Warlock – Master of the Arcane é um jogo de estratégia em turnos que está sendo desenvolvido pela Paradox Interactive em parceria com a Ino-Co Plus. Trata-se de um game ambientado no fantástico universo da série Majesty, série esta que também já emprestou diversos de seus elementos para o vindouro tower defense Defenders of Ardania.

Recebi uma cópia para preview de Warlock – Master of the Arcane, a qual possui por enquanto diversas limitações. Nenhum preview propriamente dito, aliás, pode ser publicado antes de determinada data especificada pela publisher sueca. Gostaria, entretanto, já com a autorização da Paradox, de mencionar alguns pontos muito interessantes a respeito do título. O jogo começa impressionando desde o início, com sua bela trilha sonora introdutória, que nos acompanha até mesmo quando vamos escolher o tamanho do “mundo do jogo”, o “tipo do mundo” (ilhas, continentes, super continente e grande terra), etc.

O jogo, mesmo neste estágio, digamos, inicial, nos apresenta uma interface muito bonita e efeitos sonoros extremamente interessantes. Sendo um jogo baseado na série Majesty, é possível pesquisarmos magias e as utilizarmos posteriormente. Oferecendo ao jogador um campo de jogo dividido em hexágonos, Warlock – Master of the Arcane apresenta um interessante conceito de movimentação baseado em “movement points”. Creio que muita coisa ainda deverá mudar em relação a esta mecânica, mas, por enquanto, cada turno encerrado fornece novos “movement points”, sem os quais suas unidades são incapazes de se movimentarem.

O mapa de jogo é encoberto por uma névoa que vai desaparecendo conforme você avança com suas unidades, seja para exploração seja para combates. Cada vitória fornece a possibilidade de pilhagem, e a movimentação das unidades inimigas quando um turno é finalizado é muito interessante. Sendo o jogo baseado em uma série que lida com magia, existem também diversas magias que podem ser pesquisadas e utilizadas, além de diversos tipos de unidades. Através da “city view”, é possível obter-se uma “geral” de suas forças: número e tipo de unidades e construções, dinheiro em caixa, nível de mana e pontos de ciência, etc.

Você vai evoluindo, durante o jogo, e pode, então, escolher algumas perks. Fortalezas, torres mágicas, e as mais diversas construções também podem ser escolhidas. Eliminando os protetores dos castelos de cidades inimigas, você as toma para si. A partir daí, suas próprias unidades podem ser posicionadas no tal castelo.

A missão do jogador, em Warlock – Master of the Arcane, é construir um grande império, no papel de um grande mago. Expansão de fronteiras, pesquisa, gerenciamento de recursos e conquistas fazem parte do gameplay. Dezenas de magias podem ser pesquisadas e conjuradas, e diversas combinações podem ser realizadas. Isto me lembra até mesmo de Magicka, outro game da Paradox.

3 raças distintas podem fazer parte de suas forças, e existem diversas maneiras de se atingir os diversos objetivos propostos pelo jogo. Grandes exércitos podem chegar a marchar pelo campo de batalha, e o domínio das habilidades dos vários tipos de unidades é essencial durante as batalhas.

O jogo ainda vai melhorar bastante, é claro, mas confesso que gostei bastante do que vi até agora. Warlock – Master of the Arcane será lançado no segundo trimestre de 2012, para PC, e custará US$ 19,99. O jogo herda os elementos chave comuns a todos os grandes jogos de estratégia em turno, e apresenta ao jogador algo muito bacana de se ver. Temos um game onde, em suma, também teremos de nos tornar “mestres em nosso próprio reino, exército e magia“. Vou parando por aqui, afinal, este não é nem o preview do game.

Veja abaixo um teaser trailer do game:

Link para o vídeo em 720p:

http://www.youtube.com/watch?v=3kfQHsb3Pn0&hd=1

Poderá gostar também

Pin It on Pinterest