É fantástico como o indie game Minecraft, ainda em seu período alfa, conseguiu uma base enorme de fãs. É maravilhoso observarmos as criações que já foram feitas com o game, metade exploração, metade criação ou, sei lá, uma mescla de tudo isto e muito mais. Vale ressaltar que em Minecraft você pode, digamos, criar o seu próprio ambiente. Você pode criar seu game, seu cenário, sua brincadeira, e neles viajar, passear, utilizar tudo aquilo que criou através das ferramentas fornecidas pelo game.

recriaram Rapture, em Minecraft, e a cada dia se vê mais criações fantásticas. Há pouco topei com o vídeo abaixo, no Youtube, o qual se chama “Minecraft Intercontinental Railway Test” e mostra uma viagem de trem, através de trilhos e cenários criados também pelo gamer. É sensacional a sensação de velocidade em determinados momentos, os túneis, os materiais utilizados e a disposição destes, as viradas bruscas, os trechos a céu aberto onde se pode visualizar a vegetação criada com bastante cuidado, etc; até mesmo uma ponte o trem atravessa.

Fico sempre abismado com a quantidade enorme de games fantásticos que surgem do cenário indie. Parece que, livres das amarras impostas muitas vezes pelas distribuidoras, os desenvolvedores independentes se sentem tentados a dar asas à imaginação sem se preocuparem com o fator “sucesso” ou “vendas”. Bom, esta não é uma preocupação que  Markus Persson deva ter, pelo menos no momento. Pois segundo ele, Minecraft já chegou a render US$ 350.000 em um único dia.

Mas qual seria a razão deste enorme sucesso obtido por games como Minecraft? Estamos falando de um game de exploração e criação (que também pode ser incluído em diversos outros gêneros e/ou rotulado de diversas outras maneiras) cujos gráficos são totalmente “old school”. Um game ainda em fase alfa, com muita coisa ainda a ser lapidada, e que no entando causa verdadeiro alvoroço no “meio gamer”.

Acredito que Minecraft trouxe de volta muito daquela simplicidade que tínhamos antigamente, no tocante aos gráficos e ao gameplay, e introduz um elemento fenomenal para o gamer: liberdade. Liberdade para criarmos. Para fazermos o que bem entendermos, como bem desejarmos, no momento em que quisermos. Liberdade para criarmos nosso próprio brinquedo. A possibilidade de mostrarmos nosso trabalho a outras pessoas.

Assistam ao fantástico vídeo:

Link direto para o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=FzCaGj8KTho

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest