. Até há bem pouco tempo atrás possuía uma coleção de papéis de parede com vários gigabytes, e até hoje vivo mudando wallpapers no celular, nos tablets, nos PCs, no notebook, etc. É uma mania.

Tenho o mesmo fascínio por fotografia, porém, infelizmente, minha experiência como fotógrafo é nula. De qualquer forma, também aprecio um jogo eletrônico levando em consideração os gráficos que ele me entrega, tendo, entretanto, a certeza de que nem só bons gráficos são necessários para que um jogo seja bom.

Com Crysis 3, entretanto, tenho em mãos um ótimo jogo e gráficos fabulosos. Ele nos oferece uma mistura de tudo o que vimos no primeiro e no segundo capítulo da franquia. Temos ambientes maiores, mais liberdade de ação, mais campo para abordarmos diferentes situações de diferentes maneiras, para criarmos diferentes estratégias para eliminarmos esta ou aquela ameaça. O próprio nanosuit de Prophet pode receber atualizações e ser modificado a qualquer momento, tão logo detectemos a necessidade de um outro conjunto de upgrades e habilidades.

Crysis 3

Abordar situações de perigo utilizando sempre uma estratégia diferente, com a ajuda da visão tática, e identificando alvos, pontos de interesse e de vantagem, além do posicionamento dos inimigos, transforma Crysis 3 em um FPS muito interessante. Diferente. Os cenários geralmente são amplos, e isto, além de útil, também permite que tenhamos contato com belíssimos cenários.

Os gráficos de Crysis 3 são de tirar o fôlego. Totalmente. O jogo é ótimo, também, e, aliás, se você está interessado, vale lembrar que ele está saindo pela metade do preço no Origin (será que o pessoal da EA está fazendo a festa depois que o chefe saiu? 😉 ). Jogar este FPS está sendo uma experiência e tanto. Sou fã da série, confesso, mas o jogo tem seus méritos. Muitos. Ele é capaz de nos deixar estasiados apenas com o maravilhoso conjunto áudio-visual que nos apresenta.

Selecionei algumas screenshots que capturei durante a jogatina, as quais seguem abaixo. Tentei escolher principalmente aquelas que exibem os ambientes, e deixei de lado, quase sempre, cenas de batalha. Fique tranquilo, também, pois não existem spoilers. São mais de 50 screenshots de Crysis 3.

Dê uma olhada (ah, capturei algumas screenshots do Prophet utilizando alguns veículos, também):

OBS: para observar uma imagem por mais tempo, basta deixar o cursor do mouse posicionado sobre a mesma.

Poderá gostar também

10 Comments

  1. Gráficos bons, jogo nem tanto, pelos relatos. Esperarei uma oferta futura dele por R$9,99, visto que nem mesmo o primeiro eu joguei ainda 😀

    Reply
    • @Marcio Neves Machado – RJ/RJ,

      Poxa, não gosta não, Marcio? Eu gosto pra caramba. Sei que a história tem seus problemas, etc. Mas é bacana. Sobre o 3, ainda não tenho uma opinião formada a esse respeito, mas me parece que é melhor ainda que o primeiro. Que é melhor que o 2 já tenho certeza. 🙂

      Reply
  2. Não, não, veja bem: eu ainda não joguei nenhum deles. Só repliquei o que andaram dizendo por aí 😀

    Reply
    • @Marcio Neves Machado – RJ/RJ,

      Entendi.

      Então, é questão de opinião, né. Tem gente que odeia mesmo. Eu já gosto. Como uma demo faz falta…rsrs 🙂

      Reply
  3. Pesado mesmo, percebi quando joguei o “Beta” multiplayer, meu i7-920 junto com minha GTX570, não aguentaram rodar ele no máximo com frames suaves, mas mesmo assim não deixou de ser graficamente bonito, mas em relação a estória do jogo não vejo que isso possa influenciar na jogabilidade, que para mim é o principal.

    Reply
    • @Rodolfo,

      Olha, Rodolfo, claro, existem casos e casos, mas, nesse, posso dizer que sou muito fã da série. 🙂

      Jogabilidade ótima, com certeza, também. Você chegou a comprar?

      Reply
  4. @Marcos,

    Ainda não comprei.

    Reply
    • @Rodolfo,

      Entendi. Chegou a ver o desconto esses dias no Origin? 😀

      Reply
  5. @Marcos,

    Não cheguei a ver, mas também o tempo está curto e tem tantos jogos na fila, que nem estou comprando mais nada, hehehe.

    Reply
    • @Rodolfo

      Está certo…rsrs Evitar a tentação é sempre bom…rs 🙂

      Reply

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Pin It on Pinterest