Recentemente o site Edge Online publicou uma matéria muito interessante a respeito da Valve e, consequentemente, do Steam, serviço de distribuição digital de jogos de propriedade da desenvolvedora de Portal e Half-Life. Nesta mesma matéria, o fundador da Valve, Gabe Newell, é mencionado. Tal matéria, aliás, meio que se baseia em outra matéria, publicada na revista Forbes, a qual menciona o fato de que Newell está “mudando a economia da indústria de games”.

Como sou muito interessado neste assunto, gostaria de comentar a respeito aqui no XboxPlus. Sempre tive comigo, desde quando joguei em um PC pela primeira vez, a certeza de que esta plataforma é fantástica. Flexível, popular, acessível (salvo as excessões relacionadas aos requisitos de cada game, dentre algumas outras) e “lar” de inúmeros games até hoje somente existentes para ela.

Segundo a Forbes, o Steam, hoje, possui cerca de 30 milhões de clientes. Ou seja, 30 milhões de pessoas que jogam no PC. 30 milhões de PC gamers. Isto está longe de representar um mercado em decadência, digam o que disserem aqueles que pregam a morte do mesmo. A Valve está atrás somente das fabricantes dos consoles da última geração (Microsoft, Nintendo e Sony), em termos de participação no mercado de games, e ainda segundo a Forbes, a Valve pode estar no controle de até 70% do mercado de games para PC. A mesma revista estima que o valor da Valve oscila entre 2 a 4 bilhões de dólares.

Acho bastante interessante também o fato de Gabe Newell deixar meio que transparecer que grande parte do sucesso de sua empresa é o foco no mercado de games para PC, desprezando até mesmo as plataformas móveis, tão em moda hoje em dia. É, foco. Isto é muito importante, seja no desenvolvimento, seja na distribuição, seja durante as vendas. Eu iria mais além e diria que durante o pós venda, também. É preciso sempre analisar a satisfação do cliente, e não fazer como determinadas empresas que simplesmente “matam” um produto levando em consideração apenas opiniões internas. Isto mostra mais do que tudo que o PC enquanto plataforma de games é altamente rentável, e o próprio fundador da Valve deixa isso bem claro. Afinal, crescimento de 200% nas vendas ano após ano, de acordo com o figurão, não é para qualquer um.

Tudo isto deixa bem claro que tanto as motivações quanto os resultados obtidos pelo Steam são fruto de uma (ou várias – Newell com certeza é, também, muito bem assessorado) mente brilhante, que vê na indústria de games algo único. O alcance do PC enquanto plataforma de games é muito mais amplo do que os consoles, seja devido a fatores econômicos, seja devido à sua maior disponibilidade em diversos lugares do mundo, etc. Hoje temos computadores em locais onde até há algum tempo atrás eles eram apenas um mero e impossível sonho. Em muitos destes locais, aliás, continua sendo impensável a presença de um console de última geração.

O enorme catálogo do Steam, aliado à massiva existência de PC’s no mundo todo, em lugares os mais diversos, todos com as mais variadas configurações e capacidades, juntamente com a enorme gama de gêneros de jogos, preços, requisitos mínimos e recomendados existentes no serviço, pode representar um dos fatores que fazem do mesmo um sucesso. Qualquer PC gamer encontra ali um game que se adeque ao seu gosto, necessidades, possibilidades e configuração.

As “promoções infinitas”, do Steam, também, representam um dos diferenciais do serviço em relação a seus concorrentes. A própria Square Enix Week, que vai até 20 de Fevereiro de 2011 e que já no primeiro dia trouxe o maravilhoso Batman: Arkham Asylum Game of the Year Edition por US$ 7,50 mostra que a Valve possui enorme “poder de fogo”, e enquanto uns e outros tentam copiá-la, ela sempre arruma um jeito de “dar a volta por cima”, e fazer melhor. É muito mais do que óbvio o fato de que o poder de negociação que a empresa possui em relação às publishers é o maior deste mercado.

Vejam bem, aliás, o pacote “Square Enix Complete Pack“, recheado de fantásticos games, o qual está saindo por US$ 74,99. Aplicaram ao pacote um fantástico desconto de 88%. É claro que a Valve venderá horrores. Seja em relação ao Batman: AA, seja em relação ao Square Enix Complete Pack, as vendas serão fantásticas, simplesmente porque “ganhar na quantidade” muitas vezes é a melhor estratégia. E a Valve e o Steam usam esta estratégia com muita frequência, sempre com ótimos resultados. E é claro que os gamers adoram. 🙂

O mercado de games para PC está em constante movimento. Títulos exclusivos continuam sendo lançados. De forma muito democrática qualquer pessoa pode obter acesso a um game bacana. E o Steam está no meio disto tudo, fazendo a sua parte (de forma muito bem feita) e agradando a todos sempre com muita eficiência. A Valve e o Steam provocam “barulho” quase que semanalmente, com suas promoções, lançamentos, exclusividades, novos recursos, etc. Aliás, não podemos nos esquecer também do fato de que o Steam também é uma fantástica plataforma.

Uma plataforma que reune 30 milhões de PC gamers que, penso eu, não a trocam por nenhuma outra. Para encontrarmos a razão do sucesso do Steam talvez não seja necessário irmos muito longe. Oferecer aquilo que o gamer deseja, onde ele deseja, da maneira que ele deseja e sempre com diversos extras inclusos: promoções, preços baixíssimos, presença marcante e, é claro, um catálogo enorme. Talvez esta seja a fórmula, ou, quem sabe, um de seus ingredientes.

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest